Voando com a Georgian Airways (AMS/TBS)

– acompanhar os 02 primeiros jogos do Brasil na Copa de 2018 foi um projeto que consumiu muita energia no planejamento para que fosse possível chegar na Rússia e ir de uma cidade para outra dentro do país; confira AQUI o detalhe de todos os voos que acabei pegando entre os dias 14 e 23 de junho, passando por várias cidades da Europa
– um dos trechos voados foi entre as capitais da Holanda (Aeroporto de Amsterdam) e Geórgia (Aeroporto de Tbilisi), que estão distantes por 2.006 milhas (cerca de 3.230 quilômetros)
A COMPRA DA PASSAGEM
– a logística de chegar em Rostov (Rússia), local do 1º jogo da seleção verde e amarela (contra a Suíça – empate de 1 a 1) não foi fácil; a cidade é pequena e não recebe muitos voos; fiz muitas pesquisas e descobri que uma forma razoável de chegar lá era passando pela Geórgia, que fez parte da extinta União Soviética
– o país tem uma companhia “nacional” – a GEORGIAN AIRWAYS – que opera uma pequena frota de 07 aeronaves (03 Boeing 737, 03 Embraer E-190 e 01 Bombardier CRJ200), tem voos regulares para algumas capitais da Europa (Amsterdam é uma delas, são apenas 02 frequências semanais: 2ª feira e sábado), portanto, a empresa se mostrou a melhor alternativa, com partida no final da manhã da capital holandesa e, depois de 04 e 35 minutos de voo, com chegada no final da tarde na capital da Geórgia
– o site da companhia na Internet (https://www.georgian-airways.com) tem versão em inglês, o que facilitou muito o processo de compra 

Site da Georgian Airways – Inglês

– considerando que a passagem foi comprada com exatos 03 meses de antecedência e somente “one-way”, bem como a duração estimada do voo (mais de 04 horas) o preço pago de quase 200 euros (tarifa mais taxas) foi apenas razoável; o tipo de tarifa mais barata que estava disponível (“Standard“) permitia o despacho de uma mala com até 23 quilos, além de uma bagagem de mão de até 08 quilos

Detalhes da passagem – Amsterdam para Tbilisi

A CHEGADA EM AMSTERDAM
– a LATAM BRASIL me levou de Guarulhos/GRU para Londres/LHR a bordo de um Boeing 777-300ER (prefixo PT-MUD); emiti a passagem recorrendo ao Programa Fidelidade (gastei apenas 34.000 pontos) para voar na classe Econômica, mas consegui um upgrade gratuito para a Premium Business em função do beneficio que o meu status Black me proporciona

Boeing 777-300ER da Latam em Londres

Motor GE90 do Boeing 777-300ER da Latam

Jantar – Premium Business – Latam

– de Heathrow/LHR, maior aeroporto londrino, cerca de 03 horas depois de chegar na Inglaterra, peguei um Airbus A320 da BRITISH AIRWAYS (prefixo G-EUYV); foi um voo curto (apenas 01 hora e 20 minutos de duração, comparável com o trecho Rio/Brasília), em classe Econômica que estava configurada com elegantes bancos de couro na cor preta; comprei este bilhete 03 meses antes também e paguei 72 pounds (cerca de R$ 330,00)

Airbus A320 da British Airways – Voo LHR-AMS

Cabine do Airbus A319 da British Airways – Voo LHR-AMS

Decolagem em Heathrow/LHR a caminho de Amsterdam

– a chegada no Aeroporto de Amsterdam foi feita em um final de tarde de uma 5ª feira de tempo fechado, mas sem chuva; no pátio, muitas e muitas aeronaves da KLM – a companhia “da casa” – e de outras empresas que não estou acostumado a fotografar, como por exemplo, o Boeing 737-800 da TUI AIRLINES NEDERLANDS e o Bombardier Dash-8 da belga BRUSSELS AIRLINES (e operado pela inglesa FLY BE)

E-jets da KLM perfilados em Amsterdam

Boeing 737-800 da Tui Airlines

Bombardier Dash-8 da Brussels Airlines

– ficamos 02 dias na charmosa e aconchegante Amsterdam, um destino que atrai pessoas do mundo inteiro; a cidade tem uma estrutura excelente de hotéis e o transporte público funciona perfeitamente, permitindo conhecer muitos de seus principais pontos turísticos em pouco tempo

Cidade de Amsterdam/Holanda

Cidade de Amsterdam/Holanda

Cidade de Amsterdam/Holanda

– algo que chamou a atenção é a quantidade de bicicletas espalhadas nos arredores das estações de trem e de barcas; esta forma de locomoção é amplamente utilizada pelos habitantes da cidade como principal meio de transporte, é preciso ter muito cuidado nas travessias de ruas para não se envolver em um acidente

Estacionamento de bikes – Cidade de Amsterdam/Holanda

O AEROPORTO DE AMSTERDAM
– estávamos hospedados no centro da cidade, em um hotel que fica bem em cima da principal estação de trem de Amsterdam; pegamos um trem e, depois de 25 minutos de trajeto, chegamos por volta de 07:50h da manhã de sábado à estação que fica literalmente dentro do aeroporto, com antecedência razoável para o voo com partida marcada para 10:40h

Estação de trem – Aer. de Amsterdam

Estação de trem – Aer. de Amsterdam

– esta forma de chegar no “Schipol Airport” tem a melhor custo-benefício possível: os trens partem no horário previsto, custa cerca de 05 euros por pessoa e o deslocamento não demora muito; além disso, ao sair do vagão, bastar subir uma pequena escada rolante e os passageiros já saem dentro do saguão principal do terminal

Estação de trem – Aer. de Amsterdam

Aer. de Amsterdam – Saguão da estação de trem

– para os apaixonados por aviões, passar pelo Aeroporto de Amsterdam e não ir na loja “Planes Plaza” seria um pecado mortal; esta loja tem um motor de DC-10, um trem de pouso e uma cabine de de um DC-9 da KLM; além de vender brinquedos diversos e muitos itens associados à aviação, há uma imensa variedade de miniaturas sendo oferecidas, a maioria na escala 1/200, justamente a que mais tenho na minha coleção

Loja Planes Plaza – Aer. de Amsterdam

Loja Planes Plaza – Aer. de Amsterdam

Loja Planes Plaza – Aer. de Amsterdam

Loja Planes Plaza – Aer. de Amsterdam

– este aeroporto é muito bem sinalizado, as placas são grandes e com as informações sendo passadas de forma ostensiva; os painéis eletrônicos espalhados indicavam que o check-in do voo da GEORGIAN AIRWAYS com destino a Tbilisi estava sendo feito na Seção 29

Placas indicativas – Caminho para Check-in 29

Placas indicativas – Caminho para Check-in 29

– pegamos uma pequena fila para despachar as bagagens; o atendimento dos passageiros estava sendo feito por funcionários da KLM; 04 guichês estavam funcionando, portanto, não demorou muito para nossa vez chegar; tudo estava certo com minha passagem, minha única mala foi despachada rapidamente e logo depois recebi meu cartão de embarque

Check-in da Georgian Airways – Aer. de Amsterdam

Check-in da Georgian Airways – Aer. de Amsterdam

Check-in da Georgian Airways – Aer. de Amsterdam

Boarding Pass – Georgian Airways – voo AMS TBS

– todas as vezes que passei por este terminal holandês, peguei longas filas no controle de segurança, a quantidade de pessoas transitando por lá é sempre muito grande, em qualquer hora do dia, pois são dezenas e dezenas de voos operados por hora; é preciso subir uma escada rolante e enquanto espera-se para passar a bagagem de mão pelo aparelho de raio-x, é possível ter uma ampla visão da área de atendimento das companhias aéreas

Área de atendimento – Check-in – Aer. de Amsterdam

Área de atendimento – Check-in – Aer. de Amsterdam

– logo depois de passar pelo controle de passaporte (o meu documento português me fez ganhar alguns minutos, pois não enfrentei filas, passei pela catraca eletrônica da imigração holandesa), os passageiros alcançam um grande salão, rodeado de lojas e lanchonetes/restaurantes

Área de Embarque – Aer. de Amsterdam

Loja na área de Embarque – Aer. de Amsterdam

Lojas – Área de Embarque – Aer. de Amsterdam

– o Portão D29 fica na Seção D e a caminhada para chegar nesta área é longa, mas esteiras rolantes ajudam no deslocamento; mais uma vez, tudo é muito bem sinalizado, é difícil se perder neste enorme aeroporto; no trajeto, passei por salões com um teto mais alto e com ampla vista para o pátio

Área de Embarque – Aer. de Amsterdam

Área de Embarque – Aer. de Amsterdam

Área de Embarque – Aer. de Amsterdam

Área de Embarque – Aer. de Amsterdam

– o portão de embarque do voo A9-0652 ficava no extremo esquerdo desta seção do aeroporto, era o penúltimo no longo corredor; algumas mesas altas com cadeiras estão instaladas nesta área, com tomadas para que equipamentos sejam carregados antes do voo

Área do Portão D29 – Aer. de Amsterdam

Área do Portão D29 – Aer. de Amsterdam

Área do Portão D29 – Aer. de Amsterdam

Monitor – Portão D29 – Aer. de Amsterdam

– as janelas de vidro do aeroporto na região do portão eram um convite para tirar fotos das aeronaves no pátio de manobras de Schipol, apesar de um pouco de reflexo; consegui fazer alguns registros interessantes de aviões de pequeno porte da KLM (Boeing 737-800, pintura tradicional e especial da aliança SKY TEAM), PEGASUS (Boeing 737-800) SUN EXPRESS (Boeing 737-800), EASYJET (Airbus A320), AER LINGUS (Airbus A320 com pintura retrô), além do Boeing 767 da UNITED AIRLINES

Boeing 737 da KLM – Pintura Sky Team

Boeing 737 da KLM – Pintura tradicional

Boeing 737 – Pegasus

Boeing 737 – Sun Express

Airbus A320 – Easyjet

Aibus A320 – Aer Lingus – Pintura retrô

Aibus A320 – Aer Lingus – Pintura retrô

Boeing 767 – United Airlines

– aeronaves de grande porte da KLM também passaram pelo pátio e foram fotografadas: o majestoso Boeing 747 e o novo Boeing 787-9

Boeing 747-400 da KLM

Boeing 747-400 da KLM

Boeing 787-9 da KLM

– por fim, aviões da DELTA AIRLINES, que tem forte presença no Aeroporto de Amsterdam,  a caminho dos Estados Unidos, também marcaram presença com o Airbus A330 e o novo Airbus A350

Airbus A330 da Delta Airlines

Airbus A350 da Delta Airlines

Airbus A350 da Delta Airlines

– no Brasil, é comum acharmos nos saguões de embarque de alguns aeroportos aquelas cadeiras grandes de couro preto que oferecem uma rápida sessão de massagem; em Amsterdam, o nível de sofisticação é um pouco maior, pois cabines estilosas oferecem maior privacidade para 05 minutos de shiatsu ao custo de 02 euros
– o Boeing 737-700 da GEORGIAN AIRWAYS, procedente de Tbilisi (ou seja, ele faria um autêntico “bate-volta”), chegou em Amsterdam às 09:40h , trazendo a inscrição “Airzena” (a companhia usa esta marca nas 03 unidades do Boeing da frota) na parte da frente da carenagem; na cauda, há alusões à bandeira nacional da Georgia e a logomarca da companhia aparece na parte de dentro dos winglets instalados nas pontas das asas

Boeing 737-700 da Georgian Airways – Aer. de Amsterdam

Boeing 737-700 da Georgian Airways – Aer. de Amsterdam

Boeing 737-700 da Georgian Airways – Aer. de Amsterdam

Boeing 737-700 da Georgian Airways – Aer. de Amsterdam

– os passageiros que chegavam em Amsterdam logo começaram a desembarcar e, novamente, funcionários da KLM suportavam a operação do voo, preparando a aeronave para seu retorno a Tbilisi

EMBARQUE NO BOEING 737-700

– eram 10:10h quando o embarque foi iniciado e os passageiros começaram a entrar no Boeing de prefixo 4L-TGN, que foi apelidado de “Tbilisi”; trata-se de um guerreiro que voa desde outubro de 2003 e que já teve as cores da VIRGIN AUSTRALIA, até ser incorporado à frota da GEORGIAN AIRLINES em outubro de 2013

– ele está configurado com 12 assentos de classe Executiva, no esquema 2 x 2 (duas poltronas de cada lado, dispostas em 03 fileiras); o estilo da poltrona da classe superior me lembrou muita aquele “cadeirão” que a TAM utilizava em seus Airbus A320s antigamente nos voos para a América do Sul

Classe Executiva do B737 – Georgian Airways

Classe Executiva do B737 – Georgian Airways

– já a classe Econômica tinha o tradicional esquema 3 x 3 (três cadeiras de cada lado) e pode levar até 120 pessoas; as poltronas eram revestidas de couro azul escuro e que estava bem conservado; a cabine tinha um ambiente bem colorido em função dos encostos de cabeça, nas cores vermelho, azul e amarelo

Cabine da classe Econômica – B737 – Georgian Airways

Cabine da classe Econômica – B737 – Georgian Airways

– meu assento para este voo até a Geórgia era o 20A, na parte mais traseira da aeronave, uma janela do lado esquerdo do Boeing 737

Assento 20A – Cabine da classe Econômica – B737 – Georgian Airways

– esta aeronave não tinha sistema de vídeo nem tomada para carregar o celular durante o voo, ainda bem que minha bateria portátil estava 100% carregada

– no nicho instalado na parte traseira da poltrona da frente estavam disponíveis o cartão com as instruções de segurança e a revista de bordo “GA”, onde consta a lista de destinos que contam com voo regulares operados pela GEORGIAN AIRWAYS, com destaque para Paris, Londres, Praga e Barcelona

Nicho da poltrona da frente – Boeing 737

Revista de bordo – Georgian Airways

Destinos dos voos regulares da Georgian Airways

– o voo estava completamente lotado, todos os assentos ocupados, os 04 Comissários escalados teriam muito trabalho nesta jornada até o nosso destino; a cabine estava muito quente enquanto estávamos em solo e melhorou um pouco ao longo do voo, mas não chegou a ficar, em nenhum momento, em um nível confortável de temperatura

– a distância entre os assentos era pequena, a configuração desta aeronave proporcionava pouco espaço para as pernas, sem dúvidas, pessoas mais altas teriam bastante desconforto neste voo de média duração

Espaço para pernas – Boeing 737 da Georgian Airways

O VOO PARA TBILISI

– o procedimento de pushback foi iniciado às 10:41h, com apenas 01 minuto de atraso, nada relevante ou preocupante; as instruções de segurança foram passadas de forma manual pela tripulação aos passageiros (o inglês foi uma das línguas utilizadas)
– taxiamos lentamente até a pista 09 de Schiphol (que tem mais de 3.450 metros de extensão), de onde iniciamos a decolagem às 10:50h; o par de motores CFM56 empurraram o B737 por 37 segundos até que ele começasse a ganhar altitude

Decolagem do B737-700 em Amsterdam

– o cansaço pelo fato de ter acordado muito cedo bateu forte e logo depois da partida dei uma cochilada profunda; acordei às 11:50h, com a movimentação da tripulação, que já tinha iniciado o serviço de bordo

– fui servido 05 minutos depois; uma caixinha com a logomarca da companhia foi entregue a cada um dos passageiros e dentro dela a GEORGIAN AIRWAYS oferecia uma pequena salada de pepino e tomate, um pão, um bolo e pedaços de queijo branco; também foi entregue uma outra embalagem pequena de metal com a refeição (macarrão “anjinho” e uma almôndega grande); os talheres eram de plástico e de qualidade ruim, bem frágeis

Serviço de Bordo – Georgian Airways – Comida

Serviço de Bordo – Georgian Airways – Comida

– a bebida foi servida em seguida: vinho branco e tinto e água com e sem gás eram as opções, todas servidas em um pequeno copo de papelão personalizado com a logomarca da companhia; pedi apenas água com gás para acompanhar

Serviço de Bordo – Georgian Airways – Bebida

– um pouco depois de 12:30h, uma dupla de Comissários recolheu as caixinhas e o lixo dos passageiros, encerrando os trabalhos desse voo

– a comida me trouxe ainda mais sono e consegui dormir mais um pouco, mas não consegui descansar, pois acordei alguns vezes, tentando encontrar uma posição mais confortável para as pernas, mas a tarefa era difícil

– enquanto estive acordado, o voo seguia tranquilo e valia a pena apreciar a visão da janela “quadrada” do B737: o céu estava azul, com uma camada de nuvens brancas mais abaixo

Asa com winglet do Boeing 737 – Georgian Airways

Asa com winglet do Boeing 737 – Georgian Airways

– tive que incomodar a senhora e o senhor que estavam sentados ao meu lado para ir no banheiro da parte traseira do B737; o toalete tinha pequena dimensão e não havia nenhuma amenidade disponível aos passageiros, mas estava limpo

Banheiro do Boeing 737 – Pia

Banheiro do Boeing 737 – Vaso

– na volta, para o meu lugar, aproveitei para tirar uma foto com a visão geral da cabine lotada do Boeing 737-700

Visão geral da cabine do Boeing 737 – voo para Tbilisi

– eram 14:40h quando a Chefe de Cabine usou o sistema de áudio para informar que já tínhamos começado o procedimento de descida e que, em 20 minutos; pousaríamos na capital da Geórgia; o calor aumentou sensivelmente na parte final do voo, vários passageiros usavam o cartão com instruções de segurança para se abanar

– pegamos algumas nuvens mais pesadas e um pouco de turbulência nesta fase, quando uma vegetação árida ficou evidente lá embaixo

Aproximação para pouso em Tbilisi/TBS

Aproximação para pouso em Tbilisi/TBS

– o trem de pouso foi armado e travado às 15:00h e pousamos apenas 04 minutos depois na pista 31L: eram 17:04h no horário local (o fuso horário na Geórgia é de +2 horas com relação à Holanda) e a temperatura era de 21 graus

Procedimento de pouso em Tbilisi/TBS

Procedimento de pouso em Tbilisi/TBS

Procedimento de pouso em Tbilisi/TBS

– o Aeroporto de Tbilisi tem uma única pista operacional com 3.000 metros de extensão e o taxiamento até o terminal de passageiros foi longo pois ele está localizado justamente no início da pista, do outro lado; no caminho, perto da Torre de Controle, um icônico Boeing 747-Freigther estava estacionado

Torre de Controle + Boeing 747 em Tbilisi

– o nome oficial deste terminal que fica a 17 quilômetros do centro da cidade é SHOTA RUSTAVELI TBILISI INTERNATIONAL AIRPORT, fato que fica registrado em um grande letreiro instalado na fachada; a estrutura externa é moderna, com apenas 04 pontes de embarque

Terminal de Passageiros – Aeroporto de Tbilisi/TBS

Terminal de Passageiros – Aeroporto de Tbilisi/TBS

– apenas 02 outras aeronaves de passageiros estavam no pátio acoplados pelos fingers em Tbilisi: um Airbus A321 da TURKISH AIRLINES e um Airbus A319 da AIR ARABIA

encostamos no terminal às 17:12h e logo em seguida o desembarque foi autorizado e iniciado; levei alguns minutos para sair, afinal, estava na “rabeira” da aeronave; o finger era de vidro, permitindo um último registro do B737 que me levou até lá

– dentro do terminal, a administração do aeroporto espalhou adesivos pelo chão com a seguinte frase para promover a cidade: “TBILISI, THE CITY THAT LOVES YOU

– passar pelo controle de passaporte não foi tão rápido, pegamos um pouco de fila, mas nada problemático; preferi usar o meu documento brasileiro e ter um carimbo diferente nele; o agente de segurança perguntou qual era o propósito da minha viagem à Geórgia e quando falei que estava a caminho da Copa, tudo ficou mais fácil

– na área de restituição de bagagem estão instaladas apenas 04 esteiras, com bandeiras do país estendidas a partir do teto e muitas propagandas de casino; as malas não demoraram muito para aparecer (por volta de 17:35h)

Área de restituição de bagagem – Aer. de Tbilisi

Área de restituição de bagagem – Aer. de Tbilisi

Área de restituição de bagagem – Aer. de Tbilisi

AVALIAÇÃO GERAL: o custo da passagem não foi baixo (mais de R$ 800,00 foram gastos) para este voo de 04 horas e 15 minutos de duração em classe Econômica; o fato de poder emitir somente o trecho “de volta” de Amsterdam para Tbilisi é um fato que merece ser destacado; o Boeing 737-700 escalado para este voo não tinha alguns equipamentos que estão se tornando cada vez mais comuns e necessários para os clientes: algum tipo de sistema de entretenimento e tomadas para carregar equipamentos eletrônicos; além disso, o sistema de refrigeração era ineficiente e o espaço para as pernas reduzido; de positivo, o estado geral da cabine, incluindo os assentos, era muito bom; o voo partiu e chegou no horário, pontualidade é sempre uma virtude bem-vinda; o serviço de bordo, apesar de trazer alguma variedade nos itens distribuídos na caixinha de papelão, era bem simples e com sabor “básico”; a tripulação teve atitude apenas pragmática durante todas as fases do voo, com poucos sorrisos e empatia, mas se mostrou atenciosa na interação com os passageiros; no geral, foi interessante conhecer os serviços da pequena GEORGIAN AIRWAYS, que me proporcionou uma experiência apenas razoável

como é voar na Georgian, Boeing 737 da Georgian, voo para Tbilisi, indo para a Georgia, como chegar na Georgia, voando com a Georgian, voando para Tbilisi
2 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] me levou de Amsterdam/Holanda para Tbilisi/Geórgia a bordo de um Boeing 737-700 – confira AQUI como foi) e a low-cost russa POBEDA (que me levou de Tbilisi para Rostov-on-Don/Rússia a bordo de […]

  2. […] de sábado, a bordo de um Boeing 737-700 da GEORGIAN AIRWAYS, vindo de Amsterdam/Holanda (confira AQUI como foi este voo em classe […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *