Voando com a AirAsia (DMK/HKT)

Air Asia

– este será o 7º voo da VOLTA AO MUNDO, mais um um trecho doméstico na Tailândia, saindo de Bangkok para Phuket, situada na maior ilha do país, na costa oeste; voarei com a AirAsia, será a minha 2ª experiência com a companhia asiática de baixo-custo (low-cost), a 1ª foi em 2012 quando voei de Singapura para Bali/Indonesia (naquela época, nem passava pela minha cabeça criar um blog para avaliar companhias aéreas…)

BKK_PUK_Novo.png

– será uma ótima oportunidade de comparar a AirAsia com a NOK AIR (com quem voei no dia anterior), 02 companhias aéreas da região que competem ferozmente

A AIRASIA

– companhia foi criada na Malásia em 1993, fez seu 1º voo em 1996 e começou uma nova história em 2001 quando foi vendida para o empresário Tony Fernandes, que fez uma profunda reestruturação, criou novas rotas e fez do Aeroporto Internacional de Kuala Lampur um grande hub; a AirAsia foi pioneira no modelo baixo-custo (low-cost) naquela região asiática e expandiu seus negócios para outros países: Tailândia, Indonésia, Filipinas, Índia e Japão

Air Asia Codes

– no seu site, a AirAsia deixa clara a sua proposta:no frills” em inglês, ou seja, “sem frescuras”, o passageiro paga somento pelo que quer e se quiser conforto adicional, a companhia também oferece

Air Asia No frils

– atualmente a frota é composta exclusivamente por aeronaves da AIRBUS, são 202 no total: 173 unidades do A320 e 29 unidades do A330, que voam para cerca de 90 destinos na região; o mapa de rotas da figura abaixo mostra a extensão da malha da AirAsia

Air Asia Rotas

– a AisAsia é “barbada” na eleição anual promovida pela Skytrax: nos últimos 08 anos, a companhia recebeu o título de “World’s Best Low-Cost Airline“: foi considerada a melhor empresa aérea de baixo-custo do mundo

Air Asia Skyward

– o site australiano AirlineRatings.com divulga um ranking que analisa: (i) o rigor em seguir procedimentos de segurança, (ii) o uso de tecnologia de ponta nos sistemas de navegação e (iii) a aderência às melhores práticas de segurança de voo (http://www.airlineratings.com/safety_rating_criteria.php); em uma escala que vai de 01 (menor segurança) a 07 (maior segurança), a AirAsia foi classificada no Grupo 3, assim como a Bangkok Airways; preferi ignorar este apontamento…

– como registro histórico, em 28 de dezembro de 2014, o voo QZ-8501 que ia de Surabaia (Indonésia) para Singapura, caiu no Mar de Java com 162 pessoas a bordo, o primeiro acidente com vítimas fatais desta companhia aérea

COMPRA DA PASSAGEM

– comprei a passagem com bastante antecedência, em julho de 2015 ao excelente custo de 911thb (cerca de R$ 90,00), com direito de despachar uma mala de até 20 quilos; o site da companhia (www.airasia.com) tem versão em inglês e tem fácil navegação

Air Asia Site

– a AirAsia opera cerca de 15 voos diários entre Bangkok e Phuket (o primeiro parte às 06:50h e o último decola às 21:40h);  a tarifa “Low Fare” é a opção básica oferecida pela companhia e é possível escolher pacotes de serviços adicionais: “Value Pack” e “Premium Flex”; na simulação de compra abaixo (para setembro de 2016), fica fácil de ver os benefícios dos tipos de tarifas ofertados pela AirAsia

Passagem_Air Asia

Air Asia_Tarifas.png

– mesmo depois da compra efetuada, é possível contratar os serviços  adicionais no site da AirAsia (na sessão “Manage My Booking“); navegar nesta parte do site é simples e como toda companhia aérea de baixo-custo as opções são variadas: marcação de assentos, bagagem adicional, compra antecipada da refeição, oferta de kit comfort e seguros variados

– com relação aos assentos, os preços variam de 400 Bahts (R$ 40,00) para sentar na 1ª fileira ou na saída de emergência até 70 Bahts (R$ 7,00) para marcação prévia do lugar; “comprei” o 30C, um corredor do lado esquero da aeronave, penúltima fileira

Air Asia_Assentos.png

– além disso, a AirAsia oferece várias opções de refeições que podem ser compradas previamente por 120 Bahts (R$ 12,00) e sobremesas a 70 Bahts (R$ 7,00); decidi ver como funciona e se este tipo de serviço é eficiente, comprando o Dada’s Roast Chicken with Sticky Rice (+) Exotic Mango with Sticky Rice, gastando um total de 190 Bahts (R$ 19,00) para garantir minha refeição a bordo; as opção são variadas, fica até difícil escolher

Air Asia_Food.png

– por fim, comprei também o comfort kit oderecido pela companhia por 350 Balts (R$ 35,00): uma almofada para o pescoço, um tapa-olho e uma manta, tudo personalizado com a marca da AirAsia e dentro de um saquinho de pano estilizado

Air Asia_Confort Kit.png

CHECK-IN

– uma semana antes do embarque, recebi um e-mail informando que o check-in já podia ser feito, achei prudente fazer logo; o processo é simplesrápido, a AirAsia aproveita a oportunidade para oferecer aluguel de carros e faz alerta sobre os horários máximos de check-in ou de despacho das malas no aeroporto, além de reforçar as restrições e regras da bagagem de mão (uma mala de mão de até 07 quilos + uma bolsa ou mochila com laptop)

– portanto, eu parti para a VOLTA AO MUNDO no dia 25.05.2016 e já estava com o meu cartão de embarque impresso para este voo realizado no dia 31.05.2016

AEROPORTO DON MUEANG

– as pesquisas que fiz previamente sobre Bangkok me indicaram que o acesso ao aeroporto Don Mueang (sigla: DMK, que, até 2006, era o principal aeroporto da cidade) não é simples por conta do trânsito; o acesso ao outro (e principal) aeroporto da cidade – Suvarnabhumi – é mais tranquilo, pois há um sistema de trens que facilita chegar nele; a única opção para chegar no terminal de onde sairia meu voo eram táxi ou Uber, opção que escolhi; com o voo previsto para 20:35h, saí do hotel por volta de 17:30h

– foram 60 minutos até chegar no Aeroporto Don Mueang, a “casa” das companhias low-cost em Bangkok, a um custo de 400 Bahts (R$ 40,00); cheguei lá perto de 18:30h, com tempo de sobra para o voo FD3013

– o terminal tem design moderno, é espaçoso e muito funcional, além de muito bem sinalizado, me surpreendeu positivamente, eu imaginava um aeroporto antigo; as luzes no teto são “futuristas” e mudam de cor toda hora (rosa, laranja e azul); nos extremos da estrutura, há lojas e restaurantes

– eu estava com uma mala de bordo de rodinhas e mais uma mala (na verdade, uma bolsa grande) que pretendia despachar, mas eu não tinha muita ideia do peso delas; bem em frente aos guichês de check-in da AirAsia há uma balança digital e fui lá para ver quantos quilos eu estava carregando

– aí começou um drama: a mala de mão estava com mais de 10 quilos, 03 a mais do que o permitido; comecei a transferir coisas para a mala grande; além disso, tive que colocar algumas coisas (carregador portátil, carteira e documentos) no bolso da bermuda para aliviar ainda mais o peso; finalmente consegui deixar a mala com menos de 07 quilos

– a bolsa grande que comprei por R$ 35,00 no bairro tailandês de Chinatown (o tiozinho vendedor me garantiu: “It’s strong, strong!”) não aguentou a carga adicional que transferi (ela acabou ficando com 19 quilos, no limite da franquia de 20 quilos que eu tinha direito): quando fui fechar, ela rasgou, tive que gastar 150 Bahts (R$ 15,00) para botar aquele plástico de proteção; há diversos totens de “self check-in“, onde os passageiros podem agilizar o procedimento e imprimir a etiqueta da bagagem, para depois ir para uma fila específica (geralmente menor) dos guichês de “Baggage Drop

– a fila para despachar a mala foi rápida, em menos de 05 minutos eu estava pronto para seguir para a área de embarque; há vários painéis eletrônicos com a lista dos voos e as informações dos respectivos portões, se perder por aqui é tarefa difícil

– a área do controle de segurança é muito espaçosa, são mais de 10 máquinas de raio-x, não peguei fila alguma e os funcionários tratavam os passageiros com cortesia; o aeroporto tem 05 “asas” com os portões de embarque, a imagem do Google Maps mostra como eles estão dispostos

Bangkok Airport

– mais uma vez, a estrutura do aeroporto é ampla, são muitas lojas e lanchonetes e, obviamente, tinha uma 7Eleven: é impressionante a quantidade de filiais que este mini-mercado tem na Tailândia

– o meu embarque seria feito no Portão 46, localizado à direita do controle de segurança, foram 05 minutos de caminhada até chegar no salão em frente, mais uma vez, muito espaço com muitas cadeiras e grandes janelas de vidro, com ótima visão para o pátio de manobras, proporcionando conforto aos passageiros; na parte interna do balcão do portão, uma balança está à mostra, ou seja, se os funcionários da AirAsia desconfiarem o peso das bagagens de mão, a situação indesejável de ter que despachá-las pode ocorrer

– o avião que me levaria até Phuket chegou do seu voo anterior às 20:00h e a pintura externa dele me chamou atenção: uma grande faixa escrito “Now Everyone Can Fly” (em português: “agora todo mundo pode voar”) em branco com fundo vermelho

– os passageiros desembarcaram muito rapidamente, de forma que a chamada para o embarque do meu voo foi feita às 20:10h; as prioridades são direcionadas para a fila chamada “Xpress”, embarcando primeiro, e depois os demais passageiros são convidados a entrar no avião; neste voo pelo menos, os funcionários não pediram para nenhum passageiro pesar a mala; nestas horas, a gente fica até um pouco frustrado, o esforço de transferir peso para a mala despachada acabou sendo em vão, mas o importante é seguir as regras definidas pela companhia aérea

– o Airbus A320 que operaria este voo tinha o prefixo HS-ABK, foi entregue novo à Air Asia em novembro de 2009 e está bem conservado; este avião pode carregar até 186 passageiros na clássica configuração 3×3 (três poltronas de cada lado); a LATAM (ex-TAM) também opera este modelo de Airbus e os configura com apenas 174 passageiros no máximo, ou seja, a Air Asia “enfiou” mais 02 fileiras de poltronas no mesmo modelo de avião; não há sistema de vídeo para entreter os clientes; a ocupação deste voo era de 60%

– os bancos são de couro azul bem escuro, com cintos de segurança em tecido vermelho; eu estava sentado na poltrona 30C, um corredor na parte esquerda do avião, penúltima fileira; o espaço para as pernas é bem reduzido, mesmo para uma pessoa com estatura mediana como eu; as poltronas com mais espaço para as pernas (para as quais é preciso pagar para sentar – os chamados “hot seats“) são indentificadas com um encosto de cabeça de couro vermelho

– os 04 comissários escalados para este voo fizeram a demonstração das instruções de segurança de forma manual; a Chefe de Cabine orientou os passageiros a desligar o celular durante a decolagem, devendo permanecer em modo avião durante o voo

O VOO

– o pushback foi feito às 20:31h, portanto, 04 minutos adiantados frente ao horário do voo, e decolamos às 20:41h, depois do Airbus percorrer a pista por 36 segundos

– logo depois que o sinal de apertar cintos foi desligado, uma verdadeira correria da tripulação foi iniciada, preparando a cabine para o serviço de bordo; o ritmo dos comissários era alucinante, um deles, por 03 vezes, saiu do fundo do avião para a frente e voltou

– no bolsão da poltrona à frente, tinha uma verdadeira “biblioteca“: cartão de segurança, 03 tipos de revistas, cardápio de refeição a bordo, caderno de souvenirs da companhia aérea, revista Duty Free para voos internacionais e, ainda, um saquinho de enjoo

– a minha refeição comprada previamente pela Internet chegou direitinho: o frango com arroz estava gostoso, me surpreendi, tinha sabor de comida mesmo, foi uma surpresa agradável; a sobremesa me fez lembrar de minha infância e da minha avó paterna: arroz doce, além de um pedaço de manga que parecia um sorvete, muito bom; o único problema foi a falta de espaço para comer, a pequena distância entre as poltronas torna o ato de comer desconfortável

– os comissários se apressam para recolher todo o lixo produzido pelos passageiros e logo depois passam com outro carrinho oferecendo os souvenirs estilizados da AirAsia; eu fui literalmente às compras, acho que me empolguei além da conta; as comissárias que me atenderam ficaram loucas, rindo à toa, me agradecendo a todo hora

– além do comfort kit que eu já tinha comprado no site da AirAsia e que me foi entregue sem problemas, eu comprei: uma maquete (escala 1:150) do A320 da companhia (dei sorte, era a última, o passageiro da fileira atrás pediu e ficou sem…), um boné preto bordado com a logomarca, 02 ursos de pelúcia com roupa de Comandante, um jogo de imãs de geladeira e um jogo de lápis que já dei para minha filha e não está na foto abaixo; isto tudo não custou nem 1.000 Bahts (R$ 100,00)

img_7707

– depois das compras, aproveitei que estava bem perto e fui conferir o banheiro da parte traseira: achei espaçoso, em especial para um avião de corredor único; além disso, ele estava bem conservado e limpo

O POUSO

– eram 21:30h quando o Piloto deu o comando para a tripulação de preparar para o pouso; às 21:41h o trem de pouso foi armado e 02 minutos depois (21:43h) pousamos em Pucket, 12 minutos antes do horário previsto

– fui o último a sair do avião, retardei minha saída para tirar algumas fotos do interior da cabine e foi interessante para perceber que as 03 Comissárias e 01 Comissário do voo tinham a missão de arrumar e preparar tudo para o próximo voo: são eles que recolhem o lixo deixado pelos passageiros, colocam as poltronas na posição vertical, limpam os banheiros e arrumam os cintos de segurança

– as malas dos passageiros estavam disponíveis na esteira 01; quando cheguei lá, a minha bagabem tinha acabado de ser “arremessada” para a esteira, não perdi tempo algum; a AirAsia coloca uma placa com o número de voo para facilitar a vida das pessoas em busca das suas malas

Avaliação da NOK AIR – de Chiang Mai para Bangkok (30 de maio de 2016)
AVALIAÇÃO GERAL: não há como deixar de lembrar do acidente de 2014, mas voar com a AirAsia foi uma experiência extremamente agradável; sem dúvidas, a relação custo-benefício foi excelente, o preço da passagem foi muito bom (incluindo o pacote de benefícios que escolhi) e o serviço prestado no geral foi bem adequado; assim como na NOK AIR, destaco a pontualidade e a postura correta da tripulação durante todo o voo como pontos muito positivos; a frota de Airbus A320 da AirAsia parece ser muito bem cuidada; a refeição que comprei por R$ 12,00 e a sobremesa por R$ 7,00 estavam uma delícia; os souvenirs são vendidos a preços razoáveis, um verdadeiro incentivo a comprar para quem ama aviação como eu; voar com a Melhor Companhia Aérea de Baixo-Custo do mundo pelo 8º ano consecutivo foi realmente uma oportunidade interessante
Air Asia Seloscomo é voar com a Air Asia , como é voar na Air Asia , opções de voo na Tailândia , companhias aéreas na Tailândia , empresas aéreas na Tailândia , empresas de baixo-custo na Tailândia , segurança de voo na Tailândia
11 respostas
  1. Gabriel Araujo Lima
    Gabriel Araujo Lima says:

    Cadu, seu blog é incrível! Talvez seja o blog sobre viagens mais caprichado que já encontrei. Normalmente os blog de viagem douram a pílula sobre as dificuldades que os viajantes possivelmente irão encontrar. O seu blog mostra a realidade em detalhes e nos facilita muito, muito mesmo, a vida. Obrigado e parabéns!

    Responder
    • Cadu Franco
      Cadu Franco says:

      Gabriel, muito obrigado pelo feedback! Você conseguiu captar exatamente o que pretendo com o Voando e Avaliando! Bons voos!

      Responder
  2. Rogerio Wense
    Rogerio Wense says:

    Cara seu blog é tão bom que eu não gosto de ler os artigos todos de uma vez só, adoro as descrições detalhadas de cada vôo! É tão bom que parece que estou junto no vôo. Parabéns!!

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] voei e avaliei a British Airways, a Qatar Airways, a Bangkok Airways, a Nok Air, a AirAsia, a Thai Airways, a Air New Zealand, a Jetstar e a LATAM) e 2017 (quando voei e avaliei a […]

  2. […] aqui em 2016, quando fui para Phuket, Voando e Avaliando a AIR ASIA (confira todos os detalhes AQUI), a grande concorrente da NOK AIR no mercado tailandês; naquela ocasião, embarquei pelo Terminal […]

  3. […] voando e avaliando a British Airways, a Qatar Airways, a Bangkok Airways, a Nok Air, a AirAsia, a Thai Airways, a Air New Zealand, a Jetstar e a LATAM, visitando Londres, Johanesburgo, Bangkok, […]

  4. […] AirAsia Thailand (Tailândia) –  confira a avaliação completa AQUI […]

  5. […] Acesse a avaliação completa aqui: Voando no A320 da AIR ASIA […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *