Voando com a QANTAS (SYD/MEL)

– vamos em frente com a VOLTA AO MUNDO 2017, hora do 11° trecho, mais uma Ponte Aérea, em classe Econômica, desta vez na Austrália, entre 02 metrópoles daquele enorme país: de Sydney para Melbourne, que estão distantes por 439 milhas (706 quilômetros); um voo curto, mas operado por uma aeronave de fuselagem larga

Voando e Avaliando – Sydney para Melbourne

A QANTAS

– a QANTAS foi fundada em 1920 é a principal companhia aérea da Austrália e pode ser considerada um símbolo nacional; em 1998, junto com American Airlines, British Airways, Canadian Airlines e Cathay Pacific. a companhia foi uma das fundadoras da aliança One World (a mesma da “nossa” LATAM); no ranking Skytrax de 2017, ficou em 15º lugar, despencando 06 posições com relação a 2016

02 outras companhias fazem parte do Grupo:

  • a QANTAS LINK é a empresa responsável pelos voos de perfil regional, operando para 56 destinos (na Austrália e um na Papua Nova Guiné)
  • JETSTAR, que foi criada em 2003 para atuar como uma companhia de baixo-custo, fez seu 1º voo comercial em 2004 e tem Melbourne como base operacional; com a expansão nos anos seguintes, a marca tem registro em outros 03 países, além da Austrália: Singapura (a partir de dezembro de 2004), Vietnã (a partir de julho de 2007) e Japão (a partir de fevereiro de 2011). Em 2015, foram iniciados serviços regionais na Nova Zelândia. Voando e Avaliando já teve a oportunidade de experimentar este serviço, de Napier para Auckland, confira AQUI como foi. A QANTAS possui diferentes posições acionárias nestas subsidiárias (de 30% a 100%)

– a frota do Grupo QANTAS é bem eclética, com aviões de vários fabricantes: Airbus (A320, A321, A330 e A380), Boeing (B717, B737, B747 e B787), Fokker (F-100) e Bombardier (turbo-hélice Dash-8)

– a QANTAS opera voos para a América do Sul: Santiago do Chile/SCL é o único destino e o icônico Boeing 747 é utilizado na rota

Boeing 747 da Qantas em Melbourne

A COMPRA DA PASSAGEM

– comprei a passagem em janeiro de 2017, pela Internet; o site da QANTAS é de fácil navegação, mas não tem versão em português (ao selecionar o Brasil como meu país, a língua inglesa é utilizada)

Site da Qantas – Página Principal

–  são dezenas de voos por dia entre Sydney e Melbourne, o primeiro partindo às 06:00h da “madrugada” e o último às 22:05h; o A330 ou B737-800 são utilizados nesta rota

Opções de Voos – Sydney para Melbourne – Qantas

– o voo de 09:00h (QF419) se mostou a melhor opção: bom preço, horário razoável (não era muito cedo) e seria operado por uma aeronave de fuselagem larga – Airbus A330; durante o processo de compra, é possível fazer a reserva gratuita e antecipada do assento

Condições de compra do voo QF419

Escolha de Assento – Qantas

– o custo total desta passagem, incluindo uma pequena taxa pela compra no cartão de crédito, foi de 110,51 dólares australianos, cerca de R$ 270,00

Resumo da compra – voo QF419 – SYD/MEL

O AEROPORTO DE SYDNEY/SYD

– eu estava hospedado a 500 metros da estação Wynyard, na zona central de Sydney, portanto, a opção de usar o trem metropolitano da cidade era muito conveniente para ir ao aeroporto, apesar de não ser barato: gastei 16,46 dólares australianos (cerca de R$ 40,00) para um trajeto de apenas 20 minutos; a estação no aeroporto é ampla e muito bem sinalizada

– no corredor de acesso aos terminais, placas indicam que os passageiros da QANTAS devem seguir para a direita (Terminal 3) e os passageiros da JETSTAR, VIRGIN AUSTRALIA E JETGO para a esquerda (Terminal 2)

Sinalização – Terminal 2 e Terminal 3 – Sydney

– é preciso seguir um longo corredor, com esteiras rolantes e depois subir um conjunto de escadas para chegar ao Terminal 3 (as placas da QANTAS confirmavam que eu estava indo na direção certa)

– cheguei no terminal exclusivo de atendimento aos clientes da QANTAS por volta de 07:20h; o lugar é bem bacana, uma estrutura moderna e ampla, muito bem iluminada

Parte externa – T3 de SYD

– a lógica do auto-atendimento dos passageiros na hora do check-in se aplica também na Austrália: são vãrios totens espalhados pelo saguão, todas pessoas usam com muita desenvoltura estes terminais; o uso deles é muito simples, com o código da reserva é possível conseguir o cartão de embarque em poucos segundos; consegui tranquilamente inserir o meu cartão do Programa Fidelidade, de forma a facilitar o meu ingresso na Sala VIP da QANTAS, já que o meu cartão BLACK da LATAM me concede o status EMERALD na aliança ONE WORLD

Cartão de Embarque – Qantas

– em cima da área de entrada do controle de segurança, está instalado um painel enorme com o símbolo da companhia australiana e, logo abaixo, as informações dos voos que partiriam naquela manhã de 5a feira

Terminal 3 – Sydney – Painel Qantas

A SALA VIP DA QANTAS

– passar pelo controle de segurança foi moleza, há uma área dedicada aos clientes com status premium, peguei apenas 01 pessoa na minha frente, portanto, poderia ter alguns minutos curtindo a Sala VIP da QANTAS neste aeroporto

– são 02 entradas para o Lounge, que acessado por meio de uma escada rolante; a primeira impressão foi ótima: o espaço é enorme, com vários ambientes, todos muito bem decorados

Sala VIP da Qantas – Sydney

– as grandes janelas de vidro, que estavam limpas, permitiam uma bela vista para o pátio de manobras de SYD, onde aeronaves da QANTAS e VIRGIN se preparavam para os próximos voos

– naquela hora, o café da manhã estava servido servido e havia uma grande variedade de itens sendo oferecida: frios, pães diversos, tudo fresco e gostoso; uma grande máquina podia ser utilizada para fazer alguns tipos de bebidas quentes (cafés e chocolate)

Máquina de Café – Sala VIP Qantas

– me chamou muito a atenção que a QANTAS coloca cestas com maçãs, cenouras, aipos e peras em cima de um balcão, ao lado de um daqueles multi-processadores para que os convidados da SALA VIP façam na hora uma vitamina natural de acordo com suas preferências

O EMBARQUE NO A330

– por volta de 08:10h, deixei a Sala VIP e fui conferir como era a área de embarque do Aeroporto de Sydney; o terminal é ótimo: moderno, espaçoso, claro, extremamente limpo e bem sinalizado; esteiras rolantes ajudam no deslocamento dos passageiros e uma delas está “decorada” com a cabine de um avião da QANTAS

Esteira rolante dentro da cabine de avião

– há algumas lojas o longo deste corredor e reparei que prateleiras com artigos de aviação sempre estavam presentes nelas; entrei e vi que uma miniatura do A380 da QANTAS, na escala 1/200, mas sem trem de pouso, estava sendo vendida por 40 dólares australianos (cerca de R$ 100,00): nem pensei 02 vezes, mais uma réplica para a coleção comprada

Miniatura – 1/200 – A380 da Qantas

– o embarque do voo QF419 seria feito pelo Portão 11, que fica na extremidade esquerda do terminal, em uma parte com um saguão redondo com 04 pontes de embarque

Saguão de Embarque – Sydney

– o Airbus da QANTAS que operaria o voo até Melbourne já estava estacionado e sendo preparado para mais uma missão

A330 da Qantas

– o embarque prioritário seria feito pela parte esquerda do Portão, com placas sinalizando os passageiros que teriam direito; a convocação foi feita às 08:35h e quis entrar logo para poder tirar fotos do interior com poucas pessoas; uma caixa com fone de ouvido para ser usado durante o voo fica em frente ao portão, algo que nunca tinha visto (geralmente, este acessório está a disposição dentro da aeronave)

Embarque voo QF419 – Qantas – Portão 11

– o avião escalado para este voo era um Airbus A330 (um dos 28 que a QANTAS tem na frota), tinha o prefixo VH-EBA (a companhia australiana bota apelido em todas as aeronaves, esta era a “Cradle Mountain“) e voa com a companhia australiana desde dezembro de 2002; o estado geral da cabine indica claramente que ele já teve o interior modernizado, não parecia ter quase 15 anos de idade

– a entrada estava sendo feita pela porta dianteira da aeronave, com isso, todos os passageiros da classe Econômica tinham que passar pela cabine da linda classe Executiva (que carrega até 28 clientes e tem configuração 1 x 2 x 1) até alcançar seus lugares

Classe Executiva – A330 da Qantas

– a classe Econômica tem capacidade para 243 passageiros e tem configuração 2 x 3 x 2, a mais comum para este modelo de aeronave; o revestimento dos assentos me chamou atenção, pois era bem bonito: de couro preto com encosto das costas em tecido roxo

Inside – classe Econômica do A330 – Qantas

– meu assento escolhido e reservado previamente foi o 54A, uma janela do lado esquerdo, na parte de trás do A330 da QANTAS

Assentos 54A e 54B do A330 – Qantas

– a ocupação deste voo era baixa, cerca de 60%, dei sorte, não havia ninguém ao meu lado, pude ficar bem à vontade durante o voo; espaço para as pernas era apenas razoável e a poltrona reclinava o ângulo normal de uma Econômica

– não há sistema de entretenimento individual instalado nas poltronas, mas a QANTAS oferece a a cada um dos passageiros um tablet (iPad Mini) estava disponível para todos os passageiros (sem nenhuma corrente ou cabo de segurança, mas com um alerta de que há um sistema tecnológico de segurança); mais uma vez, algo inédito para mim! Uma capa vermelha de couro trazia a logomarca da companhia australiana; fiquei imaginando se este esquema daria certo no nosso Brasil…

– uma estrutura na parte superior da poltrona da frente permite o encaixe deste equipamento, que acaba servindo como tela de vídeo; 02 portas USB estão instaladas, permitindo carregamento do celular e do IPad também, que tem uma grande variedade de conteúdo, para todos os gostos

– o fone de ouvido distribuído no portão de embarque tinha boa qualidade, bem acima de média para um voo de curta duração em classe Econômica; os comandos do Ipad também podem ser feitos por meio de botões instalados no braço central dos assentos

Comando – Ipad – A330 Qantas

– assim que o embarque foi encerrado e as portas fechadas, pelo sistema de áudio, a Chefe de Cabine informou que o tempo de voo previsto era de 01 hora e 15 minutos

O VOO PARA MELBOURNE

– o pushback foi iniciado às 08:58h, portanto, a Qantas foi pontual neste voo, saindo dentro do horário previsto; as instruções de segurança foram feitas de forma manual pela tripulação; no taxiamento, o A330 passou por um viaduto que passa por cima de uma auto-estrada, com muitos carros passando

A330 a caminho da cabeceira para decolagem

– alinhamos na cabeceira de uma das 03 pistas deste gigantesco aeroporto às 09:08h e iniciamos a decolagem logo em seguida, quando os 02 motores General Electric aceleraram em potência maxima por 36 segundos até que o A330 começou a sair do chão

Porto de Sydney – Decolagem no A330

– nos primeiros minutos de voo, mesmo com o sol batendo forte do meu lado, uma linda vista com muitas nuvens podia ser apreciada pela janela

A330 ganhando altitude

– no bolsão da poltrona da frente, estão disponíveis: o cartão de segurança do A330 e a revista de bordo com várias reportagens interessantes e informações sobre a eclética frota do Grupo QANTAS

Bolsão da poltrona a frente

– o serviço de bordo foi iniciado às 09:30h: primeiro foi servido uma fatia de bolo de chocolate e nozes, que parecia “básico”, mas estava delicioso; depois bebidas quente (pedi café preto) e gelada (escolhi coca zero, servida em uma latinha) foram oferecidas pela simpática tripulação

Bolo de chocolate e nozes – Qantas

Café preto + coca zero

– hora de conhecer o banheiro deste Airbus: de tamanho apenas razoável, estava cheiroso, mas tinha um interior rebuscado, com chão decorado e um pia preta bem bonita, saindo do padrão

– na saída, aproveitei para tirar fotos da grande “cozinha” (“galley”) e das portas traseiras deste avião fabricado pela Airbus

sentar na janela neste voo foi uma decisão muito acertada, foi um privilégio, pois as paisagens lá do lado de fora mudavam a toda hora, cada uma mais bonita que a outra

A330 voando acima das nuvens

– eram 10:05h quando ouvimos o comando vindo do cockpit:tripulação preparar para o pouso“; a aproximação foi muito tranquila, sem turbulência e a paisagem lá fora continuava um espetáculo

A330 da Qantas em aproximação para Melbourne

– o trem de pouso foi armado e travado às 10:20h e pousamos em Melbourne, a 2ª cidade mais populosa da Austrália, 04 minutos depois, um procedimento tranquilo na longa pista de quase 3.700 metros

Pouso em Melbourne – Freios Aerodinâmicos

– finalmente, encostamos no Terminal Doméstico de MEL às 10:30h, encerrando com sucesso o meu 1º voo com uma das mais tradicionais companhias aéreas do mundo

AVALIAÇÃO GERALpreço da passagem foi bem razoável para um voo de 75 minutos e com característica de Ponte Aérea; a parte doméstica do Aeroporto de Sydney não é grande, mas é muito boa, extremamente funcional, com destaque para a limpeza; a sala VIP da QANTAS é ótima, ainda mais considerando que eu estava em uma terminal doméstico, com móveis novos e muitos ambientes, além de um bom buffet; o A330 da maior companhia australiana é ótimo, cabine modernizada e muito bonita e oferece conforto aos passageiros; o uso do Ipad como sistema de vídeo é muito interessante, imagino o quanto foi investido pela companhia para equipar todas as suas aeronaves desta forma; a experiência de voo, mesmo sendo curto, é outra quando um avião de fuselagem larga é utilizada; a tripulação tinha sempre um sorriso no rosto, deixando o ambiente do voo bem leve; o atendimento aos passageiros foi muito cordial, os Comissários tinham sempre a preocupação de falar algo a mais do que o simples “o que prefere para beber, senhor?“; o serviço de bordo me surpreendeu, é a prova de que mesmo algo simples pode agradar: o bolo estava delicioso e é sempre bom poder combinar uma bebida fria com uma quente; a minha 1ª experiência com a QANTAS foi muito boa, espero que não seja a última

3 respostas
  1. Júnior
    Júnior says:

    Ótimo texto! Parabéns!
    Gosto mto dessa empresa, Qantas é histórica, mítica!
    Uma dúvida sobre o serviço de bordo, eles servem o bolo e bebidas quente e fria gratuito e se quiser além disso tem que pagar?

    Responder
    • Cadu Franco
      Cadu Franco says:

      Júnior, obrigado! Vamos lá: neste voo, somente o serviço gratuito estava disponível, não era possível comprar nada. Bons voos! V&A

      Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] – vamos em frente com a VOLTA AO MUNDO 2017, hora do 12° trecho, mais uma Ponte Aérea, de novo na Austrália, entre 02 metrópoles daquele enorme país: de Melbourne para Sydney  que estão distantes por 439 milhas (706 quilômetros); no sentido inverso, voei e avaliei a concorrente QANTAS, confira como foi AQUI) […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *