Voando com a COPA AIRLINES (PTY-GIG)

De: Cidade do Panamá - Para: Rio de Janeiro/Galeão (PTY-GIG)
Classe: Executiva
Data: 28.03.2014
Aeronave: Boeing 737-800

– o Boeing 737-800 da Copa Airlines que faz a rota para o Rio de Janeiro é do modelo NeXT Generation com Sky Interior (a GOL tem uma porção destes voando aqui no Brasil), com aparência de novo e bem cuidado

– a Classe Executiva tem 16 lugares, em disposição de 4 fileiras com 2×2 assentos e estava lotada; as poltronas não reclinam muito, mas têm encosto para os pés, o que traz um avanço, pois da última vez que voei neste trecho não tinha, o que torna a tarefa de descansar bastante difícil

– não se discute que a Copa tem um modelo de negócios de sucesso, com frota padronizada com aviões de corredor único, mas é fato que este tipo de aeronave não permite a oferta de um serviço premium

– a Classe Executiva estava sob a responsabilidade da Comissária Lyliam G., simpática e atenciosa, que suportou bem os passageiros durante as 6 horas e 30 minutos de vôo

– como o vôo foi iniciado no início da tarde, o serviço de bordo começou com uma variedade de frios (queijos, peito de peru e salaminho) e uvas; o pão ciabatta que acomapanhava estava um pouco duro, mas no geral, agradou

– parti para explorar o sistema de entretenimento individual; tela é pequena, proporcional ao tamanho da aeronave. Ele estava “travado”, tive que pedir para o Chefe de Cabine (Ernesto) reiniciar o sistema da minha poltrona; Depois de 3 minutos, tudo ok; as opções de filmes são reduzidas, optei por começar com Fifth State, que conta a história do WikiLeaks, achei meio fantasioso, mas se tornou uma diversão básica, que ajudou a passar o tempo

– o sono chegou e dormi bem por 2 horas.

– quando faltavam 02 horas para o pouso, o jantar foi servido; de entrada, uma salada simples de alface, tomate e pepino japonês com molho ceasar, acompanhada de uma sopa saborosa de cenoura e pão com manteiga; como prato principal, frango a parmegiana e macarrão ao pesto; não posso dizer que o prato estava ruim, mas como demérito, foi o mesmo prato servido no 1º trecho desta volta ao Brasil (Cancun – Panamá).

– a sobremesa (sorvete de doce de leite com calda de caramelo) estava uma delícia e foi servida em um carrinho, junto com licores, digestivos, café e chá.

– faltando 05 minutos para o pouso, Lyliam se dirigiu a cada passageiro agradecendo a opção pela Copa e que tinha sido um prazer nos servir.

AVALIAÇÃO GERAL: voei de Copa Airlines em março de 2013 e percebo que houve improvments: a aeronave é mais moderna, com assentos da Classe Executiva mais confortáveis (eles não tinham encosto para os pés e a reclinação era mínima) e é perceptível o esforço para tornar o serviço de bordo mais executivo; os banheiros do B737 não trazem muito conforto para os passageiros, em função de suas dimensões; a simples tarefa de escovar os dentes se torna uma aventura; a Necessaire fornecida para a Classe Executiva, além de ser básica, foi exatamente o mesmo de 1 ano atrás, o que julgo um erro; a dinâmica de mudança me parece algo que agrade a todos, em especial, os passageiros freqüentes

Obs.: infelizmente, as fotos desta avaliação foram perdidas numa troca de celulares

Selo amarelo

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *