Voando com a Azul (Ponte RJ/SP)

– eu não fazia um flight report de um voo nacional há bastante tempo, mas uma série de fatores me levaram à oportunidade de voar e avaliar o trecho doméstico de maior fluxo de passageiros no Brasil: a Ponte Aérea entre Rio de Janeiro e São Paulo, cidades que estão distantes por apenas 227 milhas (cerca de 370 quilômetros)

A OBRA NO SANTOS DUMONT/SDU

– a pista principal do Aeroporto Santos Dumont/SDU (02R/20L, que tem 1.323 metros de extensão) estará em obras no período (previsto) de 24 de agosto até 21 de setembro de 2019

Pista 20L do Aer. Santos Dumont

– em função disso, LATAM BRASIL (que opera o Airbus A319 e A320) e GOL (com seus Boeings 737-700 e 737-800) transferiram todos os seus voos para o Aeroporto Galeão/GIG nesta fase

Boeing 737 da Gol pousando no Santos Dumont
Airbus A319 da Latam decolando no Santos Dumont

– somente os voos operados com aeronaves que têm condições técnicas de utilizar a pista auxiliar (02L/20R, que é menor e tem 1.260 metros de extensão) foram mantidos no aeroporto central carioca; foram os casos da PASSAREDO, que tem uma frota padronizada do turbo-hélice ATR voando de/para Ribeirão Preto/RAO e da AZUL, que manteve os voos para São José dos Campos/SJK, Campos dos Goytacazes/CAW e Ribeirão Preto/RAO, feitos também com o ATR-72, transferindo, via de regra, os demais para o Aer. Internacional na Ilha do Governador (com os E-Jets da Embraer), com exceção de uma única rota

ATRs da Passaredo e Azul no Santos Dumont

A AZUL NA PONTE AÉREA

– o processo de realocação de slots que antes estavam associados à “finada” AVIANCA BRASIL foi feito pela ANAC no final do mês de julho e beneficiou a AZUL, PASSAREDO, MAP e TWO FLEX

– a AZUL foi muito esperta e anunciou em 12 de agosto de 2019 que o tão aguardado serviço da Ponte Aérea seria lançado em 29 de agosto de 2019 com o Embraer E-195, que pode levar até 118 pessoas e tem características técnicas que permitem pousos e decolagens pela pista auxiliar, ou seja, durante mais de 03 semanas, a companhia reinará soberana na rota mais nobre da aviação brasileira

E-Jet da Azul no pushback no Santos Dumont
E-Jet da Azul pousando no Santos Dumont

– em outros comunicados, a AZUL também informou que, quando a pista principal for liberada, pretende colocar na Ponte o Airbus A320Neo, que tem capacidade para 174 passageiros

A320Neo da Azul decolando no Aer. de Brasília

– a campanha de marketing foi forte para anunciar a novidade e as 34 operações diárias: além dos diversos canais digitais, foram enviados e-mails para os clientes inscritos no programa Tudo Azul

Anúncio da Ponte Aérea no site da Azul
E-mail promovendo a Ponte Aérea da Azul

– além disso, nos voos inaugurais (CGH/SDU – voo 001 – e SDU/CGH – voo 002), a mídia especializada e vários influenciadores digitais estavam a bordo a convite da companhia, gerando uma grande repercussão no universo das redes sociais

A EMISSÃO DA PASSAGEM

– emiti a passagem no dia do anúncio (12 de agosto), utilizando o aplicativo para celular da AZUL, pois é a única forma de evitar a cobrança de uma taxa adicional de R$ 35,90 mesmo quando a emissão é feita diretamente nosite; eu não tinha como voar nos dias 29 (trabalho), 30 (trabalho) e 31 (aniversário de 18 anos da minha enteada) de agosto, por isso, me restou o domingo, dia 1º de setembro

– a diferença do número de pontos do Programa Tudo Azul para as opções de voo era grande (até 13.500); aquele, no sentido Rio-SP, com partida marcada para 09:45h era um dos poucos que estava sendo oferecido por apenas 4.500 pontos; era um horário razoávele decidi emitir, pagando ainda R$ 32,95 de taxa de embarque

– para o retorno ao Rio de Janeiro, os voos da própria AZUL estavam bem “caros”, com alta quantidade de pontos sendo exigida; o Programa Smiles também não se mostrou como uma boa opção, com exorbitante número de milhas – 35.000!!! – cobrado para um voo de 40 minutos de duração no fim de semana

– a LATAM apareceu nas minhas pesquisas como melhor opção: emiti passagem para o voo de 18:00h para o Galeãogastando 7.000 pontos do Programa Fidelidade, com a perspectiva de antecipação gratuita em função do meu status Black (quem acompanhou os Stories no Instagram conferiu que deu tudo certo e voltei para a Cidade Maravilhosa no voo de 11:20h)

A IDA PARA O SANTOS DUMONT/SDU

– acordei naquele domingo com um pouco de ressaca da festa de aniversário do dia anterior, peguei um Uber às 08:35h e cheguei perto de 09:00h no Santos Dumont; na parte externa, pouquíssimo movimento e alguns ônibus estacionados

Área Externa do Aer. Santos Dumont

– durante o período de obras neste terminal, GOL e LATAM estão oferecendo de forma gratuita um transporte de ônibus do SDU para o GIG; cartazes das 02 companhias informam os horários de partida

– as áreas de check-in da GOL e LATAM estavam desertas, apenas 01 solitário funcionário de cada companhia ocupavam as dezenas de balcões vazios; até nos guichês da AZUL o movimento de passageiros era pequeno

Área de Check-in do Aer. Santos Dumont
Área de Check-in do Aer. Santos Dumont
Área de Check-in do Aer. Santos Dumont

– acessar a área de controle de segurança foi moleza, sem filas, passei minha mochila pelo aparelho de raio-x em questão de segundos, se fosse sempre assim…

Acesso à Área de Embarque do Aer. Santos Dumont
Acesso à Área de Embarque do Aer. Santos Dumont

O EMBARQUE NO E-JET

– inexplicavelmente, a AZUL está utilizando de forma mais frequente os Portões 7 e 8 nesta fase de quase “monopólio” do SDU, que ficam no extremo esquerdo da área de embarque; os Gates 3, 4 e 5 ficam quase em frente à área de controle de segurança e seriam muito mais convenientes para os passageiros; a única razão que vejo como plausível é agradar os comerciantes dos quiosques que ficam no trajeto até a ponta do terminal

Área de Embarque do Aer. Santos Dumont

– os painéis eletrônicos indicavam que naquela manhã e tarde, a AZUL dominava as operações, com exceção de 01 único voo da PASSAREDO com destino a Ribeirão Preto/RAO e depois Brasília/BSB

Área de Embarque do Aer. Santos Dumont
Área de Embarque do Aer. Santos Dumont

– dei um pulo rápido na ponta do terminal, onde é possível ter uma vista ampla da área de estacionamento do Santos Dumont e onde são feitos os procedimento de (des)embarque remoto: um solitário ATR-72 da AZUL descansava de frente para a torre de controle do aeroporto

Aer. Santos Dumont – Pátio

– eram quase 09:20h e o embarque do voo AD4885 já estava sendo realizado pelo Portão 7, onde funcionários da companhia que atendiam aos clientes usavam uma camisa comemorativa da entrada na Ponte Aérea

Portão 7 do Aer. Santos Dumont
Portão 7 do Aer. Santos Dumont
Portão 7 do Aer. Santos Dumont
Portão 7 do Aer. Santos Dumont

– o E-195 escalado para este Shuttle Service até Congonhas tinha o prefixo PR-AXB, foi entregue à AZUL em dezembro de 2011 e recebeu o apelido de “Céu Azul de Brasília” (as fotos em tom esverdeado são consequências do vidro do prédio do aeroporto)

E195 da Azul do Aer. Santos Dumont
E195 da Azul do Aer. Santos Dumont
E195 da Azul do Aer. Santos Dumont

– o E-195 tem a configuração interna de cabine no esquema 2 x 2 (duas poltronas de cada lado), portanto, não tem o temido assento do meio; o chamado Espaço Azul (as 05 primeiras fileiras com assentos que oferecem 07 centímetros a mais de distância entre elas) custava R$ 45,00 (ou 2.648 pontos do Programa Tudo Azul); eu tenho status Safira no Programa e, por isso, ganhei no 02 cupons para usar esta facilidade de forma gratuita, que já foram utilizados no passado; estes assentos estão revestidos de couro em tom cinza claro

Assento Espaço Azul no E195 da Azul
Preço do Espaço Azul

– meu assento, prévia e gratuitamente marcado, era o 6D, uma janela do lado direito do E-Jet, logo à frente do motor; a minha visão direta era da coluna da aeronave, para tirar fotos ou apreciar a vista da janela tinha que me inclinar para frente ou virar de lado; a poltrona era revestida de couro em tom cinza mais escuro e tinha aspecto de desgastado

Assento 6D do E195 da Azul
Assento 6D do E195 da Azul
Assento 6D do E195 da Azul
Assento 6D do E195 da Azul

– o espaço para pernas neste avião de fabricação brasileira era bem razoável (a AZUL informa que são 79 centímetros entre as fileiras); nesta aeronave, não há tomada ou porta USB para carregar o celular

Espaço para pernas no E195

– a tela do sistema de vídeo está instalada na parte de trás do encosto de cabeça do assento da frente; o tamanho dela é reduzido e a resolução é baixa; o controle remoto está instalado na ponta do braço da poltrona e o fone de ouvido foi oferecido na porta da aeronave no momento do embarque

Tela do Sistema de Vídeo do E195 da Azul
Controle Remoto do sistema de vídeo do E195 da Azul
Fone de Ouvido do sistema de vídeo do E195 da Azul

– eram 09:31h quando foi feito um anúncio de que o embarque estava encerrado e, 03 minutos depois, as portas foram fechadas; partiríamos com alta ocupação, acima de 90%

– o vídeo com as instruções de segurança começou a ser exibido de forma obrigatória nas telas do sistema de vídeo; eu ainda não tinha visto esta nova versão, lançada pela AZUL em maio de 2019 e gostei: uma animação bem divertida com uma música que explora a “diversidade cultural do país” (segundo Comunicado da companhia)

Vídeo de Instruções de Segurança da Azul
Vídeo de Instruções de Segurança da Azul
Vídeo de Instruções de Segurança da Azul
Vídeo de Instruções de Segurança da Azul

– se algum passageiro ficar com dúvidas sobre as instruções de segurança do Embraer 195,= pode consultar um cartão com todas elas que a AZUL coloca no bolsão da poltrona da frente

O VOO PARA CONGONHAS/CGH

– antes da partida, tivemos um anúncio pelo sistema de áudio pela Comissária-Líder (é desta forma que a Chefe de Cabine se identifica nos voos da AZUL) dando as boas-vindas a todos; aquele voo seria suportado por 03 Comissárias no total

– logo depois, foi a fez do Comandante usar o microfone para informar que teríamos 45 minutos de voo, com tempo bom em rota e, também, no nosso destino, o Aer. de Congonhas

– o procedimento de pushback foi iniciado às 09:36h, partiríamos com sobra de quase 10 minutos, o que foi muito oportuno, afinal, eu faria quase uma conexão imediata em CGH para pegar o voo de volta para o Rio

– fizemos um rápido taxiamento até a cabeceira da pista, passando pelos portões desertos do SDU, que ficarão assim até o final de setembro

Taxiando no E195 da Azul no SDU
Taxiando no E195 da Azul no SDU
Taxiando no E195 da Azul no SDU
Taxiando no E195 da Azul no SDU

– no alinhamento para decolagem, foi possível ver que muitas máquinas e funcionários ocupavam a região da cabeceira 02R; o Embraer fez a curva para esquerda e imediatamente iniciou a aceleração; pelo que me lembro, foi minha primeira decolagem pela pista 2L (que tem apenas 63 metros a menos do que a principal) nestes tantos anos de voos semanais a trabalho

Aer. Santos Dumont – Cabeceira em obras
Aer. Santos Dumont – Cabeceira em obras

– o E-Jet demorou menos de 25 segundos para sair do chão, com os motores General Electric CF-34 trabalhando em potência máxima; a aeronave fez uma curva de cerca de 90 graus a direita, em direção à vizinha Niterói, para, alguns segundos depois, fazer uma nova curva para a direita em direção ao Oceano Atlântico passando por cima da Lagoa de Piratininga e, finalmente, rumar para o sul, em direção a São Paulo; infelizmente, o dia estava nublado, os registros desta fase inicial do voo não refletem a beleza da paisagem

Fase inicial do voo entre Rio e São Paulo
Fase inicial do voo entre Rio e São Paulo
Fase inicial do voo entre Rio e São Paulo
Fase inicial do voo entre Rio e São Paulo
Fase inicial do voo entre Rio e São Paulo
Fase inicial do voo entre Rio e São Paulo

– ainda antes de 09:50h, a Líder passou pelo corredor central e anotou a escolha das bebidas dos passageiros (eu pedi coca-zero; água e sucos eram as outras opções)

– a AZUL tem parceria com a operadora de TV por Assinatura SKY, que tem seus canais ao vivo como a melhor opção de entretenimento a bordo; minha 1ª escolha acessando o sistema foi ver a parte final do Campeonato Mundial de Judô por equipes (Brasil pegou o bronze!) e, depois, assisti um pouco da Copa do Mundo de basquete masculino (Grécia e Montenegro)

Sistema de vídeo – Basquete (ao vivo)
Sistema de vídeo – Judô (ao vivo)
Sistema de vídeo – Judô (ao vivo)

– olhando pela janela do E-Jet, a paisagem era muito bonita: sol com nuvens; entretanto, tirar fotos era um desafio, pois arranhões circulares na parte externa prejudicavam o foco delas

Ranhuras da janela do E195
Janela do E195 – Voo entre RJ e SP
Janela do E195 – Voo entre RJ e SP
Janela do E195 – Voo entre RJ e SP

– na Ponte Aérea, a AZUL inovou no serviço de bordo; ao invés de oferecer diversos produtos naquela grande cesta de madeira, por volta de 09:55h, foram distribuídos saquinhos de pano, com 03 produtos dentro: balinhas em forma de avião, biscoito “Pão na Chapa” e um bolinho recheado de chocolate

Serviço de Bordo da Azul na Ponte Aérea
Serviço de Bordo da Azul na Ponte Aérea

– as bebidas escolhidas foram entregues logo em seguida (no meu caso, aquela latinha pequena de refrigerante) e, 10 minutos depois, ainda foi oferecido café (obviamente, eu aceitei!)

Serviço de Bordo da Azul na Ponte Aérea
Café no Serviço de Bordo da Azul na Ponte Aérea

– diferentemente dos procedimentos adotados por GOL nos seus Boeings e pela LATAM nos seus Airbus, a AZUL não usa um carrinho para recolher o lixo produzido pelos passageiros com o serviço de bordo; eram 10:10h, quando uma Comissária passou com um sacolão preto e colocava tudo dentro dele

– foi feito um anúncio pela Líder de que os passageiros que compraram passagens (não era o meu caso) seriam agraciados com 1.000 pontos adicionais no Programa Tudo Azul como bônus daquele voo de Ponte Aérea

– olhando para o monitor do passageiro que viajava ao meu lado, vi que ele estava assistindo ao GP da Bélgica da Fórmula 1: eu tinha esquecido completamente da corrida daquele domingo; coloquei também no mesmo canal e consegui pegar o replay do acidente de Max Verstappen com Kimi Raikkonen logo depois da largada

Sistema de vídeo – Fórmula 1 (ao vivo)
Sistema de vídeo – Fórmula 1 (ao vivo)

– pegamos um pouco de turbulência na fase final do voo nada de sério ou preocupante; eram 10:25h quando foi feito o anúncio vindo do cockpit: “tripulação preparar para o pouso”, era hora de fazer as últimas conferências de que a cabine estava pronta; a aproximação para Congonhas demonstra a grandiosidade de São Paulo, são alguns minutos sobrevoando as construções da cidade, que vão ficando cada vez mais perto

Aproximação para pouso no Aer. de Congonhas
Aproximação para pouso no Aer. de Congonhas
Aproximação para pouso no Aer. de Congonhas
Aproximação para pouso no Aer. de Congonhas
Aproximação para pouso no Aer. de Congonhas

– o trem de pouso do E-195 foi acionado e travado 02 minutos depois e o pouso pela pista 35L de Congonhas, que tem 1.940 metros de extensão, foi realizado de extremamente forma segura às 10:32h

Pouso no Aer. de Congonhas
Pouso no Aer. de Congonhas
Pouso no Aer. de Congonhas

– o tempo estava nublado na capital paulista; desembarquei pelo Portão 7 e as pontes de embarque e as grandes janelas de vidro do terminal em Congonhas permitem uma ótima visão do pátio do aeroporto

E195 da Azul no Aer. de Congonhas
E195 da Azul no Aer. de Congonhas
E195 da Azul no Aer. de Congonhas
E195 da Azul no Aer. de Congonhas

– fui ao banheiro e menos de 05 minutos depois já era hora de embarcar pelo Portão 5 para voltar para o Rio de Janeiro (Galeão/GIG) a bordo do Airbus A319 (prefixo PT-TMD) da LATAM

AVALIAÇÃO GERAL: a quantidade de pontos que “torrei” do Programa Tudo Azul para um voo de Ponte Aérea, mesmo em um final de semana, teve uma ótima relação custo-benefício; eu nunca entendi muito bem a razão da AZUL cobrar uma “taxa de conveniência” para emissão de passagens pelo site da companhia, para mim não faz sentido a isenção atingir somente a compra via aplicativo do celular; o Aer. Santos Dumont é mais cômodo para quem mora no Zona Sul, Centro e Tijuca, o que é meu caso; manter a rotina de partir do Santos Dumont para mim tem seu valor, pois o deslocamento para o Galeão é mais demorado e mais caro; com poucas pessoas transitando, a experiência de passar por este terminal é ótima; o voo partiu e chegou no horário, o que foi extremamente providencial; o Embraer 195 é uma bela máquina, eu adoro voar nele; a ausência da poltrona do meio é sempre um fator positivo, mas é preciso pontuar alguns negativos: ausência de tomada para carregar equipamentos eletrônicos, estado das janelas (arranhões) e localização das poltronas, sem visada direta para as janelas; a atitude de tripulação da AZUL foi (como sempre) positiva, continua sendo um diferencial; todos os contatos com as Comissárias foram atenciosos; a comunicação da cabine de comando com os passageiros foi clara e eficiente; com relação ao serviço de bordo: sem dúvidas, o melhor das companhias nacionais, com destaque para a variedade de bebidas e o café, mas, como passageiro, eu prefiro poder ter a opção de escolher o snack, a opção de distribuir uma sacolinha com “porteira fechada” não me agradou muito; no geral, foi muitíssimo interessante voar e avaliar este voo de Ponte Aérea


2 respostas
  1. Júnior
    Júnior says:

    Mto bom!
    Tomara que preços competitivos sejam uma constante e n apenas agora. P o público, é excelente.
    Sobre os vidros, tomadas e tal, acho q tem a ver com as aquisições dos novos E-2 (que estou mto curioso p ver como serão). Mas mesmo assim acho q deveria ser atualizado…
    Parabéns pelo conteúdo, mais uma vez!

    Responder
    • V&A
      V&A says:

      Obrigado, Júnior! Eu também quero muito ver como serão os E-2s! Espero que consiga voar e avaliar logo que entre em operação! Bons voos!

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.