Voando com a DELTA AIRLINES (GRU/JFK)

label_delta_gru-jfk

– é uma questão de filosofia de vida: feriado que cai em uma 3ª ou 5ª feira significa oportunidade para viajar e esquecer um pouco a rotina estressante que o cotidiano de trabalho nos traz; olhando o calendário, reparei que o dia 15 de novembro de 2016 era uma 3ª feira, portanto, feriadão pela frente; esta viagem para Nova York é o reflexo desta janela; para o voo da ida, foram usadas milhas do Programa Smiles (mais detalhes abaixo) e para a volta, recorri aos pontos do Programa LATAM Fidelidade

A EMISSÃO DA PASSAGEM

– a passagem foi emitida no final de março de 2016 (cerca de 08 meses de antecedência), aproveitei uma das muitas promoções que o Programa Smiles realiza ao longo do ano para voar em classe Executiva: foram 55.000 milhas para ir do SDU para GRU (no B738-800 da GOL) e de lá para New York/JFK com a DELTA AIRLINES, uma das parceiras do Programa

passagem_delta_smiles

– achei o custo-benefício muito bom, por exemplo: recentemente, aproveitei um outra promoção do Programa e comprei milhas a R$ 0,02, ou seja, eu teria gasto R$ 1.100,oo para voar de classe Executiva do Brasil para os Estados Unidos; além disso, ainda não tinha ido para minha querida Nova York no ano de 2016 e seria a minha 1ª experiência com a DELTA AIRLINES, nunca tinha voado com a companhia americana 

A DELTA AIRLINES

– a DELTA AIRLINES foi fundada em 1930 em Atlanta, onde hoje funciona o seu maior hub dentro dos Estados Unidos (Cincinnati e Nova York/JFK são os outros hubs mais importantes para esta companhia americana); na história recente, o principal marco foi a fusão com a companhia Northwest Airlines, ocorrida em 2008

– a frota atual passa de 1.300 aeronaves, dos mais diversos tipos e modelos, desde o pequeno Boeing 717 até o gigantesco Boeing 747, permitindo que a companhia atenda a mais de 350 destinos pelo mundo, nos 06 continentes 

– a companhia ocupou a 35ª posição no ranking Skytrax de 2016, escalando 10 posições comparando com o resultado do ano anterior

– atualmente, possui uma participação acionária de cerca de 10% na companhia brasileira GOL LINHAS ÁEREAS, de forma que as companhias possuem uma série de  acordos de cooperação e compartilhamento de voos

O CHECK- IN NA GOL

– a DELTA libera o check-in pela Internet 24 horas antes do voo; eu tentei fazer, mas não consegui concluir; cheguei a preencher todos os dados (passaporte, visto, endereço nos EUA, etc.), mas o processo não foi completado, recebi uma mensagem de erro; a minha experiência com bilhetes emitidos com milhas do Programa Smiles é ruim, nunca consigo antecipar o check-in

– além disso, recebi uma mensagem durante a tentativa frustrada de que a DELTA estava oferecendo uma recompensa para o passageiro que aceitasse ser alocado em outro voo: clara indicação de que o voo GRU-JFK estava com overbooking; quando cheguei no portão de embarque em Guarulhos, me informei e descobri que a oferta valia para voluntários da classe Econômica que pudessem viajar no dia seguinte, não era o meu caso

Alerta - Overbooking Delta

– portanto, fazer o check-in no Santos Dumont/SDU era a única opção; cheguei lá por volta de 17:45h, com segurança para o voo doméstico partindo às 18:55h; fui direto para o atendimento prioritário para clientes Smiles Diamante; o atendimento foi ótimo, rápido e eficiente; os assentos pré-reservados foram honrados e minha mala foi despachada diretamente para Nova York, não precisaria fazer nada em Guarulhos/GRU 

Passaporte + Cartão de Embarque - Delta

O VOO PARA GRU

– o voo para GRU operado pela GOL foi feito no B737-800 de prefixo PR-GXR (entregue novo à companhia brasileira em fevereiro de 2014); sentei na poltrona 2F, uma janela do lado direito da aeronave; a companhia configurou as 07 primeiras fileiras dos seus Boeings com muito espaço para as pernas (esta facilidade é gratuita para clientes Diamante e pode ser comprada pelos demais passageiros, o preço varia de acordo com o voo)

– ao contrário da Ponte Aérea (SDU-CGH), o serviço de bordo gratuito do voo do SDU para GRU é extremamente simples: pacotinho de biscoito integral (salgado ou doce) e água (única opção de bebida), nada mais; outros produtos são oferecidos mediante pagamento 

Agua e Biscoito - GOL - SDU_GRU

– o voo marcado partiu pontualmente do SDU, foi uma jornada tranquila, sem percalços até o Aeroporto Internacional de Guarulhos, onde cheguei às 19:51h

O TERMINAL 2 DE GRU

– quando cheguei no Terminal 2 de GRU, quis confirmar como devia proceder para transitar para a área internacional, mas não haviam funcionários da GOL na saída do avião para orientar os passageiros; eu tinha uma boa noção do que deveria fazer, mas fiquei imaginando como seria difícil para uma pessoa que não soubesse migrar da área nacional para internacional, ainda mais considerando que a sinalização do aeroporto não é ostensiva

– a caminhada  até o controle de segurança do T2 levou cerca de 10 minutos; dos 04 aparelhos de raio-x, apenas 02 estavam funcionando, fiquei na fila por cerca de 10 minutos; já no controle da Polícia Federal, apenas 03 catracas eletrônicas estão instaladas para o controle de passaportes, foram mais 10 minutos perdidos na fila 

– há muito tempo não embarcava pela parte antiga de GRU, pois quando estou por lá geralmente pego os voos da LATAM que partem do T3, a parte mais nova deste aeroporto privatizado em 2013; o T2 ainda tem uma estrutura antiga e apertada, a diferença do ambiente destes terminais é gritante, a única área que está modernizada é a zona de Free Shop

A (NOVA) SALA VIP DA GOL

– a DELTA usa as facilidades da Sala VIP da GOL neste Aeroporto, consequência dos acordos existentes entre as companhias; este espaço foi inaugurado recentemente (outubro de 2016) e fica no 2º andar, é preciso pegar um elevador para chegar lá; na porta, a logomarca da companhia brasileira está destacada, mas está acompanhada dos símbolos da DELTA, AIR FRANCE e KLM 

– esta VIP Lounge é grande, são vários ambientes, inclusive espaço kids e sala de TV, com muitos móveis com design moderno em madeira e há muitos lugares para sentar (longos sofás, cadeiras com formas diversas e bancadas); nesta noite de sábado estava simplesmente lotada, foi difícil arrumar um lugar para encostar a mochila e sentar; o ar-condicionado não dava conta e o ambiente estava quente 

– na recepção, perguntei como estava a fila para tomar banho: havia um chuveiro disponível; o funcionário pediu meu cartão de embarque e me entregou a chave do “box” (o chaveiro parecia de um banheiro de posto de gasolina, muito simples e escrito a mão); o tamanho do banheiro era apenas razoável, mas permitiu um bom banho; a pia tem um formato futurísitico, as toalhas trazem a logomarca da GOL e os produtos (sabão, shampoo e condicionador) estão colocados em potes grudados na parede do box

– no buffet, as opções eram variadas, mas somente um prato quente disponível: penne (que estava muito duro, devia estar na bancada quente por horas e passou muito do ponto) que podia ser complementado com 03 tipos de molho (eu escolhi um tradicional molho de tomate); além disso, frutas, biscoitos, mini-sanduíches, salada e salgadinhos eram as opções de comida

– em termos de bebida, um bar com iluminação marcante em verde é onde são servidas as bebidas alcoólicas; o garçom que ficava por lá atendia a todos com muita paciência; pedi um vinho branco para tentar refrescar um pouco (o ar realmente não funcionava direito), que foi servido em uma taça com a logomarca da GOL; há 02 máquinas de café no espaço

– o anúncio de que o embarque para o voo DL472 estava sendo iniciado pelo Portão 235 foi feito às 21:20h, de forma protocolar, exatamente 01 hora antes do horário de previsto de partida

O EMBARQUE NO B767-300

– uma multidão de pessoas se encontrava em frente ao Portão 235, o embarque de outro voo da DELTA (para Detroit, operado por um A330) estava sendo feito no portão ao lado, as filas dos 02 voos se confundiam; depois de perguntar sobre a oferta do overbooking e conferir que não tinha nenhuma oportunidade para mim, fui para a fila de prioridades e às 21:40h entrei no avião da DELTA 

– no lado esquerdo da porta do avião, uma pintura do símbolo da SKYTEAM (a DELTA é uma das companhias fundadoras desta aliança global) e do lado direito, a indicação de que a DELTA é a companhia americana mais premiada, além da indicação de que havia sistema de Wi-Fi a bordo; um Comissário americano falando um português razoável entregava logo aos passageiros os formulários de alfândega para entrada nos Estados Unidos 

– o Boeing 767 escalado para este voo era um “velho de guerra“: fabricado em 1991, fez parte da frota da GULF AIR até 1997 quando passou a voar com a DELTA com o prefixo N155DL; apesar de seus 25 anos de serviço, foi possível perceber que a aeronave já passou por um processo de retrofit de cabine, que está remodelada, mas não é de última geração 

– a configuração de poltronas na classe Executiva (denominada de DELTA ONE) é no esquema 1 x 2 x 1, ou seja, todos os passageiros têm acesso direto ao corredor, não é preciso indomodar ninguém para ir ao banheiro durante o voo, isto é excelente; nesta jornada, casa cheia, o voo estava lotado (dos 24 lugares, um deles é destinado ao descanso da tripulação) 

– a necessaire foi distribuída enquanto eu ainda acomodava os meus pertences: da marca TUMI, de cor preta, completa (até um potinho com antisséptico bucal vem neste kit) e com produtos cosméticos da marca americana Kiehl’s; resumindo, de alto nível

– as poltronas eram revestidas com couro na cor azul, com um faixa cinza e vermelha na altura do encosto de cabeça e um pequeno símbolo da DELTA bordado na parte superior direita; a luz de leitura, portas USB e tomada para carregar celulares estão muito bem posicionados, de fácil acesso; em cima de cada assento, um conjunto embalado de travesseiro (ótimo tamanho, grande e confortável) e cobertor  (também confortável) e também o fone de ouvido

– o welcome drink foi oferecido logo depois: aceitei o champagne, que estava bem gelado, “no grau”, junto com um pacotinho de castanha de caju; me chamou atenção que cerveja também é oferecida aos passageiros, foi a 1ª vez que vi isso (bebida alcoólica só é servida a maiores de 21 anos nos voos da DELTA); o Chefe de Cabine, de nome Charles, entregou o menu do serviço de bordo assinado pela Chef Michelle Bernstein; muito simpático, me chamou pelo nome e brincou que éramos xarás

– eram 22:30h quando o Comandante se dirigiu a todos pelo sistema de áudio informando que teríamos um pequeno atraso na partida, pois o carregamento de bagagens ainda estava sendo feito; informou que a duração do voo até Nova York seria de 09 horas e 58 minutos 

O VOO PARA NOVA YORK

– as comunicações da tripulação com os passageiros foram feitas sempre em inglês e português, inclusive as instruções de segurança que foram apresentadas antes de partirmos

– o pushback foi iniciado às 22:35h, ou seja, com 15 minutos de atraso com relação ao horário de partida; taxiamos lentamente por GRU até alcançar a cabeceira às 22:47h; 02 minutos depois as 02 turbinas começaram a empurrar o B767, que demorou 37 segundos para levantar voo

– o sistema de entretenimento não é de última geração, a tela pequena e de baixa resolução é o maior indicativo disso; o controle remoto fica escondido no braço da poltrona; para os principais filmes, o português não era uma opção para a dublagem; navegando pelo sistema, descobri que há uma sessão específica para filmes em português, com muitas opções de filmes, mas a maioria deles é antiga, não há novidades; o fone de ouvido é ótimo, o isolamento acústico funciona muito bem; comecei a ver ANGRY BIRD, o desenho animado do famoso jogo para celular

 – a tradicional toalhinha quente foi distribuída aos passageiros às 23:10h, sendo recolhida logo em seguida; o jantar começou a ser servido às 23:20h; primeiro foi servido um prato com camarão, que estava uma delícia 

04 opções de prato principal estavam disponíveis neste voo: filé com couves-de-bruxelas e purê / franco a dorê com alcachofras, ervilhas e couve-flor / farfalhe primavera com salada de legumes / bobó de camarão; escolhi o filé;  haviam 02 opções de entrada: salada de vagens e tomate com queijo feta / sopa de frango colombiana; escolhi a salada; para beber, pedi o vinho branco, que estava ótimo (que foi reposto 02 vezes, não precisei nem pedir)

– além dos vinhos (branco e tinto), muitas opções de bebidas destiladas faziam parte do “bar” da DELTA; outro fato me chamou a atenção e me impressionou: 04 marcas de cerveja podiam ser escolhidas (Heineken, Miller, Samuel Adams e Skol)

– para sobremesa, a DELTA oferecia 03 opções: o tradicional sundae / pudim de leite à brasileira / seleção de queijos finos; nem pensei duas vezes, tinha que experimentar pela primeira vez o famoso sundae da classe Executiva da DELTA; valeu a pena, estava simplesmente delicioso; ao final, recusei café e chá que foram oferecidos

– no geral, foi um jantar excelente, tudo estava muito bom, com ótimo sabor e apresentação perfeita, os talheres de aço inox com a logomarca da DELTA traziam mais charme; o serviço dos Comissários foi muito atencioso, mas percebi uma certa ansiedade por parte deles em fazer logo o trabalho, querendo terminar logo de servir 

– o sono começou a bater, achei melhor ir logo ao banheiro para escovar os dentes; o toalete tinha ótimo tamanho, a pia era grande e o espaço estava limpo 

– quando voltei para o meu lugar, lembrei de testar o sistema de conectividade a bordo; usar o Wi-Fi durante o voo para ficar online na Internet é sempre interessante; um cartão está disponível com as instruções para acessar a facilidade; o custo de 5,95 dólares por 01 hora de acesso não é pouco, mas valeu a pena; respondi mensagens do Facebook, vi e-mails e acessei o Flight Radar para conferir onde estávamos na rota para os Estados Unidos

– por volta de meia-noite coloquei o assento na posição full flat (ele se torna uma cama 180 graus); os pés ficam enfiados e afunilados na parte inferior da estrutura da poltrona da frente, por debaixo da tela de vídeo; a sensação é de aperto, pode ser incômodo para alguns passageiros; o travesseiro é de bom tamanho e o cobertor traz conforto; eu estava cansado, consegui descansar bem até 06:40h

– as luzes da cabine foram acesas às 07:00h, indicando que o café da manhã seria servido em seguida; a bandeja entregue aos passageiros era completa: o croissant estava quentinho, as mini-panquecas estavam saborosas, o creme doce e a geleia que acompanhavam estavam deliciosas; o potinho de salada de frutas estava fresco; o café preto era forte e com bom sabor; foi uma ótima refeição matinal

Café da manhã - Delta - GRU/JFK

– um anúncio foi feito às 07:55h informando que já estávamos em procedimento de descida, o pouso seria feito em 30 minutos (mais uma vez, em inglês e português); o fuso-horário de Nova York nesta época do ano é -3 horas com relação ao horário de Brasília

– o Chefe de Cabine Charles passou na poltrona de cada passageiro distribuindo sorrisos, agradecimentos e um chocolate (fabricado no Brasil, em Campos de Jordão) 

Chocolate - Delta - GRU/JFK

– ainda estava escuro quando pousamos no Aeroporto JFK em Nova York às 05:24h no horário local (08:24h no horário brasileiro), um procedimento seguro, encerrando com sucesso mais um voo entre o Brasil e Estados Unidos

AVALIAÇÃO GERAL: sem dúvidas, a minha primeira experiência com a DELTA AIRLINES foi extremamente satisfatória; a atitude da tripulação, com destaque para a simpatia do Chefe de Cabine, foi perfeita, apesar de alguns tons de ansiedade que percebi em alguns momentos; todas as etapas do serviço de bordo foram acima da média, pratos deliciosos e apresentação exemplar; o B767 com 25 anos de idade poderia ser um ponto fraco, mas apesar do sistema de vídeo ser de geração ultrapassada, o conjunto da poltrona traz muito conforto aos passageiros; com relação à passagem, não tenho como deixar de levar em consideração o fato de eu ter direito a upgrade gratuito para a classe Executiva quando estou voando com a LATAM, ou seja, “torrar” 55.000 milhas seria um negócio ruim dentro deste contexto, mas analisando a promoção que aproveitei em si, foi uma grande oportunidade voar em Business com essa quantidade de milhas; também vale o registro de que a nova Sala VIP da GOL não tem condições de receber muitos passageiros ao mesmo tempo, espero que a companhia consiga elevar o seu nível de serviço, considerando que o espaço foi inaugurado há poucos meses (o banho que tomei por lá foi reconfortante)

delta_jfk_avaliacao

andando na executiva da Delta, como é andar na Delta, viajando com a Delta, Delta One executiva
6 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] companhias: LATAM BRASIL, AMERICAN AIRLINES, DELTA AIRLINES (já voei e avaliei este voo, confira AQUI) e UNITED AIRLINES (que voa para o Aeroporto […]

  2. […] Em novembro de 2016, voei e avaliei a DELTA viajando no B767, na rota GRU/JFK e na classe Executiva. A experiência foi ótima, confira os detalhes AQUI. […]

  3. […] – o feriadão de 15 de novembro de 2016 estava acabando, hora de voltar para o Brasil, depois de 03 intensos dias com minha esposa em Nova York; a ida para a cidade americana foi feita na classe Executiva da DELTA AIRLINES usando milhas do Programa Smiles, foi a 1ª vez que voei com a tradicional companhia americana e foi um experiência ótima (confira a avaliação completa aqui) […]

  4. […] quando voei e avaliei a DELTA AIRLINES em um voo para Nova York (veja a avaliação completa aqui). A única coisa que acabei não fazendo foi tomar […]

  5. […] a classe Executiva da companhia americana de GRU para JFK – confira a avaliação completa aqui). O serviço atualmente é gratuito, as 02 opções disponíveis de “pacote” (30 […]

  6. […] para colocar os sapatos durante o voo; a DELTA AIRLINES (veja avaliação completa do voo GRU/JFK aqui) também oferece uma necessaire da TUMI, mas gostei mais desta distribuída pela […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *