Voando com a TAM (GRU/MAD)

_TAM_gru_mad_767

– a programação da minha viagem para Madrid começou com a emissão da passagem em maio, usando Pontos do TAM Fidelidade; aproveitei uma promoção excelente: 30.000 pontos (ao invés dos tradicionais 45.000) por um trecho Brasil-Europa; escolhi voar com a TAM, mesmo não sendo um voo direto, por conta do benefício do cartão Vermelho Plus: em caso de disponibilidade, tenho upgrade gratuito para a Classe Executiva (algo relevante para um voo noturno de 11 horas de duração)

– fiz meu check-in 03 dias antes, pelo telefone, quando liguei para solicitar o upgrade: este atendimento da TAM foi exemplar, o profissionalismo da atendente me chamou a atenção; a ida para o Galeão foi estressante, foram quase duas horas para chegar, fui direto para o balcão de Enceramento de Voo somente para despachar uma mala; quase perdi o voo!

– o voo Rio-Guarulhos foi feito no Airbus A320 (prefixo PT-MZH, entregue em dezembro de 2000, um dos mais velhos da frota da TAM – selo C da ANAC, pouquíssimo espaço para as pernas); o voo foi tranquilo, apesar da sensação “lata de sardinha”; cheguei às 20:30h, com folgas para o próximo voo de 22:55h

– a mala foi despachada diretamente para Madrid, portanto, a missão no Aer. de Guarulhos era caminhar até o Terminal 3, o privatizado e moderno; são 10 minutos, há esteiras rolantes para facilitar; o T3 de GRU é outro nível, incomparável com o GIG, muito espaço e bonito

– apesar de já estar com o cartão de embarque, passei no check-in da TAM para testar o atendimento: são muitos guichês, sem fila, pedi para imprimir um novo cartão de embarque, atendimento cortês e atencioso

– a estrutura do T3 impressiona: o leitor do boarding pass é automático, não demorei nem 05 minutos para passar pelo raio X e controle de passaporte (muitas máquinas e guichês)

– fui direto para a Sala VIP da TAM/LAN: é simplesmente enorme, boa variedade de bebidas e comida, tem sala de banho (são 06, mas tinha uma fila de espera, não deu tempo de testar), os banheiros são confortáveis e espaçosos; a única coisa negativa: como estava lotada, achei um pouco quente, o ar não suportou tanta gente

– o embarque no portão 53 foi anunciado às 22:00h; fui na recepção e indaguei sobre o meu pedido de upgrade: haviam 02 lugares e eu era o 2º da lista: deu certo! Poltrona 4D, no centro do avião, justamente o que prefiro

– o embarque era remoto, uma ótima oportunidade de tirar algumas fotos incomuns de aviões no pátio

– fui recepcionado pela Chefe de Cabine Simone na porta do Boeing 767-300ER, prefixo PT-MSX, entregue à TAM em julho de 2013 (originalmente entregue à LAN em dezembro de 2012), o mesmo que voei em abril para NYC; na Business a configuração é 2x2x2 (na econômica é 2x3x2, todas com tela individual de entretenimento); a aeronave aparentava estar nova, muito bem cuidada; todos os lugares do voo estavam ocupados, casa totalmente cheia neste voo

– tomei o tradicional champagne de “welcome”, mas a Comissária Tatiane (responsável pelo atendimento dos passageiros do meu lado) esqueceu de me oferecer o potinho de snacks, nada de grave…

– revistas e jornais foram oferecidos junto com o Amenities Kit: o mesmo que tenho recebido nos últimos 03 anos, já é hora de mudar!

– o push-back foi feito com pequeno atraso às 23:02h, mas só decolamos às 23:20h, muitos aviões partindo neste horário; o B767 demorou 45 segundos para sair do chão: rumo a Madrid!

– antes mesmo da decolagem, comecei a explorar o sistema de entretenimento: moderno, de fácil e intuitivo manuseio e muitas opções de filmes; o fone de ouvido da Business é muito bom, o isolamento acústico funciona; escolhi o filme “Run All Night”, com Ed Harris, apenas bom…

– o jantar começou a ser servido um pouco antes de 00:00h, com opções de: carne com batata gratinada e vagens, sorrentinos com alcachofra e frango; no menu de vinhos, opções da Argentina, Chile e França (melhorou, da última vez que voei com a TAM, só havia vinhos chilenos)

– o meu prato foi servido com algum “glamour”, mas a carne estava muito bem passada, ficou no forno muito mais do que devia; salada e sopa de cenoura acompanharam, estavam saborosas; escolhi o vinho tinto francês, uma delicia; para finalizar, sorvete HagenDazs sabor cookies

– as luzes da cabine foram apagadas as 00:30h, um incentivo para colocar o assento na posição vertical: hora de dormir; foram 06 horas de um sono bom; a TAM podia investir em um travesseiro maior, este é o único ponto que tenho a criticar

IMG_3839
– fui despertado para o café às 08:00h: prato de frios (ou ovos mexidos), frutas, bolo de chocolate, croissant, café, suco de laranja e iogurte, tudo fresco e saboroso

IMG_3835
– eram 13:55h (o fuso horário da Espanha é +5 horas) quando o piloto anunciou que chegaríamos em Madrid as 14:20h

– tocamos o solo da capital espanhola às 14:19h, um pouso suave e seguro, encerrando com sucesso mais um voo intercontinental da nossa TAM

AVALIAÇÃO GERAL: o “suspense” com relação ao upgrade é sempre uma emoção e mais uma vez deu tudo certo; 30.000 pontos para voar do Brasil a Espanha na Executiva é uma relação custo-benefício excepcional; o B767 funciona bem para um trecho de 11 horas, ainda mais com a cabine moderna do modelo da TAM; a postura da tripulação foi correta, com pequenos deslizes; a carne fora do ponto e a ultrapassada Necessaire merecem registro, mas a experiência de voo no geral foi muito boa.

Selo verde

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *