VOANDO COM A LATAM (GRU-AEP)

 – esta viagem para a Argentina é o último capítulo do meu esforço para manter o meu statusBLACK no Programa Fidelidade da LATAM em 2018; as viagens para Bogotá/BOG (em outubro – confira AQUI) e Los Angeles/LAX (em novembro – confira AQUI) foram importantes para acúmulo dos chamados “Pontos Elite“, afinal, a distância em milhas é um dos critérios utilizados no Programa para qualificação dos passageiros frequentes; mas eu também precisava acumular voos em classe superior
– para explicar melhor, de acordo com as regras do Programa Fidelidade, o status BLACK pode ser garantido de 03 formas: (1) acúmulo de 100.000 pontos Elite em voos da LATAM ou companhias parceiras da aliança ONE WORLD, (2) completar 100 trechos voando com a LATAM e (3) acúmulo de 60.000 pontos Elite em voos da LATAM ou companhias parceiras da aliança ONE WORLD + 06 trechos voados em cabine superior em voos da LATAM; eu estava perseguindo preencher as condições da Regra 3
– esta viagem foi cheia de emoções: a delas foi a “surpresinha de mau gosto” de um cancelamento de voos e falta de providências eficientes pela LATAM em função disso; a delas, foi uma forte gripe que peguei na véspera da viagem
A BARBEIRAGEM DA LATAM
– emiti a passagem no início de fevereiro de 2017 (isso mesmo, com 10 meses de antecedência!!!), voos diretos entre Rio de Janeiro e Buenos Aires em classe Premium Economy (o custo total foi de R$ 1.200,00)
 – 72 horas antes do voo, tentei fazer o check-in pela Internet, mas eu recebia uma mensagem de erro; esperei o dia seguinte, acessei novamente o site da LATAM  e continuei recebendo a mensagem indicativa para ligar para a Central de Vendas da companhia; foi o que fiz e qual não foi a minha surpresa: os meus voos tinham sido cancelados e eu não tinha sido comunicado e nem reacomodado
– segundo a atendente, foi enviado e-mail (tenho convicção de que não recebi) e foi deixado recado na minha caixa-postal do celular (tenho certeza que não); não adiantava discutir sobre a falha grave, eu tinha que encontrar um jeito de fazer os voos para preencher os requisitos para manter o meu cartão BLACK no Programa Fidelidade
– depois de um longo (e, reconheço, atencioso) atendimento na Central de Atendimento da LATAM, a única (e cansativa) alternativa que me restou foi esta:
  • na ida: sair do Galeão no final da manhã, fazer uma conexão de cerca de 03 horas em Guarulhos/GRU; pegar um outro voo para o Aeroporto Aeroparque/AEP (o terminal central da capital argentina) onde chegaria por volta de 16:00h
  • na volta: sair do Aeroporto de Ezeiza/EZE (que fica a cerca de 40 quilômetros do centro de Buenos Aires) de madrugada (05:00h), fazer uma conexão rápida em Santiago do Chile/SCL (apenas 01:15h) e voar para o Rio de Janeiro onde chegaria às 13:55h no Galeão/GIG
– o foco desta avaliação será o voo entre Guarulhos/GRU e Buenos Aires/AEP, que estão distantes por 1.052 milhas  (cerca de 1.600 quilômetros)
A GRIPE QUE ME DERRUBOU
– o 2º problema fora do meu controle que aconteceu foi o seguinte: durante a semana, minha filha tinha pego uma gripe típica de crianças de 05 anos que frequentam escolas; na noite anterior ao voo, comecei a me sentir mal, com dores no corpo e nariz muito irritado; quando acordei de manhã para ir para o aeroporto, eu me sentia muito mal; por muito pouco, não chutei o balde e voltei a dormir, mas o compromisso com a missão do Programa Fidelidade me levantou; minha esposa preparou um pequeno coquetel de remédios e fui embora para o Galeão
A IDA PARA GUARULHOS/GRU
– a caminhada no Galeão até os portões de embarque pode ser longa ou muito longa, são as 02 únicas opções; dei sorte, o Portão B27, seria utilizado para o embarque do voo JJ3992 (com partida marcada para 10:05h), é um dos primeiros do Setor B, a ida até lá foi “apenas” longa
– no caminho, as grandes (e sujas!) janelas de vidro do saguão de embarque permitem uma ampla visão do pátio de manobras; registrei a concentração de aeronaves da AVIANCA no Setor A (para esta área do GIG a caminhada é muito longa) e um Boeing 767-300ER da LATAM que tinha acabado de chegar dos Estados Unidos

Muitos Airbus da AVIANCA no GIG

Boeing 767-300ER da LATAM taxiando no GIG

– o Airbus A321 da LATAM de prefixo PT-MXP e que tem “sharklets” instalados nas pontas das asas me levou até Guarulhos; sentei no assento especial de uma das saídas de emergência deste cumprida aeronave; a LATAM no Brasil opera uma frota de 31 A321s; os assentos 12A (lado esquerdo) e 12F (lado direito) oferecem muito espaço para as pernas, pois não tem assento instalado na frente

A321 da LATAM – Prefixo PT-MXP

Assento 12A – Airbus A321 da LATAM

– partimos no horário da pista 33, que fica paralela à Linha Vermelha (via expressa que liga o Centro da Cidade Maravilhosa à Baixada Fluminense); a decolagem em dias de sol no Rio de Janeiro é sempre prazerosa

A321 decolando no Rio de Janeiro (Galeão)

A321 decolando no Rio de Janeiro (Galeão)

O EMBARQUE NO AIRBUS A320
 
– na conexão em GRU, passei pela Sala VIP da companhia AMERICAN AIRLINES, parceira da LATAM na aliança global ONE WORLD; não vou dar mais detalhes deste Lounge, pois passaria novamente por ele na semana seguinte, a caminho de Londres/LHR e preferi deixar para compartilhar a experiência deste lounge na avaliação completa deste voo para a Europa a bordo do Boeing 777-300ER
– passar por Guarulhos é sempre um prazer para os apaixonados por aviões, pois muitos aviões de grande porte chegam ao Brasil somente por lá; com janelas bem mais limpas do que no Galeão, neste dia registrei as máquinas da UNITED AIRLINES (Boeing 787), TAP (Airbus A330), ALITALIA (Boeing 777), LATAM (Boeing 787 e Boeing 767), AIR CANADA (Boeing 777) e BRITISH AIRWAYS (Boeing 777)

Boeing 787 da UNITED AIRLINES em Guarulhos

Airbus A330 da TAP em Guarulhos

Boeing 777 da ALITALIA em Guarulhos

Boeing 787 da LATAM CHILE em Guarulhos

Boeing 777 da BRITISH AIRWAYS em Guarulhos

Boeing 777 da AIR CANADA em Guarulhos

Boeing 767 da LATAM Brasil em Guarulhos

– o embarque para o voo JJ8088 foi iniciado às 13:25h pelo Portão 307, no Terminal 3 de Guarulhos, o mais novo e moderno deles; o Airbus A320 prefixo PR-MAP, que carrega as cores da LATAM Brasil desde dezembro de 2002, estava escalado para este voo até a capital argentina

Airbus A320 – prefixo PR-MAP – da LATAM (ao centro)

Airbus A320 – prefixo PR-MAP – da LATAM

Airbus A320 – prefixo PR-MAP – da LATAM

– em 2015, a LATAM lançou um novo conceito de classe superior de cabine para voos operados por suas aeronaves de corredor único para os voos dentro da América do Sul; com isso, aquelas cadeironas que estavam instaladas nas 03 primeiras fileiras dos Airbus passaram a ser gradativamente substituídas

Antiga Cabine Executiva dos A320s da TAM

Antiga Cabine Executiva dos A320s da TAM

– atualmente, os aviões já estão configurados para oferecer a chamada Premium Economy: as cadeiras são idênticas a aquelas instaladas na classe Econômica, mas há mais espaço para as pernas (é possível cruzá-las de forma confortável), consequentemente, um pouco mais de ângulo quando a poltrona está reclinada, e um mesinha é instalada no assento do meio; portanto, nas 03 primeiras fileiras da aeronave, até 12 passageiros podem viajar nesta classe superior

Inside da cabine Premium Economy do A320 – LATAM

Espaço para pernas – Premium Economy do A320 – LATAM

Inside da cabine Premium Economy do A320 – LATAM

– além disso, a proteção dos encostos de cabeças é diferenciada (os apoios laterais são ajustáveis) e uma tomada universal está instalada na estrutura de ferro da poltrona da frente

Encosto de cabeça – Classe Premium Economy

Encosto de cabeça – Classe Premium Economy

Tomada – A320 da LATAM

– em um nicho da parte superior da poltrona da frente, a LATAM disponibiliza: a revista de bordo (“Vamos LATAM”), o catálogo de produtos do Duty Free a bordo e o cartão com as instruções de segurança
– em cima de cada um dos 12 assentos, um conjunto de travesseiro (pequeno demais) e manta (minimamente confortável) enrolado em um plástico transparente; o cobertor foi providencial, a cabine ficou fria durante boa parte do voo

Conjunto Travesseiro + Manta – LATAM

Conjunto Travesseiro + Manta – LATAM

– enquanto aguardávamos o término do embarque, presenciei um pequeno incidente com um casal e seu bebê de alguns meses de idade; a LATAM concedeu um upgrade não solicitado da Econômica para Premium Economy para a mulher, mas não para o marido, o que os colocou em lugares separados; eles reclamavam muito, porque queriam viajar juntos, conforme a reserva de assentos feita previamente; o voo estava quase lotado (acima de 95% de ocupação), mas no final deu tudo certo, foi possível reacomodá-los em assentos juntos na Econômica
– neste voo, não foi fornecida necessaire para os passageiros da Premium, nem mesmo aquela mais básica (um “sacão” com meia, tapa-olho e caneta); também não foi oferecido welcome drink (nem água!!!); além disso, a aeronave não tinha sistema de vídeo, nem mesmo coletivo
– o menu do serviço de bordo para os passageiros da classe Premium era impresso e foi distribuído antes de partirmos: 02 opções de prato principal (escondidinho de carne seca e pirarucu); salada de entrada e 02 opções de sobremesa: manga caramelizada e frutas da estação; eram 03 opções de vinho (02 tintos e 01 branco)

Menu da Classe Premium Economy – LATAM

Menu da Classe Premium Economy – LATAM (opções de bebidas)

– o Comandante anunciou que nosso embarque sofreria uns 15 minutos de atraso por conta de manutenção da pista pela administração do aeroporto de Guarulhos (que foi privatizado em 2013); neste momento, acionei o botão de chamada de comissário, pois o mal-estar da gripe começou a aumentar e queria um copo de água para tomar logo um remédio; mas fui ignorado
– alguns minutos depois, foi iniciada a demonstração das instruções de segurança, que foram feitas de forma manual; uma das comissárias ficou bem ao meu lado nesta hora e reforcei o pedido da água; ela afirmou que traria em seguida (e não trouxe…)
O VOO PARA BUENOS AIRES
– o pushback foi iniciado às 14:15h, um pequeno atraso com relação ao horário previsto de partida do voo (14:05h); durante o procedimento, registrei o Boeing 787-9 da LATAM CHILE de outro ângulo

Boeing 787-9 da LATAM Chile em Guarulhos

– decolamos da pista 09L, com os 02 motores IAE V2527 fazendo esforço máximo por 39 segundos para tirar o A320 do solo; consegui tirar algumas fotos dos aviões de fuselagem larga que chegaram de manhã cedo em GRU e que já estavam estacionados em posições remotas do aeroporto e que só seriam usados novamente nos voos que partem à noite para Estados Unidos e Europa

Decolagem em GRU – Estacionamento de aeronaves

Decolagem em GRU – Estacionamento de aeronaves

Decolagem em GRU – Estacionamento de aeronaves

não tinha desistido da água: acionei novamente o botão de chamada de comissário, logo depois que os avisos de apertar cintos foram desligados; finalmente, consegui tomar o meu remédio
– eu realmente não estava me sentindo bem, para o serviço de bordo pedi somente frutas (servidas em louça e com talheres de aço inox) e um copo de coca-zero (pedi repeteco), que foi servido em copo de vidro; ao final, pedi um café, que estava mais frio do que quente; um pequeno chocolate acompanhava a bebida quente

Serviço de Bordo – Premium – LATAM

Serviço de Bordo – Premium – LATAM

– lá fora, a paisagem era bem legal: hora de tirar fotos do conjunto “asa + motor” e da bela visão de um céu azul e nuvens brancas pela janela do A320

Motor + Asa – A320 – LATAM

Janela A320 LATAM – Céu azul e nuvens

– chegou a hora de escovar os dentes, aproveitando que o banheiro da parte dianteira estava desocupado; o toalete do A320 é sempre um pouco apertado; achei apenas 02 lencinhos umedecidos perdidos na gavetinha dos sachês de sabonete líquido

Banheiro do A320 – LATAM (parte da frente)

Banheiro do A320 – LATAM (parte da frente)

– uma cortina cinza escuro e mesclado faz a separação entre as 02 classes cabines deste Airbus, que fica fechada durante o voo
– o voo seguia tranquilo; o Comandante anunciou às 16:45h (no horário brasileiro de verão, 15:45h na Argentina) que estávamos próximos do pouso e que a temperatura era de 24 graus em Buenos Aires; no início do procedimento de aproximação, mais uma bela paisagem pela janela, em especial, a água turva do Rio da Prata

A320 da LATAM – Aproximação para pouso em AEP

A320 da LATAM – Aproximação para pouso em AEP

A320 da LATAM – Aproximação para pouso em AEP

– por conta da gripe, com minhas vias aéreas congestionadas, os meus ouvidos sentiram muito o procedimento de descida; tive que fazer a descompressão varias vezes para diminuir o desconforto
– este seria o meu 1º pouso em Aeroparque (que tem o nome oficial “Jorge Newbery”), já decolei de lá há alguns anos, mas nunca tinha chegado por este terminal; os últimos segundos de voo foram bem interessantes, contemplando lá do alto a área urbana da capital argentina

Últimos segundos do voo – GRU/AEP

Últimos segundos do voo – GRU/AEP

Últimos segundos do voo – GRU/AEP

Últimos segundos do voo – GRU/AEP

Últimos segundos do voo – GRU/AEP

– pousamos às 16:00h de forma segura na pista 13 (AEP só tem uma pista de manobras, com apenas 2.100 metros de extensão); o aeroporto é pequeno, o taxiamento é rápido e me chamou a atenção a quantidade de aeronaves (Boeing 737, Airbus A319 e A320 e E-Jets da Embraer) espalhadas no pátio

Aeronaves no pátio de Aeroparque

Aeronaves no pátio de Aeroparque

– enquanto nos dirigíamos ao terminal de passageiros do aeroporto central da capital argentina, um Boeing 737-800 da GOL decolava rumo ao Brasil

Boeing da GOL decola de Aeroparque

– A320 da LATAM encostou no finger de AEP às 16:10h; o desembarque foi autorizado logo depois, tudo rápido, sem burocracia
– aeroporto tem uma estrutura bem modesta, com teto baixo, dimensões reduzidas, mas o processo de passar pela imigração foi muito tranquilo; foi uma experiência diferente chegar de um voo internacional em um terminal como esse, a sensação era de estar no Santos Dumont/SDU ou em Congonhas/CGH

Aeroporto Aeroparque – Buenos Aires

Aeroporto Aeroparque – Buenos Aires

Pequena loja Free Shop em Aeroparque

Esteira de bagagens – Aeroparque

AVALIAÇÃO GERAL: a barbeiragem que a LATAM fez depois que meus voos originais foram cancelados foi inaceitável; se eu não tivesse decidido fazer o check-in de forma antecipada, simplesmente chegaria no Galeão e não teria voo para pegar; o atendimento do Call Center para resolver o problema foi muito eficiente, a solução foi dada, por mais que tenha me prejudicado, pois não consegui encaixar voos direitos entre o Brasil e Argentina;  sobre o A320, resgato o que já escrevi recentemente: é uma ótima aeronave para voos de curta e média duração, mas não é uma boa opção para oferecer um serviço mais diferenciado, a LATAM fez certo e agiu com “honestidade” em diferenciar as classes Premium Economy (nas aeronaves de corredor único) e Premium Business (nos aviões de fuselagem larga); a ausência do sistema de vídeo é mais um fator negativo; o serviço de bordo, apesar de eu não ter aproveitado em função da gripe, na teoria, era muito bom; sobre a tripulação, o registro mais relevante foi a dificuldade de eu conseguir um copo de água
3 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] – no início de dezembro, fiz um “bate-e-volta” em Buenos Aires na Argentina para cumprir a missão de manter o status Black no Programa Fidelidade da LATAM; um Airbus A320 me levou de Guarulhos/GRU até o Aeroporto Jorge Newbery/Aeroparque/AEP (confira a avaliação completa deste voo na classe Premium Economy AQUI) […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *