Voando com a TAM (GRU/MAD)

_TAM_gru_mad_777

– hora de ir para a Espanha participar do Mobile World Congress, a maior feira de telecomunicações do mundo; a passagem foi comprada na Black Friday de novembro de 2015, a um custo excelente para voar de Business Class com a TAM até Madrid; a minha jornada começou no Aeroporto do Galeão/RJ, onde peguei um voo para Guarulhos/SP; o atendimento prioritário no Rio para despachar minha única mala foi lento, ainda bem que cheguei com antecendência no aeroporto; tudo certo com os assentos reservados previamente pela Internet

img_9212

No Galeão, fiz o check-in para os 02 voos: Rio/SP e SP/Madrid; a malas foram despachadas até o destino final

– o voo marcado para 18:49h sofreu grande atraso: a chuva na capital carioca fez o aeroporto fechar; e quando reabriu, foi a vez de Guarulhos fechar também por condições metereológicas; decolamos somente às 20:05h no A320 da TAM (prefixo PR-MYU, entregue em junho de 2012); neste voo, somente bebidas foram servidas; o trecho até São Paulo foi mais longo do que o normal, pousamos somente às 21:04h; o embarque foi remoto, tivemos que pegar um ônibus até o terminal, o que atrasou ainda mais a nossa chegada

– eram 21:25h quando finalmente iniciei a caminhada do Terminal 2 até o Terminal 3 de Guarulhos; o T3 é excelente, é a prova de que privatizações realmente trazem ótimos resultados: espaçoso, estrutura moderna, tudo funciona bem, às 21:40h já tinha passado pelos controles de segurança (raio-x e passaporte)

– fui direto para a Sala VIP, pois a fome começou a aparecer: quando me apresentei na recepção, fui informado que o embarque no voo JJ8064 já tinha sido iniciado no Portão 324; fui rapidamente ao banheiro, peguei 02 barras de cereais e um pacotinho de cookies e parti logo para portão de embarque; o T3 tem muitas lojas no caminho até o saguão onde estão localizados os portões; não dei muita sorte, o embarque seria feito na ponta do terminal, ou seja, no portão mais afastado possível

img_9218

– quando finalmente cheguei no Portão 324 (por volta de 22:15h), não havia mais filas, a maioria dos passageiros já tinha embarcado no Boeing 777 da TAM que me levaria até a capital espanhola

– na porta do avião, um casal de comissários recepcionava os passageiros, com muita paciência, indicando a localização dos seus assentos; o embarque estava sendo feito pela porta localizada entre as fileiras 4 e 5; o meu assento era o 3K (janela, lado direito da aeronave), portanto, virei à esquerda no 2º corredor para chegar nele

– a configuração do B777-300 da TAM na Classe Executiva é 2x3x2, são 08 fileiras, 56 lugares no total; em 2015, a TAM finalizou um processo de “retrofit” da cabine dos B777, retirando os 04 assentos de Primeira Classe que estavam instalados; com isso, a frota de longo percurso da companhia foi padronizada com apenas 02 classes de serviço (Econômica e Premium Business); na Classe Econômica, a configuração é 3x4x3, onde viajam até 323 passageiros

img_9211

Na revista de bordo da TAM, há detalhes dos aviões que fazem as rotas internacionais: B767, A330 e B777 (o A350 ainda não aparece na publicação)

– neste voo, 50 passageiros ocupavam a Classe Executiva (90% de ocupação), os 04 Comissários dedicados teriam muito trabalho; esta configuração do B777 da TAM não é das melhores, pois 24 dos potenciais 56 passageiros não têm acesso direto ao corredor; o voo seria operado pelo avião de prefixo PT-MUC, entregue novinho em dezembro de 2008; apesar de bem conservada, a cabine já dá sinais dos anos de serviço, sendo possível perceber alguns problemas de acabamento

– depois de acomodar minha mochila e meu casaco, o tradicional champagne e snacks foram servidos pela simpática Comissária Rosangela, que se apresentou e informou que faria meu atendimento durante o voo

– achei a cabine um pouco quente e o voo atrasou um pouco porque vários voos de conexão demoraram a chegar em Guarulhos; eram 22:50h, ou seja, 05 minutos depois do horário previsto de decolagem, o piloto Dicésar anunciou que o voo até Madrid seria de apenas 09:25h, em função de ventos a favor; logo depois, a Comissária Angie se identificou para todos como a Chefe de Cabine

– ainda antes da decolagem, foi distribuída a Necessaire: felizmente, a TAM deu um “upgrade”, depois de anos usando a mesma, agora é igual à fornecida pela LAN que leva a assinatura Salvatore Ferragamo; enquanto a LAN distribui marrom e bege, a TAM está usando azul escuro e vermelho

– finalmente, o pushback foi feito às 22:56h e depois de uma pequena fila na cabeceira da pista de Guarulhos, decolamos às 23:14h, depois de 48 segundos de aceleração para as 02 turbinas do B777 botarem o gigante de mais de 300 toneladas no ar

img_9251

Adiós, São Paulo! A TAM já permite que o telefone celular fique ligado durante todas as fases do voo

– comecei logo a ver o novo filme (de 2015) que trata da vida de Steve Jobs, com Michael Fassbender e Kate Winslet; bem interessante, uma ótima escolha; o sistema de entretenimento desta aeronave é muito bom, a navegação é simples, com boa variedade de filmes, muitos deles recém-saídos das telas dos cinemas; a posição do controle remoto e da porta USB para carregar celulares é razoavelmente boa; o fone de ouvido oferecido pela TAM não é dos melhores, pois não oferece um perfeito isolamento acústico

– por volta de meia-noite, o jantar foi servido; as opções de prato principal eram: filé ao molho de mostarda, salmão grelhado ao molho de açafrão ou frango ao molho de ervas; como acompanhamento, sopa de mandioquinha e salada verde com champignon; para sobremesa, eram 03 opções: torta de chocolate e banana, sorvete Haagen Dazs e frutas; a carta de vinhos que a TAM utiliza é exatamente a mesma da LAN, com opções do Chile, Argentina e França; por fim, preenchi o formulário com as minhas opções para o café da manhã (eu gosto muito deste diferencial da TAM)

– a minha opção foi pelo frango, que estava acompanhado de arroz preto e tomate assado; a sopa e a salada estavam bem saborosas, foi uma ótima entrada; o arroz estava uma delícia, mas achei o pedaço de frango muito pequeno; como opção de sobremesa, escolhi o sorvete, mas já tinha acabado (como assim, eu estava na 3ª fileira!?!?!?), tive que aceitar a torta de chocolate com banana, que estava muito boa, junto com chocolate Lindt; para beber, além de água com gás, repeti o vinho branco Chardonnay da Argentina que tinha bebido na semana passado no voo da LAN de Milão para São Paulo

– eram 01:05h e eu já tinha matado a fome, com uma ótima refeição; era hora de avaliar o assento do B777, que é diferente do B767 da própria TAM e do B787 da LAN; ele não vira uma cama full flat como nas outras aeronaves, fica cerca de 160°, mas permite um bom descanso; o travesseiro é pequeno (típico da TAM) e o cobertor é ótimo; não precisei ir ao banheiro de madrugada, portanto, não incomedei o senhor que viajava ao meu lado

– dormi bem até 07:25h (10:25h do horário europeu) e acordei com a movimentação da cabine com a proximidade do café da manhã; desta vez, as minhas opções foram respeitadas (no voo com a LAN da semana passada, não…) e a refeição de forma geral estava boa: variedade de frios (a outra opção era omelete), iogurte, suco de laranja, café preto e geléia; mas Rosangela esqueceu de me oferecer o pão…. depois que pedi, “ganhei” um croissant

img_9226

– eram 11:20h (horário espanhol) quando o Comandante anunciou que o pouso estava previsto para 11:45h e que enfrentaríamos 11 graus na ensolarada Madrid (uma grande diferença de temperatura para a calorenta Rio de Janeiro); às 11:41h o trem de pouso foi baixado e o pouso seguro foi às 11:44h, 35 minutos antes do horário original previsto; ficamos parados por 10 minutos em frente ao Terminal 4 de Madrid antes de encostar no finger

– comecei a conversar com o Comissário Willian e expliquei que tinha um site sobre aviação comercial e que gostaria de visitar a cabine: ele iria conversar com o Comandante, achava que não teria problemas, mas tínhamos que esperar todos os passageiros desembarcarem; aproveitei para tirar mais fotos das poltronas da Classe Executiva; cerca de 05 minutos depois, fui chamado à cabine de comando, onde tive uma rápida mas agradável conversa com os 04 ssimpáticos pilotos que operaram aquele voo

img_9249

A cabine do Boeing 777 da TAM: tecnologia com muitas telas e botões

– o Aeroporto de Madrid é muito moderno e oferece muitas facilidades aos seus passageiros; é necessário pegar um trem, bem como passar pela Imigração espanhola, por isso, quando se chega na área de retirada de bagabem, geralmente, as malas já estão rodando na esteira; neste dia, dei azar, algum problema operacional fez com que minha mala chegasse somente às 13:20h e, para piorar, estava quebrada (de positivo, quando eram 12:50h, o atraso foi alertado pelo sistema de auto-falante)

img_9214

AVALIAÇÃO GERAL: em uma janela de 05 dias, voei com TAM e LAN, em Classe Executiva, foi uma ótima oportunidade para comparar o padrão de serviço das empresas que formam o Grupo LATAM; a experiência com a TAM foi melhor, apesar do B777 não trazer tanto conforto como o B787 da LAN; os 03 banheiros do avião da TAM funcionavam e não tive que enfrentar filas para escovar os dentes; as opções de jantar eram ótimas e a tripulação teve apenas um pequeno deslize ao servir o meu café da manhã; o atraso da saída do Brasil não foi um problema, mas o atraso da entrega da mala e a avaria nela foram pontos negativo; merece agradecimento especial à tripulação que me acolheu muito bem na cabine de comando ao final do voo; sem dúvidas, considerando o valor pago pela passagem, a relação custo-benefício foi excelente

Avaliação da LAN Chile (Milão-GRU):

Selo verde

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *