Voando com a Latam (GRU/LIS)

– hora de voltar a fazer um voo internacional! Meu último tinha sido no início de março de 2020, quando um Boeing 777-300ER da LATAM BRASIL me levou de Miami para Guarulhos

– depois deste voo, fiquei sem entrar em um avião até o início de junho, quando comecei a fazer alguns voos na Região Sudeste, voando e avaliando a GOL, a AZUL e a LATAM

– a origem agora é justamente o Aer. Internacional de Guarulhos e o destino é Lisboa em Portugal; a distância entre as 02 cidades é de 4.916 milhas (cerca de 7.910 quilômetros)

– o meu destino final não seria Portugal, de lá eu faria uma conexão para pegar um voo da TURKISH AIRLINES até Istanbul na Turquia; eu escolhi esta cidade porque era uma das poucas que estão recebendo turistas sem grandes restrições nesta fase diferente de pandemia

– comprei passagem com apenas 10 dias de antecedência e paguei cerca de R$ 3.400,00 na tarifa TOP da LATAM, para viajar na classe Econômica; este perfil de tarifa permite cancelamento grátis e também é elegível para upgrade de cabine

O TESTE DE COVID

– eu fui para Guarulhos no sábado – 07.11.2020 – em um voo da LATAM que partiu do Santos Dumont às 20:25h, operado por um Airbus A319

– desembarquei no Terminal 2 do maior aeroporto da América Latina e fui caminhando até a área de check-in do Terminal 3, onde a infraestrutura provisória do laboratório da empresa CR Diagnósticos está instalado e que funciona 24 horas

Laboratório em Guarulhos

– a Turquia não exige o teste PCR negativo para COVID-19, portanto, eu não precisava fazer o exame, mas julguei responsável ter a segurança de que ficaria horas dentro de um avião sem estar infectado

– o espaço é pequeno, mas tudo é muito bem organizado; não peguei fila, felizmente, apenas 01 pessoa estava na minha frente; depois de passar por uma triagem, fornecendo uma série de dados pessoais, fiz o pagamento (R$ 315,00, pois me foi concedido um desconto de 10% mediante a apresentação da minha passagem) e aguardei poucos minutos para ser convocado a fazer o exame

Laboratório em Guarulhos

– é desconfortável (é coletado material com um cotonete fino das narinas e da garganta), mas confesso que achei que seria pior; tudo foi rápido, em 15 minutos eu já estava indo embora

– fiz o exame por volta de 22:00h e cerca de 03 horas depois o resultado – NEGATIVO – já estava disponível no site do laboratório

O PERNOITE EM GUARULHOS

– fiquei hospedado no hotel Hampton by Hilton Guarulhos Airport, que fica nos arredores do aeroporto e que oferece traslado gratuito em horários pré-definidos

– paguei R$ 230,00 (diária com café da manhã), tendo reservado com apenas 01 semana de antecedência

– logo que acordei no domingo, vi no meu e-mail que o meu upgrade tinha sido concedido pela LATAM: começava o dia com uma ótima notícia

– o hotel tem um terraço panorâmico que oferece uma vista extraordinária para o aeroporto; no final da manhã, depois de matar a fome no café, visitei o espaço e fiz alguns bons cliques da aeronaves em procedimento de pouso, com destaque para o Boeing 767-300ER da LATAM BRASIL (prefixo PT-MOB) que estava chegando de Salvador

Boeing 767 da Latam
Boeing 767 da Latam
Boeing 767 da Latam
Boeing 767 da Latam
Boeing 767 da Latam

– peguei a van gratuita que leva os passageiros até os Terminais 2 e 3 de Guarulhos às 13:10h, com bastante antecedência para o voo para a Europa com horário de decolagem marcado para 17:30h

– foram 15 minutos de trajeto e a primeira coisa que fiz ao chegar no T3 foi ir no laboratório para pegar a impressão do meu exame, que é fornecido em português e inglês; naquele início de tarde, a fila era bem maior; conversando com a funcionária que me atendeu, ela me afirmou que era o horário de pico

Laboratório em Guarulhos

O CHECK-IN EM GUARULHOS

– os guichês da LATAM ainda não estavam abertos quando cheguei e, portanto, estavam vazios; é muito estranho ver dezenas e dezenas de balcões sem funcionários e passageiros; a última lembrança que tinha desta área foi quando embarquei para os Estados Unidos no final de fevereiro e o terminal estava lotado

Check-in da Latam
Check-in da Latam

– a área exclusiva que era dedicada para o atendimento personalizado aos clientes Black Signature do programa LATAM PASS está desativada, com tapumes

Check-in da Latam

– depois de almoçar com calma no restaurante Ráscal, que fica no andar inferior e um dos poucos que estava aberto, voltei às 15:10h para fazer meu check-in e despachar minha mala (que foi etiquetada até o destino final – Istanbul); em apenas 03 guichês encontrei funcionários da LATAM e eram pouquíssimos passageiros na área

Check-in da Latam

– o atendimento foi rápido, com o suporte da agente do Special Service (facilidade que a LATAM oferece aos clientes Black Signature); ela foi muito atenciosa e me confirmou que não seria possível acessar a Sala Vip da companhia, que está fechada sem previsão de reabertura (atualmente, apenas os lounges da American Express e Star Alliance funcionando e não tenho nenhum acesso a eles); além disso, ela me entregou o cartão de embarque do meu voo com a TURKISH AIRLINES

– os balcões dedicados a passageiros que voam em classe Executiva ou com status superior do programa LATAM PASS ou das companhias parceiras não estavam disponíveis para atendimento naquele momento

Check-in da Latam

– o cenário de poucos passageiros não era diferente nas áreas de check-in das outras companhias com voos marcados para aquele domingo, como eram os casos da TAP (onde o movimento de pessoas era um pouco maior), LUFTHANSA e AIR FRANCE/KLM

Check-in da TAP
Check-in da Lufthansa
Check-in da Air France/KLM

– as medidas preventivas adotadas pela administração privada deste terminal podem ser vistas com mais vigor na sinalização, orientando os passageiros a manter distância; senti falta de mais dispositivos para higienização das mãos com álcool gel; e um grande folder indica que é feito controle de temperatura das pessoas que vão embarcar

Medidas preventivas em Guarulhos
Medidas preventivas em Guarulhos

A ÁREA INTERNACIONAL DE GUARULHOS

– um pouco antes de 16:00h, me dirigi à área de embarque internacional de Guarulhos; passar pelo controle de segurança (sem fila para passar minha mochila no aparelho de raio-x) e de imigração (novamente sem fila para conferência do passaporte) foi muito tranquilo

Embarque internacional de Guarulhos

– logo depois de passar por estes controles, ao invés de seguir o caminho normal indo para a esquerda para alcançar o saguão principal da área de embarque, segui pela direita, onde um curto corredor leva a uma grande janela de vidro razoavelmente limpa, que permite uma ampla visão do pátio de Guarulhos; dali, tirei fotos do Airbus A350 da AIR FRANCE, do Boeing 787 da UNITED AIRLINES e do Boeing 777-300ER da SWISS

A350 da Air France
A350 da Air France
Boeing 787 da United
Boeing 777 da Swiss

outra aeronave que estava no pátio era justamente o Boeing 767-300ER que me levaria para Europa, que ainda carrega a antiga identidade visual da TAM

Boeing 767 em Guarulhos

– depois da rápida sessão de spotting, segui o caminho em direção ao saguão de embarque, passando pelas lojas que estavam abertas, mas a maioria sem nenhum cliente dentro, o fluxo de passageiros era bem reduzido naquele final de tarde

Lojas em Guarulhos
Lojas em Guarulhos

– o trajeto pelos longos corredores onde estão instalados os portões de embarque mostrou a realidade impactante da pandemia: um aeroporto com infraestrutura enorme e moderna sendo frequentado por poucos passageiros; na hora que passei, o voo da AIR FRANCE para Paris estava partindo e os voos da SWISS para Zurique e da AMASZONAS para Santa Cruz de La Sierra partiriam em alguns minutos

Saguão de Embarque de Guarulhos
Saguão de Embarque de Guarulhos
Saguão de Embarque de Guarulhos
Saguão de Embarque de Guarulhos
Saguão de Embarque de Guarulhos

– enquanto seguia por este trajeto, parei algumas vezes para tirar mais algumas fotos de aeronaves da AMASZONAS (Embraer), SWISS (Boeing), AIR CANADA (Boeing), TAP (Airbus), UNITED (Boeing) e AIR FRANCE (Airbus) no pátio do Aer. de Guarulhos

Pátio de Guarulhos
Boeing 777 da Swiss
Aviões em Guarulhos

O EMBARQUE NO BOEING 767

– o embarque do voo LA8134 para Lisboa estava sendo feita no portão 328, que fica no final do saguão, à direita; a Agente do Special Service me esperava e alguns poucos passageiros também embarcavam naquele momento (eram 16:45h)

Portão 328 de Guarulhos
Portão 328 de Guarulhos

– o Boeing 767-300ER de prefixo PT-MSO me levaria até Portugal; esta aeronave foi entregue originalmente para a LAN CHILE em agosto de 2012 e, em agosto de 2013, foi transferida para a LATAM BRASIL; ainda carrega as antigas cores da companhia brasileira

Boeing 767 em Guarulhos
Boeing 767 em Guarulhos

– a Agente gentilmente me acompanhou até o meu assento: 5A, do lado esquerdo do Boeing, na última fileira da classe Executiva

Poltrona 5A do B767
Poltrona 5A do B767
Poltrona 5A do B767

– em cima da poltrona, já estavam disponíveis: uma garrafa de água, a necessaire, o fone de ouvido para o sistema de vídeo, o travesseiro e o edredom; senti falta da “pantufa” (chinelos) para ser usada durante o voo

Itens da Business da Latam

– a necessaire é completinha (meia, tapa-olhos, protetor auricular, caneta, kit dental, protetor labial e creme de mão), mas é básica, apesar de vir com alguns produtos da marca L’Occitane;

Necessaire da Business

– a configuração interna de cabine na classe Premium Business no Boeing 767-300ER é 2 x 2 x 2, ou seja, os passageiros que voam na janela não têm acesso direito ao corredor da aeronave; neste voo, isto não seria um problema, pois apenas mais 02 pessoas viajariam na Business (a realidade na classe Econômica não era diferente, a ocupação era baixíssima, menos de 20%)

Inside Cabin do B767
Inside Cabin do B767
Inside Cabin do B767
Inside Cabin do B767

– são 05 fileiras de poltronas na Executiva, mas o Boeing 767 da LATAM não tem o compartimento dedicado para descanso da tripulação (que é chamado de “sarcófago“), por isso, dois assentos são “interditados” (5J e 5L) e são cobertos por uma cortina; portanto, dos 30 lugares, apenas 28 são direcionados para passageiros

Assentos da tripulação

– eram 17:05h quando o Comandante utilizou o sistema de áudio para informar que a duração prevista de voo era de 08 horas e 44 minutos, que teríamos tempo nublado em Lisboa, com 16 graus de temperatura

– olhando pela janela do 767, eu teria uma ótima e ampla visão durante o voo: motor e asa com winglets

Janela do Assento 5A

– por volta de 17:10h, a Comissária de forma muito educada veio até mim e esclareceu algumas questões muito relevantes sobre o serviço durante o voo, justificando as mudanças em função do combate à pandemia: o welcome drink com nuts não seria oferecido e não haveria menu impresso, ela informou verbalmente que eram 02 opções de prato para o jantar (carne com batata e massa tortellini)

– logo em seguida a porta 1L do B767 (por onde eu tinha embarcado) foi fechada, indicando que o procedimento de embarque tinha sido encerrado

– a LATAM não equipou suas aeronaves de fuselagem larga com conexão Wi-Fi à Internet, portanto, ficaria desconectado durante o voo; tomada universal e porta USB para carregar os equipamentos eletrônicos são muito mal posicionadas no Boeing 767: ficam escondidas no “fundo” da coluna central do assento; como o voo estava vazio, coloquei o cabo do meu celular na poltrona ao lado

Tomada do Boeing 767

O VOO PARA LISBOA

– o procedimento de pushback foi iniciado às 17:11h, portanto, partiríamos dentro do horário, com alguns minutos de antecedência, o que é sempre bem-vindo, por mais que minha conexão em Lisboa seria bem longa (cerca de 05 horas)

Janela do Assento 5A

– enquanto éramos empurrados para trás, um Boeing 787-9 da TURKISH AIRLINES tinha acabado de chegar de Istambul e o Embraer E-190 da AMASZONAS estava pronto para voltar para a Bolívia

Boeing 787-9 da Turkish Airlines
E-190 da Amaszonas

– neste momento, o vídeo tradicional com a demonstração das instruções de segurança passou a ser exibido de forma obrigatória nos monitores do sistema de vídeo

Vídeo de Segurança
Vídeo de Segurança

– durante o taxiamento, passamos perto de outras aeronaves estacionadas em posição remota do Aer. de Guarulhos: outros B767s da LATAM e o Dreamliner da UNITED

Taxiando em Guarulhos
Taxiando em Guarulhos
Taxiando em Guarulhos

depois da exibição das instruções de segurança, passamos a assistir um longo vídeo com manifestação do Presidente/CEO do Grupo LATAM sobre todas as medidas que foram adotadas para enfrentar a crise causada pelo COVID-19

Mensagem do CEO da Latam

– chegamos na cabeceira da pista 09L de Guarulhos (que tem 3.700 metros de extensão) às 17:29h, fazendo uma curva para a esquerda e já iniciando a a decolagem; foram necessários 45 segundos de aceleração em potência máxima dos motores GE CF6 para tirar o B767 do chão

Cabeceira de Guarulhos
Decolando em Guarulhos
Decolando em Guarulhos
Decolando em Guarulhos

– o vídeo completo desta decolagem a bordo do Boeing 767-300ER da LATAM está publicado no YouTube do V&A

– a fase inicial do voo foi tranquila, mas com baixa visibilidade; apesar de não ter turbulência, o sinal de apertar cintos demorou a ser desligado, o que aconteceu somente às 17:43h

Início do voo para Lisboa
Início do voo para Lisboa
Início do voo para Lisboa
Início do voo para Lisboa

– fui logo conferir o banheiro; os passageiros da Executiva podem ir naquele localizado na parte dianteira da aeronave, do lado esquerdo, antes da galley; estava limpo, mas nenhuma amenidade estava sendo oferecida, nem mesmo aqueles lencinhos umedecidos que a LATAM disponibilizava no passado (e que tanto gosto)

Banheiro do B767
Banheiro do B767
Banheiro do B767

– olhando pela janela do 767 era possível contemplar um final de tarde lindo em algum lugar entre Guarulhos e Lisboa (ainda em território brasileiro)

Final da tarde
Final da tarde
Final da tarde
Final da tarde
Final da tarde

– o jantar não demorou a ser servido, o que achei ótimo, pois teria mais tempo para descansar: eram 18:00h quando a Comissária veio e me “cantou” as opções de bebida alcoólica que foram embarcadas neste voo: cerveja, vinho branco e vinho tinto (minha indicação); ou seja, a minha escolha de sempre – espumante – não está sendo servida nesta fase; pedi água com gás para acompanhar

– recebi a bandeja completa: entrada (variedade de queijos), pães quentes embrulhados, prato principal (tinha escolhido a carne), sobremesa (frutas – abacaxi, melão e kiwi), um chocolate miniatura e um potinho de manteiga; os talheres era de aço e os potes e copos eram de louça e vidro

Jantar da Executiva da Latam
Jantar da Executiva da Latam

– minha bandeja foi retirada antes das 18:30h e pedi repeteco do vinho tinto e da água (sem gás, pois a com gás não tinha sido embarcada)

Água e vinho na Executiva

– 10 minutos depois, a Comissária me perguntou se eu gostaria de ser despertado para o serviço de café da manhã; ela me informou que seriam por volta 02:00h no horário brasileiro e 02 opções de prato: frios ou ovos mexidos (minha escolha)

– depois de matar a fome, era hora de explorar o sistema de vídeo: a tela tem tamanho reduzido e resolução mais baixa em comparação a aeronaves que já têm configurações mais modernas (como o Boeing 777-300ER da própria LATAM, que já passou pelo processo de retrofit)

Sistema de vídeo do B767

– as opções de conteúdo são boas, com várias opções em português (áudio e legenda); escolhi para assistir “The Way Back” (O Caminho de Volta), filme lançado em março de 2020 estrelado por Ben Aflleck e que conta a história dramática de um ex-astro do basquete americano que tenta recomeçar a vida depois da morte do filho, divórcio e alcoolismo

Filme do voo

repito aqui o que já registrei em outras avaliações: o fone de ouvido é envolvido com plástico; se a ideia da LATAM é indicar que ele foi higienizado, acredito que o efeito é contrário, pois a aparência é muito feia; no mais, funciona razoavelmente bem, isolando de forma razoável o som da cabine

Fone de ouvido da Latam
Fone de ouvido da Latam

– lembrei de conferir a paisagem pela janela do Boeing 767: era o momento do pôr do sol, mais um dia se encerrava em algum lugar entre Brasil e Portugal

Pôr do Sol
Pôr do Sol

– por volta de 19:00h, a Comissária me entregou uma sacola para o caso da fome aparecer durante a “madrugada“: sanduíche de croissant, alfajor e copinho de água

Lanche da madrugada

– o cansaço bateu forte na parte final do filme que assistia e decidi dormir: os botões que colocam o assento na posição “cama” estão bem posicionados na parte superior da estrutura central; o cobertor e o travesseiro historicamente utilizados pela LATAM são de ótima qualidade, isto foi fundamental para que eu dormisse rápido e muito bem

Comandos da poltrona
Posição Cama da Executiva

– por volta de 02:10h, fui despertado pela Comissária, era hora do café da manhã; uns 03 minutos depois ela trouxe a bandeja completa: pães quentinhos, copo de plástico de iogurte com granola, suco de laranja (copo de plástico), potinho de geleia acompanhavam o prato principal de ovos mexidos com batatas; pedi café preto, servido em copo de papelão

Café da Manhã
Café da Manhã

– depois de recolher minha bandeja, a Comissária me entregou uma caneta e um formulário intitulado “Cartão de Localização de Passageiro“; eu não precisaria preencher, pois eu não ficaria em Portugal

Formulário imigração de Portugal

– eram 02:40h quando ouvimos uma comunicação vinda do cockpit, com o o Piloto informando que pousaríamos às 06:10h no horário local (a diferença de fuso horário entre Brasil e Portugal nesta época do ano é de + 3 horas), que o céu estava parcialmente nublado e que a temperatura era de 13 graus na capital lusitana

– ainda estava escuro lá fora e o reflexo da iluminação da cabine tornava impossível tirar fotos desta fase do voo

– o tradicional anúncio “Atenção, Tripulação preparar para o pouso” foi ouvido às 05:50h, o trem de pouso foi armado e travado às 06:05h e o pouso foi realizado de forma extremamente suave às 06:10h pela pista 21 que tem 3.705 metros de extensão; a duração total do voo foi de 09 horas e 42 minutos

– um nevoeiro leve cobria as pistas e eram 06:14h quando encostamos no terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de Lisboa

– a Chefe de Cabine fez uma série de alertas sobre as regras do processo de desembarque, que foi feito uns 10 minutos depois pela porta 1L do Boeing 767

Boeing 767 em Lisboa
Boeing 767 em Lisboa

AVALIAÇÃO GERAL: comprei passagem com pouca antecedência e com a concessão do upgrade para a classe Premium Business a relação custo-benefício se tornou muito boa; a assistência prestada pela Agente do Special Service foi ótima, ela se mostrou muito atenciosa; a impossibilidade de usar alguma Sala VIP em Guarulhos é um ponto negativo que pode ser apontado: abrir a sua própria Sala seria um exagero, de fato, mas acredito que seria oportuno que a LATAM negociasse um acordo com os administradores dos lounges que estão abertos para que seus passageiros pudessem contar com esta facilidade; o Boeing 767 é a minha aeronave “queridinha” e é sempre um prazer especial voar nela, mas a configuração da classe superior deste modelo de avião tem 02 grandes problemas: a configuração 2 x 2 x 2 e o sistema de vídeo, que já pode ser considerado ultrapassado; o voo partiu e chegou de forma pontual, o que é sempre um fator importante; os contatos com a tripulação de cabine são reduzidos durante o voo, mas em todos eles a Comissária que me atendeu demonstrou muito profissionalismo; os comunicados dos Pilotos foram sempre claros, passando dados do voo antes da partida e próximo do pouso; tendo em mente as restrições e particularidades da fase de enfrentamento da pandemia, achei as 02 etapas do serviço de bordo (jantar e café da manhã) bem satisfatórias; não considero um pecado as ausências do welcome drink, de água com gás e do espumante, em função disso; no geral, a experiência de um voo internacional transatlântico nesta fase diferente pode ser classificada como muito boa

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.