VOANDO COM A AZUL (SDU/GRU)

– chegou a hora de ir para São Paulo acompanhar o 1º pouso do gigante A380 da companhia EMIRATES em voo regular de Dubai para Guarulhos (confira todos os detalhes deste momento histórico para a aviação brasileira  brasileira AQUI)

COMPRA DA PASSAGEM

– em 16.01.2017, a EMIRATES anunciou oficialmente que faria a substituição do Boeing 777-300ER pelo A380 na rota entre Emirados Árabes e Brasil, usando as redes sociais para compartilhar a novidade e, no mesmo dia, comecei a procurar as melhores opções para ir do Rio de Janeiro para São Paulo no dia 26.03.2017 (domingo)

–  o gigante tinha previsão de chegada para 16:30h; pesquisei as rotas saindo do Galeão ou Santos Dumont, no Rio, para Congonhas ou Guarulhos, em São Paulo; a AZUL surgiu como a melhor alternativa para o voo de ida, do Santos Dumont direto para Guarulhos (para o voo de retorno, gastei 5.000 pontos do Programa LATAM Fidelidade para um voo de ponta aérea CGH-SDU)

– aos domingos, a AZUL opera 04 voos entre SDU e GRU, o 1º no final da manhã (11:35h) e o último no final da noite (22:10h); a tarifa mais barata era justamente para o voo que me servia e que me permitiria chegar com folgas em Guarulhos: R$ 99,00 + taxas (no perfil PROMO, que prevê alta taxa de alteração – R$ 180,00 e de “no show” – R$ 250,00), com previsão de pouso para 12:50h

– a AZUL cobra uma taxa de serviço para compras efetuadas pela Internet, o que vai na completa contramão do mundo digital em que vivemos, onde as vendas on-line são incentivadas justamente pela falta de cobrança de algum encargo; isto sempre me irrita; com isso, os R$ 99,00 do valor líquido da passagem chega ao total de R$ 144,08, com inclusão desta “apelação” da companhia aérea e da taxa de embarque do SDU

CHECK-IN

– fiz o check-in pela Internet no dia anterior (com 72 horas de antecedência, a AZUL libera o processo pelo site); o processo é simples e pode ser iniciado com a inserção do CPF ou Identidade/RG do passageiro, o código da reserva ou ainda com a inclusão do número TudoAzul (programa de fidelização da companhia)

– a AZUL oferece 250 pontos no TudoAzul para os passageiros que optam por fazer o check-in pela Internet e, com isso, não precisar usar os serviços dos agentes de aeroporto; neste voo, eu acumulei no total apenas 500 pontos no Programa, ou seja, metade deles foram creditados pelo fato de eu ter antecipado o check-in

O AEROPORTO SDU

– com o horário de partida do voo AD2405 marcado para 11:35h, cheguei às 10:50h no SDU, não peguei trânsito algum naquela ensolarada manhã de domingo na capital carioca

– a AZUL tem 08 guichês de atendimento neste terminal, além de muitos terminais eletrônicos de auto-atendimento, onde o passageiro pode fazer o check-in e retirar as etiquetas para as bagagens que serão despachadas; neste dia, poucas pessoas estavam sendo atendidas

– passo pelo SDU pelo menos 02 vezes por semana nas minhas viagens a trabalho; em dias úteis o movimento de passageiros é sempre intenso, a qualquer hora; passar por lá nos fins de semana é muito diferente, são poucos passageiros, ninguém de terno, o clima é completamente outro; o terminal tem 03 andares: no térreo fica a área de check-in das companhias que operam por aqui (LATAM, GOL, AZUL, AVIANCA e PASSAREDO, que transferiu suas atividades do Galeão recentemente, são 03 voos diários para Ribeirão Preto), no 2º andar há lojas, Salas VIPs, caixas eletrônicas e lanchonetes, além da área de controle de segurança e acesso ao saguão dos portões de embarque; já no 3º andar, há uma casa lotérica e um restaurante

EMBARQUE NO E-190

– os painéis eletrônicos indicavam que o embarque do meu voo seria feito pelo Portão 7, o penúltimo do lado esquerdo do saguão; cheguei lá às 11:00h, justamente no momento em que estava sendo iniciado o embarque para o voo AD2405; uma pequena fila se formou; fui tirar algumas fotos e quando voltei já não tinha mais ninguém, entrei direto

– o avião que me levaria até Guarulhos era o Embraer E-190, que carrega o prefixo PR-AZA e, como todos os aviões da AZUL, tem um apelido: AZULVILLE; ele começou a voar em fevereiro de 2008 nas cores da co-irmã americana JETBLUE (as companhias têm o mesmo fundador, David Neeleman – confira a experiência de voar nela AQUI) e em outubro do mesmo ano foi incorporado à frota da companhia brasileira

– este E-Jet traz a configuração tradicional das máquinas fabricadas pela “nossa” Embraer: apenas 02 poltronas de cada lado, ou seja, nada da incômoda poltrona do meio, que estamos acostumados a ver nos Airbus da LATAM e nos Boeings da GOL; os assentos são revestidos de couro cinza; apesar dos quase 10 anos de operação, esta aeronave está muito bem conservada pela AZUL

Mateus era o chefe de cabine do voo e estava acompanhado de mais 02 Comissárias; ele usou o sistema de áudio para se identificar e informar que o Comandante Marcelo era o responsável pelo voo até GRU; as portas foram fechadas às 11:20h, portanto, indicação de que partiríamos no horário; nesta jornada, a ocupação era de 70%

– o meu assento original era o 6A, uma janela do lado esquerdo; tentarei evitar este lugar nas próximas viagens no E-190: a janela não fica ao lado do passageiro, ela está instalada um pouco à frente, prejudicando a visão do mundo lá fora; neste momento, descobri que, no momento do check-in, eu comprei, de forma totalmente não intencional, o chamado Espaço Azul, localizado nas primeiras fileiras das aeronaves, onde é oferecido mais espaço para as pernas (são 86 centímetros entre as poltronas); o custo foi de R$ 30,00; eu realmente fiz o check-in às pressas e não reparei que tinha escolhido um assento diferenciado; como a AZUL já tinha os meus dados de cartão de crédito, a compra foi automática; de fato, o espaço para as pernas apenas é bem mais razoável do que o normal, é possível ficar de pernas cruzadas tranquilamente

– um pouco antes de começarmos a taxiar, reparei que estava sentado do lado errado da aeronave…a decolagem seria feita na direção do Morro Pão de Açucar, portanto, o melhor lugar para estar é do lado direito da aeronave, de onde é possível contemplar toda a beleza da Cidade Maravilhosa; me mudei para a poltrona 4D, que estava livre e também era um Espaço Azul

O VOO PARA GUARULHOS

– o pushback foi iniciado às 11:25h, alinhamos na cabeceira da pista 20L às 11:32h, o E-190 fez uma curva a direita já acelerando para inicar a decolagem; os 02 motores empurraram o avião por 23 segundos até que começamos a ganhar altitude

– o fato de voar a partir do Santos Dumont nos dias de sol pode ser traduzido em: ótima oportunidade para registrar as belezas do Rio de Janeiro (Pão de Açucar, Enseada de Botafogo, Urca, Praia de Copacabana, Lagoa Rodrigo de Freitas e Maracanã, além do Aeroporto Internacioal do Galeão)

VÍDEO – Decolagem SDU

– logo após a decolagem, o Chefe de Cabine informou que o tempo de voo até GRU seria de 45 minutos; logo em seguida, ele passou anotando as opções de bebida para os passageiros sentados na parte da frente do Embraer: suco de laranja foi a minha escolha 

– neste modelo de avião não há tomadas ou portas USB instaladas para que os passageiros possam carregar seus equipamentos eletrônicos, o que é um ponto negativo nos dias atuais; o sistema de video não é dos mehores: tela de pequena dimensão e com baixa resolução; nesta aeronave, não tinha TV por Satélite (SKY) ao vivo; algumas poucas opções de programas estavam disponíveis (por exemplo: Canal OFF), além daquele mapa que mostra o andamento do voo; os comandos ficam instalados na ponta do braço da poltrona

– por volta de meio-dia, uma Comissária passou com o tradicional “bandejão” da AZUL com as opções de snacks e distribuía “sem miséria”, dando mais de um aos passageiros (era hora do almoço, a fome estava começando a bater forte); neste voo, as opções eram: saco de batata frita, pacote de goiabinha, um pacotinho das tradicionais balinhas de goma em forma de aviãozinho, além de biscoito integral de queijo

– eram 12:00h quando o Comandante finamente se dirigiu aos passageiros (somente em português) pelo sistema de áudio, informando, de forma muito rápida, que 12:25h era a nossa previsão de pouso e que a temperatura era de 24 graus em Guarulhos 

– fui ao banheiro instalado na parte frontal da aeronave para conferir o tamanho dele: pequeno e apertado, no E-190 é menor do que aqueles que encontramos no A319 ou no B737

– na volta ao meu lugar, aproveitei para conferir como seria voar na 1ª fileira deste Embraer; o espaço para as pernas é ainda mais privilegiado e as telas do sistema de vídeo estão instaladas na “parede” da aeronave

– por volta de 12:10h, foi feito o recolhimento do lixo; primeiro, uma das Comissárias passa pelo corredor da cabine com um saco amarelo só para recolher as latinhas de refrigerante, uma ação de reciclagemem defesa do meio ambiente“, de acordo com o anúncio feito pelo Chefe de Cabine

– quando já estávemos em procedimento de descida para pouso em GRU, o Chefe Mateus usou novamente o sistema de áudio para fazer “marketing”: anunciou que a AZUL tinha lançado voos de Belo Horizonte/CNF para Buenos Aires/EZE, ressaltou a parceria com a americana UNITED e que o fone de ouvido distribuído na porta da aeronave no momento do embarque era uma cortesia da AZUL, alertando: “não esqueça de trazer no próximo voo

– o trem de pouso foi armado e travado às 12:15h; o procedimento de aproximação foi muito tranquilo (bem diferente das arremetidas que enfrentei no dia 24.02.2017 a bordo do A321 da LATAM, confira AQUI), com uma bela visão dos arredores do Aeroporto de Guarulhos; pousamos de forma tranquila e segura na pista 09R apenas 02 minutos depois  

– o Terminal 1 é o mais modesto dos 03 que existem em GRU; é frequentado somente por aviões da AZUL e PASSAREDO e não tem pontes de (des)embarque, me trazendo saudosas lembranças do SDU de décadas atrás: sair do avião com a ajuda de uma escada e ir andando até o modesto prédio e, obviamente, tirando muitas fotos do AZULVILLE estacionado, sendo descarregado e preparado para a próxima missão

AVALIAÇÃO GERAL: o preço da passagem anunciado pela AZUL era extremamente razoável (R$ 99,00), mas o acréscimo da injustificável “taxa de serviço” e acréscimo do assento especial comprado sem querer, acabaram prejudicando a percepção de valor para este voo; eu adoro viajar nos aviões da Embraer, o fato de ter somente 02 poltronas me agrada muito, mas comparando com outros voos nos E-jets da companhia, o AZULVILLE tem seus defeitos, em especial a falta de tomada e o sistema de vídeo de menor qualidade; tivemos pontualidade na saída do SDU e na chegada a GRU; como sempre, a tripulação da AZUL se comportou muito bem, com muitos sorrisos e paciência para atender ao passageiros; o serviço de bordo sempre agrada, a variedade de snacks é um diferencial e os comissários não ficam regulando se os passageiros pedem mais de uma opção; no geral, foi mais uma agradável experiência com a AZUL LINHAS ÁEREAS BRASILEIRAS

como é voar na Azul, voando na Azul, Embraer da Azul, andando na azul, vale a pena voar na azul
5 respostas
  1. Júnior
    Júnior says:

    Mto bom artigo, bem detalhado!
    Uma dúvida, quero viajar em Agosto para SP pela Azul, mas as passagens deles estão mto mais caras que a da Latam e Gol (olhei no site da Decolar, CVC e no próprio site da Azul). Tem dicas para buscar um bom preço pela Azul?

    Responder
    • Cadu Franco
      Cadu Franco says:

      Olá, Júnior. Tudo bem? Vamos lá: as minhas experiências com a Azul foram de preços razoáveis, mas eu sempre comprei com muita antecedência. Agosto não está tão longe assim…eu sugiro que você fique de olho nas promoções que com certeza surgirão daqui até lá e fique de prontidão: assim que for anunciada, larga tudo que está fazendo e corre para o site da Azul (eu nunca comprei nada nestes outros sites de venda de passagens, só compro direto com as companhias aéreas). Bons voos! V&A

      Responder
      • Júnior
        Júnior says:

        Ok, obrigado Cadu pelas dicas. Realmente uma conferida diária nas passagens faz toda diferença no preço final da viagem.
        Estou curioso para ler sua experiência de voo com a Avianca na próxima semana. Essa foi a única das grandes Nacionais que nunca voei.
        Abraços!

        Responder
  2. Ricardo Durante
    Ricardo Durante says:

    A disposição das poltronas nos aviões da Azul são horríveis para quem gosta de uma janela….. ou fica muito para frente ou muito para trás. A noite as luzes que piscam na asa chegam a incomodar quem olha para fora. Evito ao máximo voar pela Azul.

    Responder
    • Cadu Franco
      Cadu Franco says:

      Ricardo, obrigado pelos seus comentários. Você traz um ponto interessante, que eu nunca reparei realmente: como as luzes de sinalização das asas podem incomodar os passageiros. Vou passar a avaliar este ponto. Bons voos! V&A

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *