Voando com a LATAM (CDG/GRU)

– na programação das curtas férias de setembro para a Europa com a “patroa”, o retorno ao Brasil seria feito com a LATAM, partindo de Milão/MXP para Guarulhos/GRU e, finalmente, Rio de Janeiro/GIG, passagens emitidas com muita antecedência utilizando pontos do Programa Fidelidade; mas a companhia aprontou umas surpresinhas e, depois de muitas emoções fortes, voltamos a partir de Paris/CDG; portanto, foi uma jornada de mais de 5.830 milhas (cerca de 9.380 quilômetros) entre a França e o Brasil

A TROCA DA PASSAGEM

– estávamos em Olbia, na linda região da Sardenha, fomos para Milão/Linate a bordo do B737-700 da MERIDIANA (confira como foi o voo AQUI), de onde pegaríamos o voo de Malpensa/MXP (o outro e maior aeroporto da cidade italiana) para o Brasil; recebi uma mensagem de texto no celular informando que o voo JJ8063 tinha sido cancelado e remarcado para o dia seguinte

– comecei uma operação de guerra para não ter que ficar mais um dia na Europa, evitando muitos problemas no trabalho; foram 02 longas ligações em roaming internacional para a Central de Atendimento da LATAM no Brasil 

– no atendimento primário da LATAM, nenhuma flexibilidade, a companhia não queria alterar sem custo a origem do bilhete-prêmio emitido, ela exigia um adicional de 52.000 pontos (por pessoa) do Programa Fidelidade (além dos 30.000 que já tinha gasto originalmente); pedi para falar com a Supervisão e o cenário mudou radicalmente: fui atendido de forma exemplar e prestativa, os bilhetes foram alterados para Paris-Guarulhos-Rio de Janeiro, assentos na parte da frente da aeronave foram reservados e o check-in foi feito 

– além disso, tive que emitir passagens para voar com a ALITALIA usando milhas do Programa Smiles para voar em classe Executiva, entre Milão/Linate e Paris/CDG; foram 30.000 milhas por pessoa, era a única disponibilidade, não havia lugar na classe Econômica (neste caso, seriam 15.000 milhas) 

Simulação no Programa Smiles – Milão para Paris

O AIRBUS A350

– a única boa notícia desta confusão toda que a LATAM aprontou com o cancelamento do voo de Milão, é que eu voaria no estiloso Airbus A350, que é escalado em dias alternados na rota do Brasil para a França (o Boeing 777-300ER é utilizado no revezamento)

– a LATAM foi a pioneira nas Américas ao incorporar este modelo de wide-body à frota no início de 2016eu não entrava no A350 desde os voos inaugurais que a LATAM fez para Manaus (confira AQUI como foi) e Miami (confira AQUI como foi)

PR-XTA em Manaus

PR-XTA em Miami

– atualmente, somente 03 unidades fazem parte da frota da LATAM no Brasil, a quantidade já foi maior, mas algumas delas foram “alugadas” para a QATAR AIRWAYS

PR-XTC em Guarulhos

PR-XTC em Guarulhos

PR-XTC em Guarulhos

Asa + Motor do PR-XTA em aproximação para Guarulhos

PR-XTD em Guarulhos

– eu já tive a oportunidade de visitar o cockpit desta máquina (prefixo PR-XTA, o primeiríssimo da frota), na volta de Miami/MIA, quando a tripulação foi muito atenciosa com os entusiastas da aviação que estavam na aeroanve

A IDA PARA PARIS 

– o voo AZ358 foi tranquilo, teve 90 minutos de duração, foi operado por um Airbus A319, prefixo EI-IMJ (apelido “Isola di Caprera”), que foi fabricado em agosto de 2002 e que sempre teve as cores da ALITALIA

A319 da Alitalia em Linate

A319 da Alitalia em Linate

– a cabine tinha a tradicional estrutura 3 x 3 (três poltronas de cada lado), mas na Business a poltrona do meio fica vazia com uma pequena mesa montada

Inside da cabine do A319 da Alitalia

Inside da cabine do A319 da Alitalia

– o serviço de bordo foi muito bom para um trecho dentro da Europa, mesmo na classe Executiva: uma saborosa lasanha acompanhada de um ótimo vinho branco italiano 

O AEROPORTO DE PARIS 

pousamos em Paris/CDG às 19:53h, um pequeno atraso de 08 minutos com relação à previsão, mas nada preocupante, considerando que o voo da LATAM partiria às 22:55h; encostamos no Terminal 2 do gigantesco CDG; o risco de não chegarmos a tempo para pegar o voo para o Brasil parecia estar afastado

– mas uma mala abandonada na esteira do Aeroporto fez com que a Polícia Francesa isolasse por completo a área de restituição de bagagens; com isso, ficamos “presos” no saguão; por sorte, foram apenas 15 minutos de tensão, ate que tudo fosse liberado; nossas malas despachadas chegaram por volta de 20:25h

– a transição entre Terminais no CDG é sempre demorada, foram cerca de 10 minutos de caminhada até a estação do “trenzinho” que faz a ligação entre todas as áreas do Aeroporto, inclusive para o T1, onde a LATAM concentra suas operações

Estação do “trenzinho” entre terminais de CDG

Inside do “trenzinho” entre terminais de CDG

“Trenzinho” entre terminais de CDG

Entrada do Terminal 1 de CDG

– lá chegando às 20:45h, as placas indicavam que o atendimento da LATAM ficava no Hall 3, onde poucos passageiros estavam, na área preferencial não havia fila, fomos direto no balcão para imprimir os cartões de embarque e despachar as malas

Check-in da LATAM em CDG

Check-in da LATAM em CDG

– perguntei sobre a possibilidade do upgrade solicitado, mas a informação foi pessimista: todos os lugares da classe Executiva estavam ocupados; para “compensar”, o atendente nos colocou na 1ª fileira da classe Econômica (meio e corredor)

– sempre que embarco em Paris, me surpreendo com o túnel futurístico e espelhado por onde os passageiros sobem uma escada rolante

Acesso à área de embarque de CDG

Túnel de acesso à área de embarque de CDG

A SALA VIP DA STAR ALLIANCE

– as Salas VIP do T1 do CDG ficam instaladas em uma área comercial logo depois do controle de passaporte das autoridades francesas (portanto, antes do controle de segurança); é preciso pegar um elevador para chegar lá 

Elevador de acesso às salas VIPs em CDG

– a LATAM, apesar de atualmente fazer parte da aliança global ONE WORLD, utiliza a Sala VIP da arqui-rival STAR ALLIANCE, desconfio que ainda seja algum resquício de acordos anteriores à fusão da TAM e LAN CHILE

– eu já conhecia este Lounge, passei por lá no início do ano (voltando da viagem do Carnaval) e fiz uma avaliação completa e específica (confira AQUI)

– ficamos pouco tempo, mas o suficiente para tomar um banho; o banheiro é grande (estava limpo), o chuveiro é ótimo, mas não é oferecida nenhuma amenidade aos passageiros, o sabonete fica naqueles compartimentos presos na parede

Banho na Sala VIP da Star Alliance

– o buffet deste Lounge é variado e gostoso, muitos frios, snacks, massa e muitas bebidas alcóolicas, em um ambiente moderno

Sala VIP da Star Alliance em CDG

Buffet da Sala VIP da Star Alliance em CDG

– eram 21:40h quando partimos em direção ao Portão 43, onde seria o embarque do voo JJ8101 com destino a GRU; sempre quando passo pelo T1 do CDG me impressiono com a única esteira rolante ondulada que eu já vi na minha vida

Caminho para o Portão 43 do CDG

Caminho para o Portão 43 do CDG

Caminho para o Portão 43 do CDG

– ao contrário da maioria dos aeroportos pelo mundo, as Salas VIP estão instaladas antes do controle de segurança; imagino que em horários de pico com muitas filas no raio-x, passageiros perdem ou atrasam a partida de seus voos 

O EMBARQUE NO AIRBUS A350

– o saguão em frente ao Portão 43 era pequeno, filas estavam formadas e se misturavam; pelas portas e janelas de vidro do terminal, era possível ver o avião com a antiga logomarca da TAM na fuselagem estacionado e esperando seus futuros ocupantes 

– o embarque foi iniciado às 22:00h, como estávamos na fila preferencial, fomos um dos primeiros a entrar na aeronave; para o funcionário que conferia o boarding pass, perguntei pela última vez sobre o upgrade: mais uma vez, a resposta foi negativa; faz parte, pelo menos voaríamos com mais espaço para as pernas

– o Airbus A350 escalado para este voo tinha o prefixo PR-XTC, que chegou no Brasil em maio de 2016, foi a 3ª unidade a ser recebida pela filial brasileira da LATAM

PR-XTC em Paris

– a companhia adotou o esquema 3 x 3 x 3 na classe Econômica deste modelo de aeronave, portanto, a incômoda poltrona do meio existe em todas as “colunas” de lugares (janelas e meio); nas janelas, os assentos são revestidos de tecido azul escuro e no meio de vermelho; em cima de cada assento, um conjunto de manta e travessor

Inside da classe Econômica do A350 da LATAM

Inside da classe Econômica do A350 da LATAM

Inside da classe Econômica do A350 da LATAM

monitores individuais de ótima resolução e com tecnologia touchscrren estão instalados na poltrona da frente; uma porta USB para carregar os equipamentos eletrônicos está acoplada na tela 

– eram 22:35h, o embarque já tinha sido encerrado e estávamos 100% acomodados nas nossas poltronas (malas nos bagageiros, cabo do telefone em mãos, almofada de pescoço inflada, etc…) quando um funcionário da LATAM veio até nós e deu a seguinte “péssima” notícia: 02 passageiros não tinham se apresentado para o embarque e estávamos sendo convidados para a classe Executiva; o único “problema” é que ficaríamos em lugares separados; foi totalmente inesperado, a sensação foi ótima!

– a configuração da classe superior que a LATAM padronizou em seus aviões de fuselagem larga (com exceção do Boeing 777-300ER utilizado no Brasil) foi de 2 x 2 x 2, são 30 lugares no total, divididos em 05 fileiras; neste voo, todos estavam ocupados, casa cheia nesta viagem; as poltronas são revestidas com tecido cinza mesclado e os encostos de cabeça com tecido vermelho

Inside do A350 (PR-XTC)

Inside do A350 (PR-XTA)

Inside do A350 (PR-XTA)

– eu me instalei na poltrona 4L (uma janela do lado direito) e minha esposa ficou na 5H (coluna do meio, também no lado direito)

Minha Poltrona no A350 – de Paris para Guarulhos

SeatGuru – Detalhes da cabine do A350 da LATAM

– tivemos dificuldades para reacomodar as bagagens, afinal todos os outros ocupantes da Business já tinha guardado as deles e tínhamos a concorrência com os cobertores que ficam nos bagageiros superiores durante os procedimentos de pouso e decolagem

– embaixo do “ottoman” (banquinho que logo abaixo da tela do sistema de vídeo), fica um compartimento para que os passageiros possam colocar os sapatos

Porta-sapatos – Executiva – A350

– mesmo sendo retardatário, ainda deu tempo de tomar o welcome drink (champanhe servido bem gelado), que estava acompanhado de um potinho de nuts quente

Welcome Drink – Business Class – LATAM

– a necessaire da Salvatore Ferragamo (de cor azul) foi entregue ainda no plástico (assim posso dar de presente para algum familiar; em alguns voos, a tripulação arranca antes de dar aos clientes); este kit de amenidades que a LATAM fornece para os passageiros da Business é completo, mas é o mesmo há muitos anos, já passou da hora de mudar 

– as portas foram fechadas às 22:52h portas e logo depois ouvimos o comando de “portas em automático, cross check confirmar“; nesta jornada, somente comissários do sexo masculino atendiam os clientes da classe Executiva; um deles passou pelo corredor e anotou a escolha do jantar de cada passageiro

– os pratos principais eram: filé mignon (com manteiga especial, batatas, vagens e tomate cereja), salmão grelhado (com molho de tomates e erva doce, cevadinha e vegetais) e canelones recheados de champignons com molho cremoso de coco; para sobremesa, eram 03 opções também: sorvete, frutas ou torta de trufa de chocolate

Menu da classe Executiva – LATAM

 – a LATAM tem uma grande variedade de bebidas alcoólicas, desde vodka Absolut até algumas poucas opções de cervejas; muitas são as opções das demais bebidas, com 03 tipos de sucos e refrigerantes

Opções de Bebidas Alcóolicas

Opções das demais bebidas

– a LATAM não tem sistema de conectividade a bordo, portanto, nada de ficar conectado a Internet durante o voo  

– no A350, os comandos da poltrona ficam muito bem localizados, na parte superior do braço central; o controle remoto do sistema de vídeo também fica na coluna central, mas na lateral; uma tomada universal e uma porta USB estão instaladas em um vão do lado esquerdo da estrutura da poltrona,  portanto, carregar os equipamentos eletrônicos durante o voo é tarefa fácil

Comandos da Poltrona – Executiva – A350

Controle Remoto – IFE – A350

Tomada e Porta USB – Executiva – A350

O VOO PARA GUARULHOS 

– o pushback foi feito às 22:57h, um pequeno atraso de apenas 02 minutos, nada de preocupante para um voo de 11 horas de duração; hora de apertar os cintos e a tripulação fazer as últimas conferências para garantir que está tudo ok para a longa jornada até o Brasil

– as instruções de segurança foram demonstradas aos passageiros por meio do sistema de vídeo individuais; a LATAM adotou há alguns meses atrás um vídeo naquele estilo “engraçadinho”, com cenas discontráidas para retratas as questões mais importantes a serem observadas pelos passageiros durante o voo

Instruções de Segurança – LATAM

Instruções de Segurança – LATAM

Instruções de Segurança – LATAM

– o aeroporto francês é gigantesco, são 04 pistas, portanto, o taxiamento foi longo (chegamos a passar por cima de uma auto-estrada); uma leve garoa caía em Paris naquela hora; a decolagem foi iniciada às 23:12h, os 02 enormes motores Rolls Royce – Trent XWB demoraram 41 segundos em aceleração máxima para tirar o A350 do chão  

Rolls Royce – Trent XWB – decolagem em CDG

Rolls Royce – Trent XWB – decolagem em CDG

Rolls Royce – Trent XWB – decolagem em CDG

– logo depois da decolagem, já comecei a aproveitar o sistema de vídeo instalado neste AIRBUS da LATAM, com tela de ótima resolução e controle remoto de fácil manuseio; fui direto na parte de filmes mais novos e escolhi o “CÍRCULO”, com Ema Thompson e Tom Hanks, que faz uma provocação bem interessante sobre a forma com que a tecnologia e as redes sociais estão influenciado a nossa sociedade; o fone de ouvido fornecido pela LATAM não é um produto “top”, mas funciona direito

1º filme da viagem: “Círculo”

– o jantar foi servido perto da meia-noite; muito bem apresentado, tudo estava bem organizado na bandeja e as tudo estava com ótima aparência; comecei pela sopa de abóbora que estava deliciosa; a salada era um pouco básica, com tomate, azeitona, pimentão e folhas; o pedaço de carne tinha de tamanho razoável e estava bem passada e sem sal, do jeito que gosto; a vagem e as batatas estavam bem temperadas; o único ponto negativo ficou por conta do pão: estava duro, não deu vontade de comer; para acompanhar, pedi água com gás e o vinho tinto Trapiche (argentino), servidos em copos de vidro; os talheres eram de aço inox, com a marca antiga da TAM

Jantar – Classe Executiva – LATAM

Talheres do Jantar – Classe Executiva – LATAM

Sobremesa – Business Class – LATAM

– as bandejas foram recolhidas às 00:30h, hora de levantar e conferir o banheiro do A350: de bom tamanho, estava limpo, mas neste voo os tradicionais lencinhos umedecidos não estavam sendo disponíveis 

alguns passageiros já estavam dormindo naquela hora, mas a maioria estava lendo ou assistindo a programação de filmes e sérias do sistema de entretenimento

Inside – A350 LATAM – Business

Inside – A350 LATAM – Business

– na volta para o meu lugar, um formulário com as opções de café da manhã estava colocado no meu assento; os passageiros marcam aquilo que querem comer mais tarde ou indicam que não querem ser despertados e dormir até o último instante antes do pouso; eu gosto muito deste procedimento da LATAM, é bom para o passageiro, que vai comer somente aquilo que gosta, e para a tripulação, que pode providenciar um atendimento mais assertivo e rápido

– liguei o sistema de vídeo e comecei a rever BAYWATCH, que tinha começado a ver, sem terminar, no voo da TAP feito 10 dias antes, no voo de Recife para Lisboa (confira como foi a experiência na classe Executiva do A330 da companhia portuguesa AQUI); consegui terminar de ver o filme, mas o sono já estava vindo forte

– eu pedi à tripulação para arrumar a minha poltrona, que reclina 180 graus, para dormir; isto foi novidade para mim: a LATAM agora coloca uma cobertura, que mais parece um colchonete, cobrindo cada poltrona da classe Executiva, de forma, que a “cama” fica realmente muito mais “fofa” e confortável; acredito que a companhia deva ter recebido muitas reclamações para adotar este procedimento, que não existiu quando voei e avaliei este modelo no 1º trimestre de 2016

“Colchonete” colocado na hora de dormir

dormi muito bem até 03:40h (no horário brasileiro, que naquela época do ano tinha um fuso de -5 horas com relação à Europa); o travesseiro tinha um bom tamanho e o cobertor era muito macio e funcionou muito bem

– acessei o mapa de voo disponível no sistema de vídeo para ter uma ideia de onde estávamos: já tínhamos cruzado o Oceano Atlântico, passávamos pela Bahia e faltava um pouco mais de 01 hora para a chegada em Guarulhos

Mapa de Voo – A350 – CDG/GRU

Mapa de Voo – A350 – CDG/GRU

– o café da manhã foi servido quando faltava apenas 01 hora para pousarmos em GRU; fiz boas escolhas com relação aos itens da minha refeição matinal, fiquei satisfeito, tudo estava fresco e saboroso, com destaque para o prato de frios

Café da manhã – Business – LATAM

Café da manhã – Business – LATAM

– eram 05:02h quando o Comandante informou que estávamos iniciando o procedimento de descida, com pouso previsto para 05:28h em Guarulhos, que tinha tempo nublado, com 18 graus de temperatura

– no sistema de entretenimento, começou a ser exibido um vídeo orientativo para todos os passageiros (mesmo quem estava com o monitor desligado) sobre a chegada em GRU, com alerta claro sobre a necessidade de 90 minutos para fazer a conexão doméstica entre o Terminal 3 (onde o avião encosta) e o Terminal 2 (de onde partem os voos para outras cidades do Brasil)

Orientações aos passageiros – Guarulhos

Orientações aos passageiros – Guarulhos

Orientações aos passageiros – Guarulhos

– quando eram 05:18h ouvimos o comando da cabine de comando: “tripulação por gentileza preparar para o pouso“; o trem de pouso do A350 foi armado e travado às 05:24h, tocamos a pista 9R do Aeroporto Internacional de Guarulho às 05:27h

Aproximação para pouso em GRU

Aproximação para pouso em GRU

 – ainda estava escuro, mas o sol começa a dar sinais; o taxiamento foi lento, demoramos quase 10 minutos para encostar no terminal e poder dizer que mais um voo da LATAM foi encerrado com sucesso

A350 (PR-XTC) em Guarulhos

A350 (PR-XTC) em Guarulhos

A350 (PR-XTC) em Guarulhos

AVALIAÇÃO GERAL: não há como amenizar a confusão gerada pelo cancelamento do voo de Milão para Guarulhos, o transtorno foi enorme e se eu não tivesse insistido para falar com a Supervisão da Central de Atendimento, eu não conseguiria mudar a origem do meu voo; além disso, tive que “torrar” milhas do Smiles para conseguir fazer o que a LATAM não iria fazer: me transportar de volta ao Brasil na data correta; a Sala VIP da Star Alliance é muito boa e aconchegante; o atraso foi irrisório, chegamos no horário em Guarulhos; o upgrade de última hora foi uma grata e inesperada surpresa, voltar no conforto da Business Class de uma máquina maravilhosa como o A350 foi ótimo; o serviço de bordo teve um nível muito bom, mas a salada podia ser mais elaborada e não se pode servir um pão tão duro; o atendimento da equipe de solo em Paris foi muito bom e durante o voo a tripulação teve uma atitude apenas correta, nada de calorosa, mas foi atenciosa e competente, sem erros; entre altos e baixos (alguns graves), a experiência com a LATAM foi muito boa 

1 responder
  1. Jorge
    Jorge says:

    Já passei por uma situação parecida de cancelamento de voo assim. Na Europa, pelo menos, eles são obrigados, caso você assim deseje, a te colocar em outro voo de qualquer companhia que faça o trajeto. Dá um pouco de trabalho, mas é uma informação importante. Não consegui pegar meu voo FRA-GIG por causa do meu voo anterior. Como chegamos muito tarde no aeroporto, a Lufthansa pagou o nosso hotel e janta, mas iriam nos acomodar no voo da noite, mas eu queria chegar logo em casa. Eles acabaram me colocando em um voo da KLM para AMS e depois em um para o GIG. Melhor coisa que eu fiz. Precisamos saber e usar nossos direitos. Eu acho que eu pediria ressarcimento por essa passagem de Milão até Paris.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *