Voando com a LATAM (GRU/FRA)

_label_LATAM_GRU-FRA

– chegou a hora de um merecido descanso de 10 dias na Europa com minha esposa, um curto período de férias para visitar a Alemanha (Frankfurt e Berlin) e Holanda (Roterdã e Amsterdã); faremos 03 voos: do Brasil para Frankfurt com a LATAM, de Berlin para Roterdã com a TRANSAVIA e de Amsterdã para o Brasil (via Roma) com a ALITALIA; esta é a avaliação do primeiro voo, em direção à Europa

COMPRA DA PASSAGEM

– as passagens foram emitidas em dezembro de 2015 (cerca de 09 meses de antecedência): aproveitei uma promoção relâmpago da TAM para conseguir o bilhete por 35.000 pontos (por pessoa + R$ 114,02 de taxas) do Programa Fidelidade para ir do Galeão para Guarulhos e de lá para Frankfurt; o foco desta avaliação é trecho internacional desta jornada voado no dia 07 de setembro de 2016

passagem_gru_fra_tam

– para destinos internacionais operados por ela, a LATAM é sempre a minha 1ª opção, pois fico de olho na possibilidade de upgrade para classe Executiva, em função dos benefícios associados ao meu status BLACK no Programa Fidelidade; vale lembrar que em abril de 2016 passaram a vigorar novas regras do Programa e uma das novidades foi a possibilidade de concessão da vantagem de upgrade para um passageiro acompanhante (no meu caso, eu “ganho” 06 vouchers e uma viagem do Brasil para Europa “custa” 03 vouchers); esta seria a primeira vez que tentaria garantir que minha esposa também se beneficiasse desta camaradagem da LATAM

O AEROPORTO DE GUARULHOS

– o trecho Rio de Janeiro/GIG para São Paulo/GRU foi operado por um Boeing 767-300 (em abril de 2016, a LATAM começou a operar este wide-body nesta rota, em substituição ao Airbus A320); o voo saiu no horário da capital carioca e pousamos em terras paulistas por volta das 20:00h; a caminhada entre os terminais nacional e o internacional (Terminal 3) de Guarulhos dura cerca de 10 minutos

– o check-in já tinha sido feito pela Internet com 71 horas de antecedência do voo (de acordo com as regras para o upgrade, quanto mais cedo eu fizer, mais chances eu tenho), mas passamos nos guichês de atendimento da LATAM, que estavam vazios, para reimprimir o boarding pass; o atendimento foi rápido e eficiente

– por volta de 20:40h partimos em direção à área de embarque de GRU: muitos amigos e familiares se despediam em frente às catracas eletrônicas (aqui os funcionários que faziam aquela leitura de código de barras do cartão de embarque foram dispensados) que controlam a entrada dos passageiros

Embarque _ Guarulhos

– na área de controle de segurança estão instaladas 10 máquinas de raio-x e neste dia 08 delas estavam funcionando, com isso, a fila andou rápido e foram apenas 05 minutos para demonstrar às autoridades brasileiras de que não carregávamos nada de irregular em nossas bagagens de mão

– já na área de controle de passaportes, a Polícia Federal instalou 03 catracas eletrônicas (além de 42 guichês para controle manual) para onde os passageiros com passaportes brasileiros mais novos (com chip) eram direcionados: o processo acaba sendo mais lento, pois as pessoas não sabem direito o que fazer e somente 01 funcionário tentava orientar a todos; resultado: fila para passar pela catraca e ninguém nos guichês do “jeito velho”

SALA VIP DA LATAM

– vencidos todos os controles, fomos direto para a Sala VIP da LATAM, que já foi avaliada em diversas outras oportunidades por V&A: o espaço é ótimo, amplo e com vários ambientes

– quando chegamos na recepção (a identificação é obrigatória), perguntamos sobre os pedidos de upgrade: a 1ª informação foi desencontrada: o meu nome não aparecia na lista e minha esposa era a 1ª da lista; falei que aquilo era estranho, pois ela estava “pendurada” no meu pedido, somente eu tinha o cartão BLACK; a atendente fez uma cara de desespero; eu tive a ideia de perguntar se, de repente, o meu upgrade já tinha sido confirmado: bingo, era isso! O alívio dela foi enorme…ótima notícia para mim e as perspectivas para o upgrade da “patroa” eram boas

– o espaço estava bem cheio nesta noite de 4ª feira, todas as mesas instaladas perto da parte do buffet estavam ocupadas; já na parte mais social, onde há dezenas de sofás, poltronas e mesinhas um número menor de passageiros aguardava a chamada para seus voos

– nesta Sala VIP, a LATAM não oferece refeição completa, somente um buffet de snacks (mini-sanduíches, frios, salgadinhos, frutas e carpaccio de salmão); as opções de bebidas (alcoólicas e não alcoólicas) são muitas: champagne, vinhos, destilados, refrigerantes, sucos, água e café

EMBARQUE NO B777-300

– o anúncio de embarque do voo JJ8070 foi feito pelo sistema de áudio da VIP Lounge às 21:15h (portanto, 55 minutos antes do horário previsto de partida – 22:10h) e logo partimos em direção ao Portão 325; na recepção, perguntamos novamente sobre o upgrade da minha esposa e veio mais uma ótima notícia: tinha sido concedido!!!!

– a área principal dos portões internacionais do Aeroporto de Guarulhos impressiona pela amplitude do salão, pelas grandes janelas de vidro e pela intensa iluminação; nesta parte não há lojas, somente alguns poucos restaurantes

Saguão - Portões de Embarque - GRU

– o Portão 325 é um velho conhecido, eu já embarquei por ele algumas vezes e sabia que a caminhada até lá seria longa: é o último portão do T3 de GRU; chegamos lá somente às 21:35h e uma grande fila de passageiros estava formada em frente a ele, por isso, fomos direto para a fila dedicada às prioridades para embarcarmos logo no B777-300ER, o maior avião utilizado pela LATAM

– o gigante de centenas de toneladas que nos levaria até a Alemanha tinha o prefixo PT-MUJ: é o mais novo dos 10 B777s que compoem a frota da LATAM, foi entregue no final de agosto de 2013, pode carregar mais de 360 passageiros, voando a quase 900km/h e está bem conservado pela companhia, que configura a classe Executiva deste modelo com 56 lugares na configuração 2 x 3 x 2 (na Econômica é 3 x 4 x3), ou seja, os passageiros que vão no assento do meio da parte central têm uma posição muito desconfortável, um ponto muito negativo para este esquema de poltronas; neste voo, a cabine premium estava lotada, 100% de ocupação

– as poltronas confirmadas no processo de upgrade eram na última fileira da classe Executiva, no centro do avião (assentos 8D e 8G), onde estão instaladas 03 poltronas, estávamos nos 02 extremos, tendo um outro passageiro sentado entre nós (no assento 8F); ofereci a ele a troca de assentos e, obviamente, ele aceitou, afinal viajar no corredor é bem melhor que viajar no meio; com isso, nos acomodamos finalmente na 8D (minha esposa, no corredor) e na 8F (eu, no meio)

esquema_b777-latam

O site da LATAM traz informações sobre a configuração do B777

– as poltronas da Business Class estão forradas com um tecido cinza escuro e mesclado, com encostos de cabeça na cor vermelha e um protetor branco com a nova marca da LATAM bordada; para carregar equipamentos eletrônicos há duas opções: uma porta USB instalada na parte interna da coluna central e uma tomada localizada na parte inferior do parte central; os comandos para regular a inclinação do assento estão instalados no braço das poltronas e são de fácil manuseio

– logo depois que acomodamos as malas de mão nos bagageiros e que separei as “ferramentas” para a viagem (carregadores e máquinas), foi servido o tradicional welcome drink com um potinho de salgadinhos e foram entregues o kit com cobertor (confortável) e travesseiro (que podia ser maior) e a Necessaire (completa, com produtos da grife Salvatore Ferragamo e um mini-espelho que agrada muito às mulheres); o Capitão se dirigiu aos passageiros informando que a duração do voo até Frankfurt seria de aproximadamente 11:15h  e que pegaríamos tempo bom em rota

– antes mesmo de partirmos, comecei a ver o 1º filme: “X-Men Apocalipse“, o último da série e que tinha perdido nos cinemas; o fone de ouvido oferecido pela LATAM vem um plástico pouco apresentável e é modesto, de qualidade muito inferior a outros fornecidos por outras companhias aéreas; o sistema de entretenimento da LATAM traz muitas opções de filmes, com opção de áudio original e legendas em português; além disso, dados técnicos do voo também estão disponíveis na tela (que, mesmo não sendo de última geração, tem ótimo tamanho e resolução); a navegação com o controle remoto é simples, mas um pouco lenta

O VOO PARA FRANKFURT

– tudo pronto para a partida, o pushpack foi feito às 22:05h e iniciamos um lento taxiamento para alcançarmos a cabeceira da pista 09L de GRU; a aceleração máxima das 02 enormes turbinas fabricadas pela General Eletric durou longos 50 segundos, boa parte dos 3.700 metros da pista foi utilizada e deixamos o solo paulista às 22:25h

– antes das 22:45h, os pedidos de jantar dos passageiros foram anotados pela tripulação; sentar na parte de trás das cabines é sempre um risco: alguns pratos do menu podem não estar mais disponíveis (isto acontece na Econômica e na Executiva); eu chamo isso de “a maldição da última fileira“, que se fez presente neste voo: minha 1ª escolha (pato assado laminado com arroz salteado com tomates cerejas e cebolinha francesa) tinha acabado; só me restou a opção de cupim na brasa com molho de tomates, aspargos, tomate-cereja e alho-poró assado, já que a 3ª alternativa (ravioli aberto de rúcula, tomate e queijo) não me agradou

o jantar começou a ser servido às 23:25h (exatamente 01 hora depois da decolagem); a entrada foi uma agradável surpresa (eu dispensei o pratinho de salada): a sopa de milho estava simplesmente deliciosa e o pão que acompanhava estava fresquinho; eu sempre ouvi dizer que a preparação de cupim é complexa, por isso, quando vi esta opção no menu da LATAM pensei: não seria arriscado servir este tipo de carne em avião, onde as condições de preparo são limitadas? O meu receio estava certo: achei a carne dura e muito gordurosa; os legumes que acompanhavam estavam bons; para bebida, escolhi o vinho tinto argentino de Mendonza “Bodega Dominio del Plata” (uva malbec), que estava muito bom, acompanhado de água “com bolhas”

– para sobremesa, escolhi o sorvete Häagen Dazs (dispensando o doce de abacaxi, maracujá e pistache), sabor chocolate, sempre uma opção segura; ele veio acompanhando de uma “moeda” de chocolate meio amargo; ambos estavam deliciosos, foi um ótimo complemento de refeição

Sorvete - B777 LATAM

– já sem fome e com o sono começando a aparecer, comecei a ver o 2º filme da viagem: escolhi “Batman vs Superman“, mais um que não vi quando passou nos cinemas; a Comissária me entregou uma garrafinha d’água, providencial caso a sede aparecesse durante a madrugada; no meio do filme, o sono se tornou incontrolável, deu tempo para reclinar a poltrona ao máximo (quase full flat) e dormi, sem me cobrir; acordei algumas horas depois com muito frio, a cabine estava com temperatura muito baixa, tive que recorrer ao cobertor para ficar confortável e voltar a cochilar

– consegui descansar por cerca de 06 horas e por volta de 07:00h levantei para ir ao banheiro, que tem um bom tamanho, de forma que escovar os dentes não foi um exercício de contorcionismo; ele estava limpo e cheiroso, mas fiquei decepcionado com o seguinte: os lenços umedecidos, que eu tanto gosto, agora não são mais personalizados com a logomarca da companhia, eles são “genéricos” agora

– na volta para o meu lugar, aproveitei para tirar algumas fotos, aproveitando que o sol já reinava lá fora, que a maioria dos passageiros ainda dormia e que os corredores e o galley estavam vazios

TURBINAS  GENERAL ELETRIC 

ÁREA DE SERVIÇO DO B777 – GALLEY

– eram 07:45h quando as Comissárias começaram a despertar os passageiros para o café da manhã (a tripulação pergunta depois do jantar se queremos ser acordados para a refeição matinal); neste momento, ainda faltavam 01:50h para o pouso em Frankfurt; o café foi efetivamente servido somente às 08:15h e foi uma boa experiência: tudo estava fresco e gostoso, o sabor do café preto me surpreendeu, estava ótimo

– ainda comendo, terminei de ver o filme do Batman/Superman e comecei a ver o 3° filme: “Money Monster”, com Goerge Cloney e Julia Roberts, a história do repórter sensacionalista que fala de economia e que foi sequestrado por um telespectador que perdeu dinheiro da herança da mãe ao ouvir seus conselhos (infelizmente, não consegui terminar de ver)

– nesta hora, todos os passageiros já estavam acordados e algumas janelas começaram a ser abertas, a luminosidade dentro da cabine começou a aumentar aos poucos

– o tradicional aviso do Capitão “atenção tripulação, preparar para o pouso” foi feito com entusiasmo às 09:10h; eu adoro apreciar da janela do avião os momentos finais do voo, mas desta vez estava longe, não foi possível, mas, obviamente, não posso reclamar que o upgrade me colocou em um assento tão ruim, voar na Executiva sem janela é bem melhor do que na Econômica com janela, sem dúvidas; de longe, consegui registrar a vista de algumas árvores da região do Aeroporto de Frankfurt, nos últimos segundos de voo

Pouso em FRA - Visão Janelas
pousamos às 09:28h (horário do Brasil, 14:28h no horário alemão, nesta época do ano, esta parte da Europa tem um fuso de +5 horas com relação a Brasília); foram quase 20 minutos de taxiamento até que o B777-300 da LATAM encostasse no finger de Frankfurt; neste momento, consegui tirar algumas fotos da movimentação de aeronaves no pátio do aeroporto alemão

– a ponte que liga o avião ao terminal de passageiros é de vidro e permitia uma ampla e bonita visão do B777, com destaque para o clássico “The Magic Red Carpet” pintado no nariz dele

– o Aeroporto de Frankfurt é enorme, tivemos que caminhar bastante para alcançar a área de controle de entrada de passageiros estrangeiros e depois um pouco mais até a área de restituição de bagagens, onde nossas malas já estavam rodando nas esteiras; neste aeroporto, o uso de carrinhos não é gratuito, é necessário pagar 01 euro por cada um deles

AVALIAÇÃO GERAL: a relação custo-benefício da passagem foi excelente: 35.000 pontos para voar na classe Executiva de um trecho de longa duração (mais de 11 horas de voo); o benefício do upgrade estendido para minha esposa é outro ponto muito positivo das atuais regras do Programa da LATAM;  sempre vale a pena visitar a sala VIP em Guarulhos, mesmo que rapidamente, para beliscar algo e tomar um champagne; o Boeing 777 escalado para o voo era o mais novo da frota da companhia e oferece conforto aos passageiros; apesar do sistema de vídeo não ser de última geração, a quantidade de filmes com legenda em português é algo a destacar positivamente; a poltrona que viajei é um ponto negativo: a configuração que a LATAM usa neste gigante não é legal, assento do meio e classe Executiva definitivamente não combinam; a atitude da tripulação foi correta durante todo o voo, sem erros, mas também sem um “calor humano” acima da média; em relação ao serviço de bordo, tudo estava muito bom (a sopa de milha estava nota 10!), mas o prato principal (carne: cupim) não me agradou, tenho certeza que o pato laminado que eu não consegui comer estava delicioso…entre altos e baixos, a viagem com a LATAM foi muito boa

avaliacao_b777-latam-frankfurtvoando na LATAM, voando na Executiva da LATAM, voando no B777, indo para a Europa com a LATAM
4 respostas
  1. Maria Cissa
    Maria Cissa says:

    Amei essa reportagem ,pois e o que vou fazer dia 30de outubro.
    Guarulhos a Frankfurt,nunca viagei, não sei falar nenhum idioma ,vou na fé.
    Esse comentário pra mim foi muito bom pra eu ter noção de como é.
    Obrigada pelo autor
    Att/ Maria

    Responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] quando voei para Frankfurt com a LATAM NO Boeing 777-300ER (veja a avaliação completa deste voo aqui); o fone de ouvido cumpre o seu papel, apesar de não ser dos mais modernos, tem a logomarca da TAM […]

  2. […] Acesse a avaliação completa aqui: Voando no B777 da LATAM […]

  3. […] – infelizmente está na hora de voltar para casa depois de 10 dias de férias na Alemanha (Frankfurt e Berlin) e Holanda (Roterdã e Amsterdã); eu e minha esposa demos muita sorte: nenhum dia de chuva, sol o tempo inteiro e uma temperatura extremamente agradável; o voo da ida foi feito com a LATAM, saindo de Guarulhos/SP para Frankfurt a bordo do B777, o maior avião da frota da companhia (confira a avaliação completa aqui) […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *