VOANDO COM A COPA (PTY/GIG)

– chegamos à última etapa da Volta ao Mundo de 2019, hora de, finalmente, pegar um voo diretamente para casa e matar a saudade do resto da família, afinal, a Patroa me acompanha na aventura desde Nova York

– depois de sair do Brasil, passar pela Europa, Oriente Médio, Ásia, América do Norte e Caribe, chegou a hora de rumar para da América Central para a terrinha; a distância entre Panamá City/PTY e Rio de Janeiro/GIG é de 3.285 milhas (cerca de 5.280 quilômetros)

A EMISSÃO DA PASSAGEM

– todos os detalhes da emissão deste ticket já foram expostos na avaliação completa do voo anterior deste giro ao redor da Terra; neste flight report, vou fazer um resumo executivo

– a Patroa não se sentiu bem horas antes de nossa partida de St. Maarten para Miami e perdemos nosso voo com a AMERICAN AIRLINES; fiz muitas pesquisas para arrumar um novo jeito de voltar para casa e a COPA AIRLINES e o Programa Smiles acabaram surgindo como a melhor alternativa; a companhia panamenha opera 03 voos semanais entre a Cidade do Panamá e St. Maarten

– a quantidade de milhas exigida era alta, mas considerando a nossa situação e a mínima antecedência (algumas horas antes da partida), a opção de emissão com milhas + dinheiro (Smiles&Money) acabou sendo oportuna

– para a emissão dos bilhetes do voo mais longo, entre Panamá e Rio de Janeiro, de classe Executiva, tive que gastar 15.000 milhas + R$ 1.574,00 (por pessoa)

O VOO ATÉ O PANAMÁ/PTY

– passamos 04 dias maravilhosos na ilha de St. Marteen e partimos de lá no voo que foi operado pelo Boeing 737-800 da COPA AIRLINES de prefixo HP-1856CMP, que tem instalado nas pontas das asas o chamado Split Scimitar Winglet, uma viagem de cerca de 03 horas de duração

Embarque no B737 da Copa Airlines

– eu voei na classe Econômica (a Patroa foi na Executiva) e foi um voo bem tranquilo (confira a avaliação completa AQUI), com destaque para a decolagem em St. Maarten, o vídeo está publicado no canal do YouTube do V&A

O EMBARQUE NO BOEING 737-800

– a Lei de Murphy existe, eu sempre acreditei nela, vamos entender a razão de eu afirmar isso

– o Aeroporto da Cidade do Panamá tem 02 pistas paralelas: a 3R/21L é a maior (com 3.050 metros de extensão) e fica mais perto do terminal de passageiros e a 03L/21R tem 2.682 metros, está mais afastada e foi justamente por ela que pousamos; o taxiamento é bem mais longo foram preciosos minutos taxiando pela pista auxiliar

– para piorar, o portão 108 foi utilizado para o desembarque do voo que chegou de St. Maarten: ele está localizado no extremo direito do terminal

Boeing da Copa no Portão 108 do Aer. do Panamá

– a caminhada seria longa e, para tornar o cenário ainda mais crítico, todas as esteiras rolantes que poderiam ajudar a acelerar o trajeto até o portão 135 estavam interditadas; implementamos um ritmo alucinante, não dava tempo nem de olhar as vitrines das muitas lojas de Free Shop do aeroporto

Área de Embarque do Aer. do Panamá
Área de Embarque do Aer. do Panamá
Área de Embarque do Aer. do Panamá
Área de Embarque do Aer. do Panamá
Área de Embarque do Aer. do Panamá
Área de Embarque do Aer. do Panamá

– a correria foi tensa até o portão 135, que fica na parte central da área de embarque; para nossa tranquilidade, quando chegamos, algumas pessoas ainda estavam na fila para entrar no avião, ou seja, no final chegamos com alguns minutos de sobra

Portão 135 no Aer. do Panamá
Portão 135 no Aer. do Panamá

– as janelas do Aeroporto Tucumen estavam muito sujas (arrisco a dizer que foi a mais imunda que já vi pelos aeroportos do mundo), por isso os registros do Boeing 737 que nos levaria até o Rio de Janeiro acoplado na ponte de embarque têm péssima qualidade; a aeronave escalada para o voo CM873 tinha o prefixo HP-1831CMP, foi entregue à COPA AIRLINES em abril de 2013 e também tem nas asas o Split Scimitar Winglet

Boeing 737 da Copa no Aer. do Panamá
Boeing 737 da Copa no Aer. do Panamá
Boeing 737 da Copa no Aer. do Panamá

– na porta da aeronave, um Comissário dava uma protocolar recepção aos passageiros, sem empatia alguma; eu não tinha conseguido marcar assentos juntos neste voo: eu estava na poltrona 4F e a Patroa na 1F; quando a passageira que sentaria na 1E chegou perguntei se ela concordava com a troca de assentos; era uma simpática senhora brasileira, que se dispôs sem problemas a ir para o meu lugar e viajar na 4ª e última fileira da classe superior; uma pequena manta e um minúsculo travesseiro já estavam disponíveis aos passageiros

Assento 1F da Business da Copa Airlines
Controles de Comando da Poltrona no B737 da Copa

– a configuração interna do classe Executiva neste avião da COPA AIRLINES era no esquema 2 x 2 (duas poltronas de cada lado, na Classe Econômica, são três), com 16 assentos no total, todos ocupados, ou seja, casa cheia neste voo para o Brasil; as poltronas eram revestidas de couro azul escuro e tinham uma aparência de velha

Inside Cabin da Business da Copa Airlines

não foi oferecido welcome drink, nem mesmo um mísero copo de água, que teria sido muito bem-vindo, afinal a sede era grande depois da correria entre os gates 108 e 135

– logo depois que foi feita a distribuição do cardápio, um Comissário com cara de sério veio até nós e anotou os pedidos de prato principal; eram 02 opções: Patroa foi de salmão e eu de peito de frango) e bebida (ela pegou leve pedindo água e eu escolhi espumante – Chandon Brut)

Menu – Executiva da Copa Airlines
Menu da Executiva – Pratos Principais
Opções de bebidas – Executiva da Copa Airlines

– ainda antes da partida, tivemos um anúncio do Chefe de Cabine pelo sistema de áudio informando que teríamos 06 horas e 55 minutos de voo até a Cidade Maravilhosa

O VOO PARA O RIO DE JANEIRO/GIG

– as portas do B737 foram fechadas às 15:12h, mas o procedimento de pushback só foi iniciado às 15:20h, ou seja, partíamos com apenas 05 minutos de atraso; naquele momento, qualquer atraso no voo era positivo para nós, por conta da dúvida cruel: nossas malas também “correram” para dentro do porão do novo avião?

Pushback no Aer. do Panamá
Pushback no Aer. do Panamá

– durante o taxiamento, quando passamos por muitos outros Boeings da COPA AIRLINES e pelo novo terminal de passageiros, inaugurado recentemente, o Comandante usou o sistema de áudio para dar um “alô”, terminado seu speech em português: tínhamos um brasileiro no cockpit

Taxiando no Aer. do Panamá
Taxiando no Aer. do Panamá

– eram 15:28h quando finalmente chegamos na cabeceira 3R (a mais distante do terminal de passageiros) e ficamos cerca de 05 minutos em posição de espera, antes de fazer o alinhamento na cabeceira, apesar de nenhuma outra aeronave estar em procedimento de pouso

Cabeceira 03R do Aer. do Panamá

– finalmente, às 15:35h a aeronave começou a andar, fazendo uma curva à esquerda e iniciando a decolagem: foram 37 segundos de aceleração em potência máxima dos 02 motores CFM56 até tirar o B737 do chão

Alinhamento na Cabeceira 3R do Aer. do Panamá
Decolagem no Aer. do Panamá
Decolagem no Aer. do Panamá

– passamos por muitas nuvens nos primeiros minutos de voo, provocando um pouco de turbulência, mas nada preocupante, os pilotos tiveram habilidade para dribá-las

Fase inicial do voo – Panamá/Rio
Fase inicial do voo – Panamá/Rio

– logo depois que o sinal de apertar cintos foi apagado, o Comissário deu início à distribuição da necessaire e fiquei surpreso (negativamente): era exatamente a mesma que ganhei 03 anos atrás, quando voei e avaliei a COPA AIRLINES (no sentido inverso, do Brasil para o Panamá, confira como foi AQUI)!!!!

Necessaire da Copa Airlines

– em seguida, foi a vez de ser entregue aos passageiros da Executiva o fone de ouvido para o sistema de vídeo: era bem simples e pequeno; e dei azar: depois que comecei a assistir o conteúdo disponível, descobri que tinha um mau contato no plug de conexão, pois a toda hora que me mexia, o som era perdido, muito irritante

Fone de Ouvido – Copa Airlines

– comecei logo a testar sistema de entretenimento; o monitor fica escondido no braço central da poltrona; é preciso fazer um certo malabarismo para colocar a pequena tela na posição certa para assisti-la

Tela do Sistema de Vídeo – Executiva da Copa Airlines

– a resolução é baixa e não há controle remoto, a navegação só podia ser feita pelo rebelde e desobediente sistema touchscreen

Tela do Sistema de Vídeo – Executiva da Copa Airlines

– em termos de conteúdo, estão disponíveis filmes (apenas 04 na opção “Lançamentos Recentes”), programas de TV, portfólio de música, jogos e Infantil; são três línguas: espanhol, português e inglês

Conteúdo do sistema de entretenimento da Copa Airlines
Conteúdo do sistema de entretenimento da Copa Airlines
Conteúdo do sistema de entretenimento da Copa Airlines

– escolhi para assistir o filme “Maus Momentos no Hotel Royale”, com Jeff Bridges e Dakota Johnson, que conta uma história muito doida de 07 malucos que se encontram em um hotel na fronteira dos estados americanos de Nevada e Califórnia; a COPA AIRLINES faz parte da lista de companhias aéreas que exibe propagandas antes do inicio do filme, mais um item para me irritar

Filme “Maus Momentos no Hotel Royale”
Propaganda da Copa Airlines
Propaganda da Copa Airlines

– olhando pela janela do Boeing, o sol estava forte, com a quantidade de nuvens aumentando aos poucos

Em algum lugar entre Panamá e Rio
Em algum lugar entre Panamá e Rio

– eram 16:00h quando um potinho de nuts quentes (gostosinhos) e o copo de espumante (em boa temperatura, mas a taça era pequena) foram servidos

Espumante e potinho de nuts

– logo em seguida, tivemos mais um anúncio do Comandante “brazuca” (falando em inglês primeiro e depois em português) dando uma série de informações sobre a viagem: voaríamos a 33000 pés (o equivalente a 10 quilômetros) de altitude, praticamente em linha reta, passando pela Colômbia, em cerca de 02 horas já alcançaríamos o espaço aéreo brasileiro, seriam 03 horas passando por cima da Amazônia (tendo como referências Porto Velho, Cuiabá e Brasília); 00:17h era a previsão de pouso no Galeão

– por volta de 16:10h foi entregue uma bandeja com a entrada do serviço de bordo, o que foi uma surpresa, pois não estava indicado no menu: sopa de abóbora com gengibre, um potinho de salada (alface, pepino e tomatinho) e pão com manteiga

Serviço de Bordo – Executiva da Copa Airlines

– cerca de 20 minutos depois, foi a vez de ser entregue o prato principal: meu frango com purê estava bem gostoso, mas a porção de comida é reduzida

Serviço de Bordo – Prato Principal

– a opção de sobremesa era única, uma combinação de 02 doces: torta de coco e chocolate branco + cheesecake com caramelo

Serviço de Bordo – Sobremesa
Menu da Executiva – Sobremesa

– os talheres fornecidos pela COPA AIRLINES para a refeição eram de aço inox, com uma discreta logomarca da companhia na ponta

Talheres da Executiva da Copa Airlines

– quando pedi mais uma “dose” de espumante, o “simpático” (ou não) Comissário informou que tinha acabado, com clara indicação de que 01 única garrafa de Chandon tinha sido embarcada naquele voo; minha opção foi tomar um vinho branco

– eram 17:40h quando resolvi dar uma espiada pela janela do Boeing e pude apreciar um belo final de tarde, com um colorido pôr do sol

Em algum lugar entre Panamá e Rio de Janeiro
Em algum lugar entre Panamá e Rio de Janeiro

– por volta de 18:20h, fui testar a opção “Mapa de Voo” do sistema de entretenimento; ele fornecia alguns dados mais básicos e real time sobre o voo: ainda faltavam 03 horas e 55 minutos de voo, nossa altitude era de 10.668 metros e estávamos a uma velocidade de 818 km/h

Mapa de Voo do B737 da Copa Airlines
Mapa de Voo do B737 da Copa Airlines
Mapa de Voo do B737 da Copa Airlines

– chegou a hora de conferir como estava o banheiro do B737; os passageiros da Executiva usam o único toalete instalado na parte dianteira da aeronave, lado esquerdo, atrás do cockpit (existem mais dois na traseira); naquele momento, estava limpo, mas é pequeno: escovar os dentes é uma tarefa chata; amenidades não são oferecidas pela COPA AIRLINES

Banheiro do B737 da Copa – Pia
Banheiro do B737 da Copa – Vaso

– na volta, resolvi empacar um 2º filme: “Liga da Justiça”, eu já tinha assistido, mas, como passatempo, valia a pena rever

– eram 19:40h quando um lanche foi oferecido aos passageiros da Business: pão com queijo, salames e azeitonas; pedi repeteco de vinho branco para acompanhar

Menu da Executiva – Lanche Final
Lanche Final – Executiva da Copa Airlines

– um anúncio do Comandante informou que em 03 minutos começaríamos o procedimento de descida, com horário de pouso no Rio de Janeiro confirmado para 00:15h; a temperatura informada no nosso destinado era de 25 graus

– logo em seguida começou a ser exibido de forma obrigatória nos monitores um vídeo da Receita Federal do Brasil dando explicações sobre as regras de “aduana” em nosso país

Vídeo da Receita Federal – Brasil
Vídeo da Receita Federal – Brasil
Vídeo da Receita Federal – Brasil

– instantes depois, a tripulação orientou os passageiro da classe Executiva a recolher as telas do sistema de entretenimento, guardando-as no compartimento do braço central; os fones de ouvido foram recolhidos

– o trem de pouso foi armado e travado às 22:08h (00:08h no horário brasileiro – o fuso horário entre Brasil e Panamá é de -2 horas nesta época do ano) e pousamos “com força” 04 minutos depois pela Pista 15 do GIG, que tem 3.180 metros de extensão

Aproximação para pouso no Aer. do Galeão
Aproximação para pouso no Aer. do Galeão
Aproximação para pouso no Aer. do Galeão
Aproximação para pouso no Aer. do Galeão

– o pátio do Aer. do Galeão estava quase deserto, uma imagem desanimadora; o Boeing 737-800 da COPA AIRLINES seria a única aeronave na área internacional

taxiamos lentamente e só encostamos no terminal de passageiros do GIG às 00:20h; depois de sairmos do avião, começamos a típica e longa caminhada da área de desembarque até a área do controle de passaporte brasileiro, que é feito por catracas eletrônicas, o que agiliza o processo

Aer. do Galeão – Desembarque

– nossas malas chegaram direitinho na esteira 3, ou seja, a COPA AIRLINES foi muito eficiente no processo de conexão no Aeroporto do Panamá, mesmo com o reduzido tempo, a companhia conseguiu transferir nossas bagagens de uma aeronave para outra

Aer. do Galeão – Esteira de Bagagem

– a enorme loja de Free Shop do Galeão estava deserta, nós éramos os primeiros passageiros a passar por lá, pois nenhum outro voo internacional chegara naquela hora

Aer. do Galeão – Free Shop
Aer. do Galeão – Free Shop

AVALIAÇÃO GERAL: a relação custo-benefício para a emissão de milhas do Programa Smiles com a COPA AIRLINES não é nada boa, considerando a duração do voo e o produto em si, mas a circunstância emergencial alivia um pouco este aspecto; a conexão rápida no Aeroporto do Panamá foi “com emoção”, mas deu tudo certo, apesar de ter perdido a oportunidade de passar na Sala VIP para conferir como está o serviço por lá; conseguimos pegar nosso voo para a Cidade Maravilhosa, que saiu com um pequeno atraso, pousou dentro do horário previsto e as malas chegaram, o que é mais importante no final; o Boeing 737 pode funcionar bem até mesmo para um voo de 07 horas de duração, mas os assentos da classe Executiva são totalmente ultrapassados e oferecendo baixo nível de conforto, a companhia panamenha deveria, como medida de transparência e justiça, mudar o nome do produto e não usar “Executiva” (algo como “Premium Economy” inspirada na LATAM, por exemplo); ganhei a mesma necessaire (básica, sem nada diferenciado) da avaliação de 03 anos atrás, sem duvidas, é algo que a empresa tinha que pensar em mudar para agradar os passageiros de classe superior; o sistema de vídeo tinha poucas opções de conteúdo e com um irritante mau funcionamento, tanto no sistema touchscreen, quanto no plug do fone de ouvido, que por sinal, era bem simples; o serviço de bordo me agradou, os pratos poderiam ser mais fartos, mas estavam saborosos; ficou evidente que companhia restringe o número de garrafas embarcadas de bebidas alcoólicas; a atitude da tripulação de cabine foi muito ruim, com total falta de empatia; de forma geral, com vontade zero de agradar, desde a recepção na porta da aeronave até o atendimento no serviço de bordo; tivemos apenas um ou outro lampejo de cortesia nas interações; já a comunicação vinda do cockpit (em português) foi sempre informativa e tempestiva; no geral, não foi uma experiência das melhores com a COPA AIRLINES

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] AQUI como foi o voo dos Estados Unidos para o Caribe), voltei a voar com a COPA AIRLINES (confira AQUI como foi o voo do Panamá para o Rio de Janeiro) e a Patroa me acompanhou na parte final do giro ao […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.