Voando com a Azul (VCP/REC)

– mais um voo nesta fase tão diferente no mundo da aviação comercial em função dos impactos da pandemia do coronavírus; fiquei sem andar de avião por 100 dias, retornando “aos ares” no meio de junho, quando iniciei uma série de voos de curta duração, passando por aeroportos do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Paraná

– e eu não pegava um avião de grande porte desde o início de março de 2020, quando um Boeing 777-300ER da LATAM BRASIL me trouxe de Miami

A COMPRA DA PASSAGEM

– considero um “pecado mortal” simplesmente não fazer nada e perder pontos dos muitos programas de fidelização das companhias aéreas

– no final de agosto, eu tinha 18.000 deles do Programa Tudo Azul vencendo no início de setembro e fiz uma série de pesquisas acerca da melhor forma de utilizá-los

– um fato relevante acabou direcionando a minha decisão: eu nunca tinha voado em um avião de fuselagem larga da companhia com sede sem Campinas; nesta fase de pandemia, AZUL e LATAM passaram a colocar suas aeronaves de dois corredores para operar voos para algumas capitais das Regiões Norte e Nordeste

– no caso da AZUL, os Airbus A330 e A330Neo estavam sendo escalados para voar de Campinas para, por exemplo, Recife, Fortaleza e Belém

– e a capital pernambucana apareceu como a melhor opção: um voo matutino operado por um Airbus A330Neo, o modelo mais moderno e novo da frota, além de um trecho Rio de Janeiro/SDU para Viracopos a bordo de um Embraer E-195

– para voar no último domingo de setembro, “salvei” 17.000 pontos e gastei adicionalmente R$ 54,47 (taxas de embarque e taxa de emissão de bilhete-prêmio que a AZUL cobra de todos os passageiros)

– para fins de comparação, se eu pegasse o voo direto que parte do Santos Dumont para Recife no meio da manhã e é operado pelo Airbus A320Neo, eu teria gasto 15.000 pontos

– a AZUL não vende lugares em classe superior em seus voos nacionais, mas a possibilidade de voar na classe Executiva do A330Neo existia mediante a contratação do serviço de assento especial, que era ofertado por R$ 159,00; eu não tive muitas dúvidas e fiz o “investimento“, garantindo ainda um lugar na janela

O AEROPORTO DE CAMPINAS/VCP

– cheguei em Viracopos por volta de 07:10h, a bordo do Embraer E-195 de prefixo PR-AXG (apelido “Trovão Azul”), que me levou do Santos Dumont até lá (voo AD4357, com horário de partida de 06:15h)

– o desembarque foi feito de forma remota, o que é sempre uma oportunidade para tirar fotos de aeronaves no pátio; naquele dia, em uma posição próxima, o Airbus A330 com pintura especial do programa Tudo Azul (prefixo PR-AIT) estava estacionado

– o ônibus da administração privada do Aeroporto de Campinas me deixou do outro lado do terminal, no píer onde estão instalados os portões C1 a C15

– consultando os monitores com as informações de voos, descobri que o Portão B27 seria utilizado para embarque do voo AD4328, eu teria que cruzar o terminal de novo, de um píer para o outro, mas desta vez a , contando com a ajuda de esteiras rolantes neste deslocamento

– segui a sinalização ostensiva e, depois de descer uma escada rolante e chegar no nível térreo deste terminal, alcancei um salão onde alguns portões de embarque estão localizados

– é uma área com teto baixo, um ambiente bem mais apertado do que é observado no outro píer, com muitas cadeiras espalhadas e sinalização para distanciamento entre passageiros; ao contrário da situação do Santos Dumont, os bebedores estão liberados em Campinas

Área de Embarque de VCP
Cadeiras de VCP
Bebedores em VCP

– a Casa do Pão de Queijo, que tem um posição privilegiada nesta saguão, já que todos os passageiros que chegam nesta área passam em frente, estava aberta

– o painel com informações dos voos indicavam que a AZUL dominava as operações daquele início de manhã, com voos para o Rio, Porto Alegre, Belém, Vitória, Brasília, Uberlândia, Foz do Iguaçu, Manaus, Goiânia, Navegantes, Salvador, Belo Horizonte e Joinville

Painel de Voos em VCP

alguns A330s da AZUL estavam estacionados em frente a este saguão, pois estavam escalados para operar voos que partiriam para capitais das Regiões Norte e Nordeste; achei ótimo, pois não passo muito por Campinas, portanto, tenho poucas fotos dos aviões widebodies da companhia brasileira; as janelas de vidro estavam limpas e eram um incentivo a mais para vários registros

A330s em VCP
A330s em VCP
A330s em VCP
A330s em VCP
A330s em VCP

O EMBARQUE NO A330NEO

– por volta de 08:00h, um funcionário usou o sistema de áudio para informar que o embarque do meu voo estava sendo iniciado e que um ônibus faria o transporte dos passageiros até a aeronave, que estava estacionada em um posição mais afastada

– os arredores do Portão B27 traziam uma concentração grande de passageiros, fiquei em uma posição mais afastada

Portão B27 de Campinas
Portão B27 de Campinas
Portão B27 de Campinas
Portão B27 de Campinas

– reparei que os ônibus que partiam do Portão B27 seguiam até um A330Neo estacionado na parte internacional do aeroporto

Embarque no A330Neo
Embarque no A330Neo
Embarque no A330Neo

– portanto, eu voaria no PR-ANZ (apelido “O Mundo é Azul”), que chegou novinho em folha à frota da AZUL em maio de 2019, portanto, é uma aeronave nova; este foi o primeiro dos dois exemplares deste modelo que a companhia atualmente opera (o PR-ANY chegou em outubro de 2018)

A330Neo em VCP
A330Neo em VCP

– só me apresentei para embarque exatamente às 08:30h, quando o Portão já estava vazio, poucas pessoas estavam no balcão, tentando antecipação do seus voos

Portão B27 de Campinas

– uma van da AZUL me daria uma carona até o avião, juntamente com outras 05 pessoas; o trajeto foi rápido, menos de 02 minutos depois eu já estava de frente para a linda máquina

Van da Azul em VCP

– sabendo que eu seria um dos últimos a entrar, tive que me apressar para tirar fotos dos detalhes de uma das mais modernas aeronaves atualmente produzidas

A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP

– embarquei pela escada acoplada à porta 2L da aeronave e dei uma paradinha estratégica no topo dela para mais alguns clicks

A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP
A330Neo na pista de VCP

– depois de ser recebido por uma Comissária, que me perguntou qual era o meu lugar, segui até o segundo corredor da aeronave e virei a esquerda

– quando cheguei na altura do assento 7K, um rapaz o ocupava; ele tinha se enganado, estava na verdade na 5K; as poltronas são revestidas com um tecido azul mesclado e os encostos de cabeça são de couro azul escuro

Assento 7K
Assento 7K
Assento 7K
Espaço para pernas

– eu voaria no lado direito da aeronave, na penúltima fileira da classe Executiva, perto da janela (os lugares pares estão instalados em uma posição mais próxima dos corredores, enquanto as ímpares ficam perto da “parede” da aeronave); a minha visão do motor direito era ótima

Visão da janela

– a AZUL configurou esta aeronave com 34 lugares na Business Class, dispostos em 09 fileiras, a fileira 1 tem apenas dois) no ótimo esquema 1 x 2 x 1, ou seja, todos os ocupantes têm acesso direto ao corredor; neste voo, a Business estava lotada, casa cheia; na classe Econômica, a capacidade é de 264 passageiros e a ocupação era alta (pelo que vi, cerca de 80%)

Inside Cabin do A330Neo
Inside Cabin do A330Neo
Inside Cabin do A330Neo

– explorando os detalhes do meu assento, reparei que um compartimento pequeno para guarda de objetos está instalado embaixo do braço esquerdo

Porta-objeto no A330Neo
Porta-objeto no A330Neo

– na parte superior tem mais um espaço para colocar objetos, desta vez maior e com uma cortina retrátil e onde está disponível o cartão com as instruções de segurança; a revista de bordo não está mais disponível nos voos da AZUL, uma medida de combate ao contágio do COVID-19

Porta-objeto superior
Porta-objeto superior
Safety Card

– para carregar equipamentos eletrônicos durante o voo, uma tomada universal e um porta USB estão instaladas na parte anterior do apertado vão que dá acesso ao assento

Tomada e Porta USB
Tomada e Porta USB

– neste voo nacional, a AZUL não disponibilizou cobertor, travesseiro nem fone de ouvido para os passageiros da classe Executiva

– o processo de embarque foi encerrado às 08:43h e oito minutos depois tivemos um longo e claro anúncio do Comandante pelo sistema de áudio do A330Neo; ele informou que a duração estimada de voo até Recife era de 02 horas e 40 minutos, com tempo bom em rota e temperatura de 28 graus no destino

– logo em seguida, foi a vez do Comissário Líder se dirigir a todos e passar uma série de instruções das regras de combate ao coronavírus, ressaltando que o uso de máscaras era obrigatório durante o voo e que álcool gel estava disponível a bordo

O VOO PARA RECIFE/REC

– o procedimento de pushback foi iniciado às 08:45h, portanto, partíamos dentro do horário (com 05 minutos de antecedência)

Pushback em VCP
Pushback em VCP

– as instruções de segurança foram demonstradas de forma manual pela tripulação, enquanto taxiávamos, o que achei estranho, afinal, monitores individuais estão instalados em todos os assentos da aeronave

Taxiando em VCP

– o seguimos de forma lenta, alcançamos a cabeceira 15 da pista única do Aeroporto de Campinas, que tem 3.240 metros de extensão, somente às 09:03h, com a aceleração sendo iniciada alguns segundos depois

Decolando em VCP
Decolando em VCP

– está publicado no canal do YouTube do Voando e Avaliando o vídeo completo da decolagem, onde é possível conferir o baixíssimo nível de ruído proporcionado pelos 02 motores Rolls-Royce Trent 7000 que equipam o Airbus A330Neo da AZUL

https://youtu.be/HJw1YE_Bd0A

– o tempo estava bom e a janela da aeronave estava limpa, um convite para as fotos dos primeiros instantes do voo, tendo ao fundo a área metropolitana de Campinas

Decolando em VCP
Decolando em VCP
Decolando em VCP

– eram 09.09h quando o sinal de apertar cintos foi apagado e um movimento tímido dos membros da tripulação foi percebido

– eu tinha curiosidade sobre se haveria ou não serviço de bordo durante o voo, pois este seria o voo de maior duração que peguei nesta fase de enfrentamento ao contágio do COVID-19; mas o anúncio do Chefe de Cabine indicou que a medida preventiva recomendada pelas autoridades sanitárias também se aplicaria neste voo de quase 03 horas

– apesar de ser a mais moderna aeronave da frota da AZUL, não há sistema de conectividade Wi-Fi a bordo, portanto, nada de acesso à Internet durante o voo

– a tela dos sistema de vídeo tem tamanho apenas razoável e resolução boa, com sistema touchscreen; o controle remoto está instalado na estrutura superior do assento, é pequeno e com botão redondo que funciona como um mouse para navegação; a filmes e séries da TV estão disponíveis, com pouca variedade, que não chega a ser um problema para um voo nacional

Sistema de Vídeo
Sistema de Vídeo
Sistema de Vídeo

– escolhi para ver “Ford vs Ferrari”, um filme lançado em 2019 que foi estrelado por Matt Damon e Christian Bale, que conta a história da rivalidade dos 02 fabricantes de automóveis na lendária corrida 24 Horas de Le Mans; como eu não tinha levado meu próprio fone de ouvido, a única forma que me restou para consegui assistir ao flime foi colocar legendas em português

Sistema de Vídeo
Sistema de Vídeo

– dei um pause no filme para conferir o toalete deste avião; quem está na Executiva pode optar em ir no lado esquerdo da parte frontal (1 banheiro), bem atrás do cockpit ou nos 02 que estão instalados ao lado da galley que fica entre as portas 2L/2R do Airbus, para onde fui

– de dimensão apenas razoável, estava limpo e me chamou logo atenção o piso com um revestimento alusivo às ondas de pedras portuguesas do calçadão da Praia de Copacabana no Rio de Janeiro, bem como a iluminação em tom de azul da pia

Banheiro do A330Neo
Banheiro do A330Neo

– na volta para meu lugar, aproveitei para tirar uma foto da galley e outro adesivo me chamou a atenção, desta vez no teto: mensagens de “Bom Voo” em várias línguas

Galley do A330Neo
Galley do A330Neo

– antes de retomar o filme, lembrei de testar a opção Mapa de Voo do sistema de entretenimento (Voyager 3D da Panasonic); são muitas informações fornecidas: estávamos passando perto de Porto Seguro, terra baiana; 720 milhas ainda me separavam da capital pernambucana (e já tínhamos percorrido 620 desde Campinas), um vento de cauda ajudava a empurrar o A330Neo que voava a 563 milhas por hora, faltando cerca de 1 hora e 30 minutos para chegar; naquele momento, viajávamos a uma altitude de 41000 pés

Mapa de voo
Mapa de voo
Mapa de voo

– alguns minutos depois olhei pela janela e reparei que, depois de sobrevoar o continente brasileiro, estávamos nos aproximando do litoral de nosso país; ficamos um bom tempo margeando a costa e tirei dezenas e dezenas de fotos, de forma frenética, pois a paisagem era linda demais; foi um desafio grande selecionar algumas delas para colocar neste flight report

Litoral brasileiro
Litoral brasileiro
Litoral brasileiro
Litoral brasileiro
Litoral brasileiro
Litoral brasileiro
Litoral brasileiro
Litoral brasileiro
Litoral brasileiro

– nesta fase do voo, uma Comissária percorreu o corredor com copinhos de água na mão, oferecendo aos passageiros da Executiva; aceitei um, pois a sede era grande; e foi bom também que isto me lembrou de ver como era mesa utilizada para as refeições, que fica escamoteada embaixo do monitor de vídeo

Mesa do A330Neo
Água no voo para Recife

– tirei algumas fotos também para dar destaque à ponta da asa do A330Neo, que tem um formato muito aerodinâmico e, no caso da AZUL, tem ainda uma estilosa bandeira do Brasil

Ponta da Asa do A330Neo
Ponta da Asa do A330Neo
Ponta da Asa do A330Neo

– e quase me esqueço de verificar como era a posição “cama” do assento de Classe Executiva! Os comandos estão instalados em um posição de fácil acesso, no braço esquerdo; com apenas um único toque, é possível transformar o assento em uma cama de 180 graus; achei que os pés ficam meio apertados embaixo no vão abaixo da estrutura da poltrona da frente

Comandos da Poltrona
Posição Cama
Posição Cama
Posição Cama
Posição das pernas

– voltando a contemplar a paisagem lá fora, começamos a sobrevoar uma região com uma densa camada de nuvens

Em algum lugar com nuvens
Em algum lugar com nuvens
Em algum lugar com nuvens

– eram 11:15h quando tivemos novo anúncio do Comandante informando que já estávamos em procedimento de descida para pouso no nosso destino

– o tradicional comando vindo do cockpit Tripulação, preparar para o pouso” foi feito às 11:32h e o trem de pouso foi armado e travado 03 minutos depois; neste momento, enfrentamos algumas nuvens mais baixas, o que provocou um pouco de turbulência, nada demais

Fase final do voo
Fase final do voo
Fase final do voo

– na aproximação final, a paisagem era composta por muitas edificações da região metropolitana de Recife misturadas com uma vegetação muito “viva”, de um verde intenso

Aproximação em Recife
Aproximação em Recife
Aproximação em Recife
Aproximação em Recife

– o pouso foi realizado de forma extremamente suave às 11:38h pela cabeceira 18 da pista única deste terminal, que tem 3.007 metros de extensão

Pouso em Recife
Pouso em Recife
Pouso em Recife

– o vídeo completo dos segundos finais do voo está publicado lá no canal YouTube do Voando e Avaliando e, mais uma vez, o baixo nível de ruído dos motores RR Trent 7000 é um destaque:

https://youtu.be/BApxLZeIFuk

– o Airbus foi até o limite extremo da pista, taxiando devagar e passando por muitas outras aeronaves da AZUL, que tem forte presença, pois neste aeroporto está constituído seu hub no Nordeste; uma delas era o famoso “Bandeirinha”, um E-Jet pintado de forma especial como a bandeira do Brasil

Taxiando em Recife
Taxiando em Recife
Taxiando em Recife
Aeroporto de Recife

– encostamos no Portão 13 do terminal de passageiros do  Aeroporto Internacional do Recife-Guararapes / Gilberto Freyre às 11:44h, tendo ao lado um Boeing 737-800 da GOL (prefixo PR-GGD)

Boeing da Gol em Recife
Boeing da Gol em Recife
Boeing da Gol em Recife

– cerca de 03 minutos depois, foi autorizado o desembarque, novamente pela porta 2L; a orientação da tripulação foi clara: primeiro sairiam os passageiros da classe Executiva, de forma ordenada, começando por quem ocupava a fileira 9, seguida da 8 e assim sucessivamente, o que foi devidamente respeitado

– os fingers deste aeroporto tem estrutura metálica e laterais de vidro, permitindo boas fotos do A330Neo acoplado

A330Neo em Recife
A330Neo em Recife

– depois de sair da área de desembarque, passei nos balcões de atendimento da LATAM para tentar antecipar meu voo de retorno ao Rio de Janeiro; fui muito bem atendido pelo time de solo e consegui voltar mais cedo para casa

– depois, fui até o terraço panorâmico instalado em frente à praça de alimentação do 3º andar do terminal, que proporciona uma ótima visão geral do pátio de manobras e onde o A330Neo que tinha me levado até Recife já estava sendo preparado par retornar à Campinas

A330Neo em Recife
A330Neo em Recife
A330Neo em Recife
A330Neo em Recife

AVALIAÇÃO GERAL

O valor da passagem – 17.000 pontos do Programa Tudo Azul – para uma combinação de 2 voos (Rio-Campinas-Recife) pode até ser entendido como alto, mas é preciso levar em consideração que eles estavam vencendo, portanto, julgo a relação custo-benefício como até muito boa; da mesma forma, valeu muito o “investimento” de R$ 159,00 para garantir um lugar na classe Executiva de uma aeronave de fuselagem larga para o voo de maior duração desta jornada (quase 03 horas); o embarque remoto em Campinas foi uma sorte danada e uma oportunidade de ver por fora e com mais detalhes a aeronave escalada para operar o voo: o primeiro A330Neo (dos dois) recebido pela AZUL; este foi meu primeiro contato com este modelo de aeronave e gostei muito: silencioso (o nível de ruído proporcionado pela dupla de motores RR Trent 7000 é impressionantemente baixo), moderno e com um lindo design das asas; voar pela manhã e num dia de muito sol é uma dádiva, permitindo muitos e muitos registros, ainda mais quando a rota margeia o lindo litoral nordestino; o esquema 1 x 2 x 1 da Business é ótimo, os assentos viram uma cama 180 graus, mas nesta posição achei o espaço para os pés reduzido; o sistema de entretenimento é bem razoável, adequado para um voo de média duração, mas tenho dúvidas se me agradaria em uma viagem mais longa; outro ponto que merece registro é a ausência de um sistema que permite acesso a Internet durante o voo; como tenho registrado nos flight reports anteriores de voos realizados neste período tão diferente, avaliar o serviço bordo (que por recomendação sanitária foi suspenso) e a tripulação (que usa máscara e passou a ter menos contato direto com os passageiros) não faz muito sentido; mas vale o destaque positivo das comunicações diretas e assertivas sobre como os passageiros precisam se comportar durante o voo e no processo de desembarque; no geral, a minha 1ª experiência no A330Neo da AZUL foi bem legal


0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.