VOANDO COM A AVIANCA (BSB/SDU)

Dediquei um sábado (dia 27 de maio) para participar de um evento especial: Spotter Day promovido pela administração do Aeroporto de Brasília (Inframerica), que tem a concessão para explorar este terminal desde 2012. Eu fui um dos 100 “sortudos” que tiveram a inscrição aceita (confira todos os detalhes e mais de 150 fotos AQUI)

Portanto, precisava voltar para o Rio de Janeiro no início da tarde, pois o evento tinha previsão de término para 11:30h.

COMPRA DA PASSAGEM

– no final de abril (com um mês de antecedência) pesquisei as opções de voos, tanto para compra de passagem quanto para “torrar” milhas; um voo da AVIANCA para o Santos Dumont/SDU surgiu como a melhor alternativa: com horário de partida agendado para 14:05h e a um preço convidativo de R$ 114,00 + taxas, uma excelente relação custo-benefício

O AEROPORTO DE BRASÍLIA 

– eu fiz o check-in às 05:30h, lá no Aeroporto, antes de participar do Spotter Day, em um dos muitos totens de auto-atendimento espalhados pela área onde estão instalados os guichês das companhias (é o 1º andar do prédio, o desembarque fica no térreo)

– depois do evento, retornei ao hotel para terminar de arrumar a mala e fazer o check-out e cheguei de volta ao aeroporto às 12:45h, com boa antecedência para o voo marcado para 14:05h neste sábado de sol e algumas nuvens na capital federal

– o aeroporto estava vazio, bem diferente da realidade dos dias úteis, quando a movimentação de passageiros de um lado para outro é intensa (Brasília está se consolidando como o maior hub nacional, com muitas conexões sendo feitas neste terminal)

– caso os passageiros queiram matar a fome e a sede antes de passar pelos controles de segurança, no 2º andar (escadas rolantes e elevadores permitem o acesso a esta área) está instalada a Praça de Alimentação, com cerca de 10 opções de lanchonetes e restaurantes; há janelões de vidro que permitem ampla visão para o pátio de manobras das aeronaves; nesta área, há também 02 agências bancárias e uma casa lotérica 

– os balcões de atendimento no check-in da AVIANCA também estavam vazios; a companhia dedica 01 uma fila para os passageiros de categoria Diamond e Gold no Programa Amigo 

– na inspeção de segurança, não havia quase ninguém, somente os funcionários aguardando os passageiros; passei pelo controle de raio-x às 13:10h; depois disso, todos são obrigados a passar por dentro de uma enorme loja Duty Free, antes de chegar ao saguão de embarque 

– depois da privatização, Salas VIP “independentes” foram instaladas no Aeroporto de Brasília, nenhuma delas diretamente vinculadas às companhias aéreas (para mais informações: http://www.bsb.aero/br/sala-vip/domestica/)

– de frente para a megaloja, também é possível apreciar o pátio de manobras que estava quase deserto, só haviam 02 aeronaves: o Embraer da AZUL pintado de amarelo (PR-AUA, apelido “Azul Canarinho“) que estava partindo para uma missão naquele momento e um Boeing 737-800 da GOL

– há muitos painéis eletrônicos com a programação de partidas e portões de embarque dos voos espalhados pelo saguão; naquele sábado, pouquíssima movimentação, um mínimo movimento: entre 14:00h e 18:00h, apenas 06 voos seriam operados

– os portões de 1 a 13 estão na parte esquerda do terminal e os portões 14 a 31 ficam na parte mais a direita; meu voo estava programado para o Portão 9; para acessar esta área, é preciso passar por um grande corredor; mais a frente, já perto da área de embarque, esteiras rolantes ajudam os passageiros no deslocamento

– perto dos portões de embarque, há algumas opções para alimentação; mais uma vez, janelões de vidro, que neste dia estavam bem sujos, precisando de uma limpeza, permitem uma visão privilegiada do pátio de manobras

– como pode ser visto, se você ainda tem alguma dúvida se a privatização é uma boa solução para a infraestrutura em nosso país, o Aeroporto de Brasília te ajuda a acabar com ela: trata-se de um ótimo terminal de passageiros

O EMBARQUE NO A319

– somente às 13:48h (a tripulação de cabine da AVIANCA só chegou instantes antes) o embarque para o voo 6235 foi anunciado no Portão 9, mas os passageiros só começaram a entrar na aeronave 05 minutos depois 

– a aeronave que levaria de volta à Cidade Maravilhosa era um A319 de prefixo PR-AVC, um Airbus fabricado em maio de 2010, que sempre voou pela AVIANCA e aparenta estar bem conservado pela companhia; eu tive a oportunidade de fotografar esta aeronave taxiando e decolando durante o evento realizado horas antes no Aeroporto; ela já está pintada com as novas cores da AVIANCA

– a configuração de cabine no tradicional 3 x 3, com capacidade para até 132 passageiros; a minha poltrona era a 14A, uma janela do lado direito, bem em cima da asa do A319 (curiosidade: você sabia que a AVIANCA não tem poltrona “13” nas suas aeronaves?); o voo estava quase lotado, com ocupação acima de 95%  

– as poltronas estão revestidas de tecido azul escuro; apoio para os pés é um diferencial nos Airbus da AVIANCA, mas o espaço é apertado para as pernas; além disso, o encosto de cabeça tem regulagem de altura, outra amenidade dos aviões da companhia

– o sistema de entretenimento tem tela individual de resolução apenas razoável; não foram distribuídos fones de ouvido na entrada da aeronave como é comum nos voos da AVIANCA, mais tarde descobri que o sistema não estava funcionando, ou seja, uma das atrações da companhia simplesmente não estava disponível; uma porta USB permite que os equipamentos eletrônicos portáteis sejam carregados durante o voo

O VOO PARA O RIO DE JANEIRO

Marcia era a Chefe de Cabine e estava acompanhada de mais 03 Comissários, que se encarregaram de fazer a demonstração das instruções de segurança de forma manual; pelo sistema de áudio, ela informou que Alexandre seria Comandante deste voo 

– o pushback foi feito às 14:17h, portanto, com mais de 10 minutos de atrasoo taxiamento foi longo (quase 11 minutos), como é típico dos voos que partem com direção a cidades do Sul e Sudeste, pois cruzamos a pista inteira em direção à cabeceira da pista 11R; decolamos às 14:28h, acelerando os 02 motores CFM 56 por 32 segundos 

– na fase inicial do voo os passageiros sentados na janela puderam apreciar uma bela combinação de céu azul e nuvens 

– logo depois que o sinal de apertar cintos foi desligado, a Chefe Marcia informou que a previsão de voo era de 1 hora e 20 minutos 

– o serviço de bordo foi iniciado um pouco antes de 15:00h: 02 Comissários atenderam os clientes das fileiras 1 a 12 os outros 02 se ocuparam dos passageiros das fileiras 14 a 23; foi servido um sanduíche quente de peito de peru com queijo, com várias opções de bebidas (não alcoólicas); eu pedi café e guaraná diet; o ” lixo” foi recolhido rápido, às 15:20h

– incomodei um simpático casal que sentava ao meu lado e fui ao banheiro na parte de trás (são 03 no total: 02 nesta parte do A319 e mais 01 na parte da frente): apertado (como sempre neste modelo de aeronave de corredor único) e sem nenhuma amenidade oferecida aos passageiros 

– o resto do voo foi tranquilo; eram 15:40h quando um anúncio da cabine de comando ordenou: “atenção tripulação, preparar para o pouso“; a aproximação foi feita pela rota que passa quase em cima do Galeão/GIG, aborda o Porto do Rio e a Ponte Rio-Niterói e faz o alinhamento final para pouso pela Baia de Guanabara 

– o trem de pouso foi armado e travado às 15:47h e tocamos o solo da pista de cerca de 1.300 metros do aeroporto central do Rio de Janeiro/SDU às 15:50h, encostando no Portão 3 menos de 03 minutos depois, encerrando com sucesso mais um “shuttle service” da AVIANCA

AVALIAÇÃO GERAL: a experiência com a AVIANCA começou muito bem com o excelente preço pago para voar de Brasília para o Rio de Janeiro; apesar do pouco espaço para as pernas, o A319 mais novos da companhia têm tudo para oferecer um bom serviço, com alguns diferenciais com relação às aeronaves da concorrência (encosto para os pés, regulagem do apoio de cabeça e sistema de vídeo), mas neste voo não pude assistir o Jornal da Band, o que faço tradicionalmente; a tripulação chegou atrasada e fez com que o voo saísse depois do horário previsto, mas o atendimento aos passageiros foi muito bom, com atenção e educação; no serviço de bordo, a companhia compete diretamente com a LATAM (a Azul oferece snacks e a GOL cobra pelo serviço), mas o fato do sanduíche ser servido quente e ter uma variedade maior de bebida faz com que a AVIANCA leve muita vantagem; no geral, foi uma experiência bastante satisfatória  

como é voar com a avianca, vale a pena voar com a avianca, andando na avianca, como é o voo com a Avianca, A319 da Avianca, voo de Brasilia para o Rio
5 respostas
  1. Júnior
    Júnior says:

    Muito bom, Cadu! Seus textos são ótimos!
    Na sua opinião, a Avianca seria a melhor Cia nacional, considerando tudo que ela oferece? E levando em conta todo o custo-benefício, preço de passagem, que Cia você apontaria?

    Responder
    • Cadu Franco
      Cadu Franco says:

      Júnior, obrigado pela audiência e elogios! É sempre bom ouvi-los para continuar tentando caprichar cada vez mais. A sua pergunta sobre a melhor companhia aérea não tem uma resposta simples…isto depende de muitas variáveis, o que pode levar a percepções diferentes e opniões muito diversas. De fato, a Avianca tem algumas virtudes que me agradam: preço bom, A320 e A319 com sistema de vídeo com bom conteúdo, apoio de pés, sanduíche quente, bom programa de fidelização e muita flexibilidade para antecipação de voos. Mas tem 02 probleminhas: a malha é pequena (por exemplo: não tem voos para Vitória) e a frota também (por isso, tenho viajado em aeronaves com pequenos defeitos, ontem voltei de Brasília para o Rio no A319 – PR-AVB – com 02 banheiros interditados dos 03 instalados) e o PR-AVC desta avaliação está sem sistema de vídeo há algumas semanas. V&A

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta para Paluzoid Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *