Voando com a ALITALIA (GIG/ROM)

_ALITALIA

– é chegada a hora: pequenas férias, aproveitando o período de Carnaval, uma semana na Itália, visitando 03 cidades clássicas: Roma (nosso 1º destino), Florença e Milão (de onde voltaremos de Lan Chile para São Paulo no Boeing 787)

– a ideia foi viajar no sábado (partida às 17:00h) para fugir de uma provável estressante ida da Zona Sul carioca ao Aeroporto Internacional do Galeão na 6ª feira de Carnaval

EMISSÃO DA PASSAGEM

– originalmente, em abril de 2015, emiti a passagem com a Alitalia gastando 35.000 milhas do Programa Smiles para voar de Econômica; em junho de 2015, o SMILES fez uma promoção-relâmpago: 65.000 milhas para voar na Business (chamada de “Magnífica”); como eu tinha milhas suficientes, cancelei o bilhete anterior (pagando uma taxa de R$ 100,00) e emiti um novo; achei a relação custo-benefício ótima, chegaríamos descansados em Roma e aproveitaríamos ao máximo a cidade desde o 1º dia de viagem

– não viajava na companhia italiana desde 2013, ou seja, antes da Etihad (dos Emirados Árabes) assumir parte do controle acionário da Alitalia e implementar um processo de transformação; portanto, era alta a expectativa de avaliar o serviço oferecido pela 74ª melhor companhia aérea do mundo (ranking de 2015)

O AEROPORTO DO GALEÃO/GIG

– decidi ir de carro e chegamos no Aeroporto Tom Jobim/Galeão às 15:10h; como a LAN/TAM operam no Terminal 2, deixei o carro por lá no novo e moderno edifício garagem (o custo para 08 dias é de R$ 190,00) e caminhamos sem pressa para o Terminal 1: todas as esteiras do corredor que liga os terminais funcionavam (algo impossível nos tempos da administração da Infraero)O

– chegamos nos guichês do T1 da Alitalia às 15:30h e levei um susto: parecia que não havia um voo saindo naquele momento, não tinha absolutamente ninguém…sem fila e poucos funcionários; fomos informados que éramos um dos últimos a fazer o check-in (alerta: quem tem bilhetes Smiles não consegue antecipar o check-in pela Internet); o atendimento foi rápido por uma funcionária terceirizada da ProAir (sem identificação), que nos alertou que o embarque começaria pontualmente às 16:00h e que deveríamos nos preocupar com o horário caso fôssemos para a Sala VIP

– passar pelo controle das autoridades brasileiras foi uma missão tranquila: 03 das 05 máquinas de raio-x funcionavam, tivemos 01 pessoa a nossa frente apenas; no controle de passaporte, 07 dos 12 guichês funcionavam, perdemos apenas 05 minutos na fila

SALA VIP

– a Alitalia está usando a VIP Lounge da Air France, parceira da aliança Sky Team; o espaço é pequeno, com uma grande maquete do lendário Concorde na entrada; ambiente aconchegante, com uma ótima visão para o pátio do Galeão, inclusive para um enorme Boeing 777-300ER da companhia francesa; a comida era simples: sopa de abóbora e penne tricolor com molho de tomate (estava um pouco “estorricado”), além de 03 tipos de mini-sanduíches; apesar de algumas opções atraentes (inclusive Champagne “original”), decidi não beber álcool, para saborear com calma a carta de vinhos a bordo da Alitalia; tomei uma água Perrier

O EMBARQUE NO AIRBUS A330

– eram 16:10h quando fomos chamados para o embarque; a caminhada para o Portão 12 foi rápida; o embarque já tinha sido iniciado e fomos para a fila preferencial, com 05 pessoas a nossa frente
– o Airbus que nos levaria até Roma já trazia a nova pintura da Alitalia depois que a Etihad assumiu parte do controle da empresa; era um A330-200, entregue novinho em abril de 2011, prefixo EI-EJI, apelido Canaletto

– o A330 estava impecavelmente bem conservado e trazia a configuração 1x2x1 na Magnifica em 05 fileiras, 20 lugares no total (ocupação de 70%); a classe intermediária é chamada Clássica Plus, localizada logo atrás da Executiva, com configuração 2x3x2 e 17 assentos; a Econômica é chamada de Clássica e tem esquema 2X4x2, onde cabem 219 pessoas; no total, este avião pode levar até 256 passageiros

SeatGuru: estrutura das 03 classes do Airbus A330 da Alitalia

– 02 Comissárias sorridentes e muito elegantes em seus uniformes verdes recepcionavam os passageiros na porta do Airbus; a Classe Executiva fica na parte da frente, a esquerda

– Sabrina Lami era a “Senior Cabin Manager” (assim ela foi anunciada) deste voo e veio se apresentar: muito educada e calorosa

– o Capitão Marcelo fez uso da palavra antes da decolagem e anunciou que teríamos 10:20h de voo pela frente; ele alertou que deveríamos pegar um pouco de turbulência na fase inicial do voo; tudo isso em italiano e inglês (nada de português)

– nossos assentos eram na 1ª fileira, na parte central; são os assentos que a Alitalia anuncia como sendo “honey moon”: quando ambos estão na posição full flat, eles ficam no mesmo nível, não há obstáculos entre as 02 pessoas, interessante, em especial para aquelas mulheres que ficam tensas na hora de turbulencias mais fortes…


– as necessaires Salvatore Ferragamo enormes e lindas, uma para os meninos e outra para as meninas, foram distribuídas, junto com espumante, água ou suco de laranja: escolhi a opção borbulhante, sempre a melhor alternativa

– toalhas refrescantes foram distribuídas e uma das Comissárias nos abordou para apresentar o cardápio e a carta de vinhos, informando que estava à disposição para anotar a escolha dos pratos, ainda antes da decolagem

O VOO

– o pushback foi feito as 17:03h e depois de percorrer a longa lista do GIG por 36 segundos, decolamos rumo à capital italiana às 17:12h, ou seja, um pequeno atraso

– este avião tem sistema de Wi-Fi a bordo: custo de € 9,60 por 01 hora de acesso ou 24MB de dados; não é barato, mas se você não consegue ficar 10 horas isolado do mundo digital…
– o sistema de entretenimento da Magnífica é excelente: tela de 15 polegadas, touch screen ou controle remoto; muitas opções de músicas e filmes: escolhi logo o último filme do James Bond (007 – Spectre), que não tinha visto nos cinemas, ótima opção

– os assentos da Alitalia na Executiva me lembram muito o A330 da Iberia (avaliação de fevreiro/15): parecem uns casulos individuais; os assentos são de couro caramelo e preto; os botões de comando e o controle remoto ficam bem localizados, evitando toques involuntários; há também tomada e porta USB para carregar aparelhos eletrônicos

– eram por volta de 18:05h quando o serviço de bordo foi iniciado, uma autêntica ceia italiana: aperitivo (tradicional bebida italiana Spritz com canapé de salmão), entrada (salada de camarão com cenoura e batata), 1º prato (penne com molho de tomate), 2º prato (rolo de frango recheado com presunto San Daniele) e sobremesa (frutas); tudo estava excepcional; para beber, escolhi o vinho branco, que foi servido na temperatura ideal e era ótimo; faz todo sentido que a Alitalia tenha ganho o prêmio de Melhor Culinária pela revista americana Global Traveler; para terminar, um “digestivo” típico italiano: Limoncelllo

– eram 19:30h e eu já tinha jantado de forma divina e já estava terminando de ver o 1º filme da viagem

– a Alitalia oferece aos passageiros uma revista de bordo, onde informações da frota, das parcerias e das rotas operadas estão muito bem detalhadas

– logo depois do jantar, o Free Shop (compra a bordo) foi oferecido: pedi um chaveiro da Alitalia (€ 3,00) e uma miniatura na escala 1/200 do A330-200 que nos levava a Roma (€15,00); depois de 40 minutos me informaram que a miniatura estava esgotada…frustrante…

– comecei a ver o filme brasileiro “Linda de Morrer”, com Gloria Pires: um passatempo bobo, mas nem terminei de ver, pois, por volta de 20:15h, adormeci, depois de colocar o assento na posição full flat (cama de 180 graus)

– foram 05 horas e meia de um sono bom: o assento de couro é confortável, mas achei o travesseiro pequeno, se fosse maior traria mais conforto; não precisei usar o cobertor, na verdade, nesta fase do voo achei a cabine um pouco quente

– por volta de 02:00h (ou 05:00h da manhã em Roma), o escuro da cabine deu espaço para uma iluminação em tom laranja, indicando que o café da manhã seria servido; toalhas refrescantes foram distribuídas e um cheiro de croissant tomou conta do meu olfato; como “prato principal” do café, só tinha uma única opção: omelete, que recusei, tive que me satisfazer com os pães quentes (e saborosos) servidos com geléia, além de um pote de frutas frescas; entre o café “americano” e o Nespresso, escolhi o 2º, por 02 vezes…

    img_8066-1

– ainda havia tempo para ir escovar os dentes e averiguar o tamanho do banheiro: apenas normal e sem lenços refrescantes e perfumados que adoro…

O POUSO E A CHEGADA EM ROMA

– o capitão anunciou o pouso quando eram 06:20h (horário de Roma); o trem de pouso foi baixado às 06:31h, pegamos um pouco de turbulência nesta fase final do voo e tocamos o solo romano às 06:33h, com total segurança; finalmente, encostamos no finger do Aeroporto Leonardo da Vinci as 06:37h

– antes das 07:00h já tínhamos pego as bagagens (demos sorte, FCO é famoso por longas esperas) e íamos em direção à estação de trem para ir direto ao Centro de Roma; pegamos o trem de 07:23h ao custo de €14,00/pessoa (o preço do taxi é tabelado em €48,00) e chegamos no hotel antes de 08:30h

AVALIAÇÃO GERAL: a experiência foi ótima; de negativo, somente o pequeno atraso na saída, que não incomodou, e a falta de uma 2ª opção de prato no café da manhã (além do omelete); de positivo, são muitos os registros: a atitude das 04 Comissárias da Business foi exemplar, tendo como referência a Chefe Sabrina; o A330 está muito bem conservado e oferece muito conforto a bordo, desde o assento até o sistema de entretenimento; para finalizar, o jantar foi excelente, merece Nota 10

Avaliação ALitalia

voando na Alitalia, voando no A330 da Alitalia, como é voar na Alitalia, como é andar na Alitalia, como é viajar na Alitalia
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *