Voando com a BRUSSELS (BRU-MAD)

_Brussel

– comprei a passagem para voar de Bruxelas para Madrid com a Brussels Airlines (em 2015, eleita a 54ª melhor companhia aérea), em agosto, por €63,00 (se eu não despachasse 01 mala, o valor seria €48), ou seja, um valor similar ao cobrado pela Air Europa no voo de ida

– o voo estava marcado para 14:30h, cheguei no Aeroporto as 13:40h (depois de pegar um trem do Centro, uma ótima opção, que custa €8,50) e fui direto para a área de check-in da Brussels Airlines para despachar uma pequena, mas pesada, mala; como tenho status Gold na Aliança Star Alliance (cartão da Copa Airlines), utilizei os guichês de prioridade, sem fila e com atendimento muito atencioso e rápido

IMG_3919
– apesar de pouco tempo disponível, fiz questão de conhecer a Sala VIP da Brussels: na recepção, perdi algum tempo, pois as atendentes nunca tinham visto (palavras delas) o cartão da Copa e tinham dúvida se ela realmente fazia parte da Star Alliance; fiquei somente 05 minutos, o suficiente para comer um deliciosa quiche de cebola e tomar um suco; uma pena, pois o espaço tem visão privilegiada do pátio, o buffet é muito variado e as poltronas são muito confortáveis

– o aeroporto de Bruxelas é bem legal: além de espaçoso e com muitas lojas, há mesas de totó e videogame espalhados pelo salão de embarque para que os passageiros se distraiam enquanto aguardam seus voos

– o meu embarque estava programado para o portão A37, no subsolo do terminal; chegando lá por volta de 14:05h, descobri que seria remoto; só consegui pegar o 2º ônibus e depois de dar uma volta grande pelas pistas achei estranho que o avião escalado para o voo estava estacionado em um finger do aeroporto; todos os passageiros tiveram que subir a escada do próprio finger para poder embarcar; não entendi nada… e este procedimento tornou o voo atrasado, só entrei no avião as 14:35h

– o A319 (do mesmo modelo que a TAM e Avianca usam na Ponte Aérea RJ-SP) tinha o prefixo OO-SSN: foi fabricado em 2003 e entregue à Air Canada, sendo incorporado à frota da Brussels somente em julho de 2012; tinha a configuração clássica de 3×3 (a Brussels não tem classe executiva nos voos dentro da Europa), bancos de couro azul escuro

– Sofie era a Chefe de Cabine e sempre com muita paciência fez anúncios em francês, inglês e holandês

– o voo estava quase lotado, somente umas 05 poltronas estavam vazias; sentei na poltrona 13C, um corredor do lado esquerdo; o espaço para as pernas não era dos melhores e não há sistema de entretenimento (nem coletivo)

– o pushback foi feito as 12:45h (confirmando o atraso na partida), fomos direto para a cabeceira da pista e menos de 05 minutos depois decolamos; o A319 levou 40 segundos para sair do chão

– a Brussels vende passagens de forma bem peculiar: o seu lugar no avião é determinado pelo tipo de tarifa que você pagou, são 04 tipos: Check&Go, Light&Relax, Flex&Fast e Bizz&Class; as 02 últimas são as mais caras, os passageiros sentam na parte da frente do avião, são servidos primeiro e têm direito a refeição e bebidas; as outras tarifas são as mais baratas e não incluem serviço de bordo gratuito nem marcação prévia de assentos; os passageiros são servidos por último, as comissárias passam oferecendo o serviço de bordo pago: sanduíches por €4,00 e bebida não alcoólica por €3,00; comprei um sanduíche de “Belgium Meatballs” e um IceTea, muito providencial para matar a fome

– a Brussels oferece uma revista de bordo: Inspired, gostei das reportagens
– o voo foi muito tranquilo e pousamos na pista molhada pela chuva no Aeroporto de Madrid às 16:45h, dentro do horário previsto (o atraso da saída foi recuperado); logo depois, o A319 encostou em um dos fingers do Terminal 3 (que tem o mesmo estilo arquitetônico do Terminal 2, de onde parti na manhã daquele dia)

IMG_3952

AVALIAÇÃO GERAL: o aeroporto de Bruxelas merece destaque: moderno, bonito e com opções de lazer para os passageiros; o A319 não era dos mais novos e não oferecia nenhum conforto adicional; o serviço de bordo pago agradou, mas um pouco caro (cerca de R$ 30,00 por um sanduíche e um chá gelado); no geral, considerando isso tudo e o preço pago, a viagem foi boa.

Selo amarelo

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *